A Organização Mundial da Saúde (OMS) conduziu um estudo sobre telefones celulares e câncer de cérebro durante a última década. Os resultados, no entanto, podem desanimar um pouco: foram considerados “inconclusivos” pela agência da Organização das Nações Unidas (ONU). Isso significa, em outras palavras, que não podemos afirmar se o celular potencializa ou não o surgimento de câncer no cérebro.

Durante o período de dez anos, nada menos que 13 mil donos de celulares foram entrevistados, a fim de saber a relação entre o aparelho que hoje em dia qualquer um tem e o desenvolvimento de câncer. A pesquisa custou US$ 24 milhões (cerca de R$ 44 milhões), com parte do valor financiado por empresas fabricantes de dispositivos móveis.

Um gigantesco estudo sobre o efeito médico do uso de celulares foi iniciado recentemente na Europa. Uma amostra de 250 mil usuários (quase 20 vezes mais que aqueles pesquisados pela OMS) de aparelhos celulares vão ser pesquisados pelo período de 30 (isso mesmo: trinta) anos.

Esperemos que, até lá, não seja tarde demais.

Com informações: InformationWeek.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Emmanuel Carvalho
Era exatamente isso que eu ia dizer... =D
Hernani
Que neura isso O_O
Alexandre
Voce tem certeza? Pois voce está praticamente enfiando a CPU na sua orelha, e a cpu emite um campo magnetico. Vc já viu porque as torres de transmissao de energia sao sempre cercadas e tem sempre um placa avisando o risco de se estar proximo a ela? Entao, imagine vc com seu super celular com chip de sei la qntos gigas, emitindo ondas de radio do GPS, 3G, do bluetooth, ondas magneticas durante 10 anos. Voce está seguro que nada acontecerá? Eu nao, mas nao esquento a cabeca...
Aryana
A água causa câncer no cérebro. Pode perguntar para os 13 mil entrevistados, aposto que todos eles bebiam água.
Matheus Bonela
Na verdade, o poder de processamento dos aparelhos não tem influência alguma em relação às ondas de rádio emitidas pelos mesmos :P
Alexandre
O buraco é mais embaixo pois a cada avanco, a cada Ghz a mais de processamento, o possivel efeito cancerigeno muda, podendo ser maior ou menor.
taiã
"...com parte do valor financiado por empresas fabricantes de dispositivos móveis." ou seja, essas empresas podem manipular o resultado! e com certeza nao vao querer que suas vendas caiam, correto? ;)
@RafaelGalvao_
Esses estudos são uma piada, muitas coisas podem influenciar no surgimento de um câncer de cérebro, e mesmo que algumas das pessoas pesquisadas desenvolva um, não poderam garantir 100% que foi o celular, e vem cá, daqui a trinta anos vão existir celulares como os de hoje? eles vão mudando os aparelhos conforme a tecnologia vai mudando?
tplayer
Até lá (2040) será tarde demais. Eu como fumante pelo menos fico tranquilo já que morrerei de câncer de pulmão, logo posso usar celular sem medo.