A próxima evolução nas telecomunicações será o 5G, que promete velocidades mínimas de 100 Mb/s de download e estará preparada para dispositivos na internet das coisas. Teremos smartphones e laptops compatíveis já em 2019.

Tudo isso requer que a indústria de celulares — operadoras, fabricantes e governos — aceitem um mesmo padrão. E, após 34 meses de trabalho, isso enfim aconteceu: a especificação para o Standalone 5G NR está definida.

O 3GPP, organização que define os padrões para operadoras móveis, descreve isso como “a corrida final para a comercialização de 5G”, que começará nos EUA este ano e em outros países no ano que vem.

No final do ano passado, o 3GPP definiu o padrão Non-Standalone 5G NR (New Radio), que cobre uma ampla faixa de espectro e será construído em parte usando as redes 4G existentes.

Desta vez, temos a versão “standalone” do 5G, que poderá ser implementada onde não há infraestrutura de LTE. Ele foi definido após uma reunião com 1.500 especialistas em Busan, na Coreia do Sul.

Agora que essas duas metades da especificação foram concluídas, a indústria terá um alvo bem definido para fabricar equipamentos de rede, modems e antenas que funcionem no 5G.

No Brasil, essa tecnologia deve demorar um pouco para chegar (também foi assim com o 4G). Mas a Anatelcomeçou a estudar se destina a frequência de 3,5 GHz para o 5G; e algumas operadoras planejam encerrar suas redes 3G nos próximos anos para reaproveitarem as faixas de frequência.

Com informações: VentureBeat.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

paripela

Com certeza por estar tão próximo o posicionamento das antenas não dão qualidade de cobertura onde você está, já que o sinal se espalha em raios maiores conforme se distancia da ERB.

Bruno Sousa

Parece bem 2005...

Caleb Enyawbruce

Com essas velocidades ai a coisa muda totalmente. É um novo paradigma. Quando popularizar e estabilizar, vai ser bastante impactante. Mas até lá tem uma boa jornada ainda, infelizmente.

Caleb Enyawbruce

totalmente arcaico

Yago Oliveira

Andrômeda?

Gustavo Rotondo

dei azar. to fora dos 85,8% da vivo em kkkkk.

Jefferson Rodrigues

O 3G ainda cobre as minhas necessidades.

Anderson Marcos Charao Machado

Para o padrão 5g funcionar bem no Brasil, primeiro teria que tirar essa prática das operadoras brasileiras de limitar quantidade de dados de internet, porque, quanto mais rápida a conexão, mais rápido vai esgotar o plano.

Eliézer José Lonczynski

Ótima notícia, principalmente para quem for utilizar redes celulares em notebooks sempre conectados.

Yago G. Oliveira

Também pensei nisso.

ellxjwn

Só eu que achei o logotipo da tecnologia meio nostalgico em termos de design?

Fábio Moser

Se há muitos usuários dentro da frequência de 700 MHz, a velocidade cai sim. O ideal é manter os 2.5Ghz onde há grande concentração de pessoas. E usar os 700 por exemplo em um bairro com uma grande extensão territórial, mas pouca concentração de pessoas..

Fábio Moser

Sim, quanto menor a frequência maior é a distância que ela alcança, porém suporta menos dispositivos de forma simultânea.

emailx45

Bom, como a internet é muito veloz fica até difícil acompanhar as mudanças. Então, vamos a uma tabela de Fev/2018

Levando-se em consideração à nova imensa confiabilidade no que se houve dos órgão competente e empresas concessionárias, acredito que vamos alcançar os 100Mbits/segundos no 5G daqui a alguns anos/luZES.

Se ainda nos encontramos no 52º lugar na lista mundial, com a imensa referência de 18,42Mbits/s (2,36MBytes/s) então se fizermos uma continha bem rápida:

Singapura é 2,44x a nossa medida média (o que em muitas operadora isso é muito maior)

Aqui, a CLARO ainda é a que está em melhor posicionamento geral, conforme o relatório da OpenSignal. (https://www.techtudo.com.br...

Aí vem os "lobs", vem os "me dá o meu", vem os "e num tem nenhum pra mim?", etc...
Com sorte, e, altruísmo das operadoras poderem ter uma velocidade média (geral) de 44Mbits/s, enquanto Singapura salta para 2.44 x 44Mbits/s = 105Mbits/s (se já não estão em 200 atualmente)

E para quem não entendeu ainda as medidas, elas são todas em "bits", então, você pega o valor mostrados e divido por 8, para saber quantos "bytes/segundo" você tem naquele momento.

4Mbits / 8 = (4 / 8 * 1024) = 512KB/segundo == 1KB = 1024Bytes ou se quiser:
(4 * 1024) / 8 = 512KB

se der 300Kbits/s =>> 300 / 8 = 37,5 x 1024 = 38,4Bytes/segundo (em média, naturalmente)

Eta, paízimo de merda sô!

So pra lembrar que por aqui seu eu quiser usar o meu pré-pago TIM, todo dia o serviço me desconta (atualmente) R$1,49 (fora o valor que pago antecipado para poder ter o serviço telefônico sem nem mesmo utilizar dados - diz a operadora que o "sistema" faz uso da rede 4G para melhorar as chamadas de voz, hehehe, eu quase nenhum uso o telefome, so tenho para as emergencias e pouquissimos usos) sem qualquer iteração minha para usar dados. Somente por estar ativo no smartphone. Então, para refinar os custos do meu pré, sou obrigado a deixar o smartphone no canal 3G, ou voltar às cavernas e usar o 2G.

Resumo, se o smartphone estiver com a 4G como preferência, lá se vai R$1,49 todo dia, sem precisa nem tocar no telefone. Aí, meus créditos... de R$30,00 para 3 meses se vão em 20 dias.

Aqui, a TIM chegou a mostrar 4Mb/s = só no teste de velocidade, depois se quiser é 300kb/s é olha lá, quando o serviço não fica "...aguarde"

Lembrando ainda que a faixa 3G estará morta em todo Brasil em pouco tempo, graça às nossas operadoras concessionárias que querem economizar dinheiro e usar as faixas do 3G para usar o 5G futuramente. E, a ANATEL só em reuniões intermináveis que nunca dão em nada, ou quase nada.

Enquanto, o país na Copa pára pra ver 11 pernas-de-pau milionários em tv de 4K, sorridentes e mandando um "chupa" Brasil pra todos.

Ranking divulgado em Fev/2018
https://www.techtudo.com.br...

Confira os países que chegam na frente na corrida pelo 4G:

Singapura: 44,31 Mb/s
Holanda: 42,12 Mb/s
Noruega: 41,20 Mb/s
Coreia do Sul: 40,44 Mb/s
Hungria: 39,18 Mb/s
Bélgica: 36,13 Mb/s
Austrália: 36,08 Mb/s
Nova Zelândia: 33,52 Mb/s
Bulgária: 33,34 Mb/s
Dinamarca: 33,09 Mb/s

O Brasil alcançou a posição 52, a melhor para um país da América do Sul, de acordo com o relatório. A Colômbia figura dois postos atrás, com velocidade média de 18,42 Mb/s.

o resto do artigo está no link acima.

johndoe1981

xiiii...

Exibir mais comentários