O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quarta-feira (6) suspender a adoção do voto impresso nas eleições. A maioria dos ministros entendeu que um comprovante colocaria em risco o sigilo e a liberdade do voto, o que violaria a Constituição Federal.

A Corte destacou a falta de proporcionalidade e razoabilidade da medida, que custaria cerca de R$ 2 bilhões. Para os ministros favoráveis à suspensão, o voto impresso não traria garantias de mais segurança para o sistema.

O tribunal lembrou ainda que faltam indícios de fraude no sistema de voto eletrônico, e considerou que uma alteração poderia trazer, na verdade, mais desconfiança sobre o modelo. Por 8 votos a 2, o STF concedeu um pedido de liminar de autoria da PGR (Procuradoria-Geral da República).

O órgão pedia a suspensão da medida prevista na Lei da Minirreforma Eleitoral (Lei 13.165/2015), que incluiu o voto impresso no artigo 59-A na Lei das Eleições (Lei 9.504/1997).

“A aplicação do artigo 59 coloca em risco o sigilo da votação, e ao colocar em risco o sigilo, estamos colocando em risco a outra característica, o voto secreto, universal e livre”, defendeu o ministro Alexandre de Moraes.

Ele disse ainda que a medida teria pouca efetividade, já que poderia haver uma divergência entre o voto impresso e o conteúdo eletrônico. A posição foi acompanhada pelos ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Mello, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e a presidente, ministra Cármen Lúcia.

Foram parcialmente vencidos os ministros Dias Toffoli e o relator, Gilmar Mendes. Os dois defendiam a adoção da regra de forma gradativa. Crítico à alteração, Gilmar disse que a proposta é baseada na “lenda urbana” de que teria havido manipulação na eleição de 2014.

Porém, o ministro entendeu que se trata de uma decisão do Poder Legislativo que deve ser respeitada. “É preciso ter cuidado. Por isso, é respeitável a decisão do Congresso, porque estamos lidando com a crença das pessoas”, afirmou.

Com informações: STF.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno

Beleza, então

Mendonza

kkkk Cara, o resultado nas urnas é praticamente o que se vê nas pesquisas e bocas de urnas que antecedem o dia da votação. Com exceção do Dória que saiu do quinto lugar e do nada ganhou, claro. Ops, achamos um eleição fraudada...

Bruno
Bruno

kkkk, que figura vc...
tá ai: https://jsfiddle.net/euyxk0...

Código simples que fiz agora, só manipulando 2 votos...
Agora imagina uma eleição, o poder e o dinheiro por trás. Se não tem manipulação, se é tudo transparente deixa o voto impresso, pronto, acabou a especulação

Mendonza

Mostra pra mim.

Bruno

Não existe indicio ? NÃO EXISTE INDÍCIO ? SÉRIO ? Em que país você vive ? certeza que em um dos mais corruptos do mundo ?

Mendonza

Não existe sequer algum indício de urna eletrônica com fraude ou coisa do tipo. Só uma horda de imbecis entrando na onda "supondo" que ixisti uma ordi mundial robano os voto das peçoa pra cria um governo grobalista di isquerda.

zoiuduu .

li a matéria, e queria uma resposta, nao uma perugnta.

Bil

Não mesmo! Tá rolando em alta!

Marcos Guilherme

Esse fundo não foi vetado não?

Marcos Guilherme

Cara você leu a matéria ou tá de sarcasmo ou só zuando mesmo?

ochateador

Fecha o fundo público eleitoral, que adivinha... é de aproximadamente 2 bilhões de reais.

ochateador

Só aquela apuração bizarra do Acre na última eleição já deixa a pulga atrás da orelha.

Podiam fazer as eleições começar e encerrar de forma simultanea no Brasil inteiro (teria um tempo menor para votar), mas de cara diminuiria a quantidade de pulgas.

Felipe Liʍa

pra quem ja foi presidente do TSE, alguma coisa ele deve saber...

Felipe Liʍa

mas todos os especialistas na area de segurança falam q essa urna eletronica e mais FAKE que o Mundial do Palmeiras!!!!

Só ver quantos e quais paises utilizam essa mesma Urna Eletronica!!! Ninguem que essa "draga"

Exibir mais comentários