O JPEG é um dos formatos de imagem mais utilizados no mundo. Esse padrão está comemorando 25 anos de existência e vai receber um sucessor, chamado JPEG XL, que deve resultar em arquivos 60% menores na mesma qualidade.

Segundo a CNET, o Joint Photographic Experts Group pediu que organizações interessadas enviem suas propostas de melhorar o JPEG até 1º de setembro.

Há outros objetivos além de reduzir o tamanho do arquivo. Isso inclui suporte a transparências e HDR; animações feitas a partir de múltiplos quadros, como o Live Photos da Apple; e ferramentas para adaptar uma imagem sob demanda, dependendo da velocidade da conexão e tamanho da tela.

Imagem via raphaelsilva/Pixabay

Já existe uma concorrência entre formatos de imagem. Talvez você tenha ouvido falar do HEIF (High Efficiency Image Format), suportado no iOS e macOS desde o ano passado, que ocupam menos espaço que o JPEG. Ele ganhou uma versão simplificada, o MIAF (Multi-Image Application Format), apoiada por Apple e Microsoft.

Há também o AVIF (AV1 Image Format), inspirado em codecs para vídeo, que está em desenvolvimento pela Mozilla, Google, Netflix e outras. Assim como o HEIF, ele tem suporte a transparências, HDR e fotos animadas.

E temos alguns formatos mais antigos: o WebP foi criado pelo Google em 2010; é o que usamos no Tecnoblog. Há ainda o JPEG XR, antes chamado de Windows Media Photo, criado pela Microsoft em 2009.

O excesso de formatos poderia se tornar um problema no futuro. Processar imagens via hardware consome menos energia que via software, e sabemos como a duração da bateria é importante em smartphones e laptops. No entanto, seria necessário convencer empresas de processadores — como ARM, Qualcomm, Apple e Intel — a embutir suporte.

Daí a importância de se escolher apenas um padrão. Felizmente, o MIAF ou o AVIF podem se tornar a base para o JPEG XL. A Microsoft e a Apple são participantes ativas do Joint Photographic Experts Group; e os engenheiros por trás do AVIF não descartam a ideia.

O JPEG sobreviveu por 25 anos porque é compatível com todo tipo de hardware (câmeras, celulares) e software (sistemas operacionais, navegadores web). Seu sucessor precisa atender ao mesmo requisito — e ocupar menos espaço.

À medida que migramos para telas com resoluções maiores, as empresas procuram formas de reduzir o tamanho de fotos e vídeos, para economizar espaço em servidores, poupar sua franquia de dados, e exibir tudo o mais rápido possível. O JPEG XL pode ajudar nisso.

Com informações: CNET.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luiz Vitor Monteiro

Não foi meu intuito ressuscitar. Só li hoje essa matéria. 🤷‍♂️

Diogo

Ah cara. Comentário já faz quase um mês. Deixa ele aí, pelo menos vai fazer alguém dar risada. Vergonha é você vir ressuscitar e comentar depois desse tempo.

Luiz Vitor Monteiro

depende. se você tem uma imagem com poucas cores, o arquivo final não é tão grande. mas se você pega uma foto de um celular comum e converte em png, o arquivo final vai ser proporcionalmente imenso, pois vai ter muitas informações de cores. pode fazer o teste.

Luiz Vitor Monteiro

já substituiram o GIF com MP4 sem audio que tem qualidade de imagem superior.
Substituiram o bluettoth (transferência de dados) por wi-fi.

você tentou, mas não lacrou.

Luiz Vitor Monteiro

apaga. tá passando vergonha

John Smith

Tem discussão que é tão retardada que dá preguiça de argumentar. Foi mal.

Vitor Mikaelson

Saudades argumentos.

John Smith

Cara, para que tá feio.

John Smith

Não é possível que você realmente está comparando diretamente um serviço com um formato de arquivo.

Diogo

Sim, pode ter sido até simplória demais, mas acho que não foi descabida. Na realidade ficou mal explicado, por isso ficou parecendo sem sentido. Mas enfim.

Diogo

USB é um formato de arquivo? Não sabia...

Diogo

Olha, pode não ser pelo Whatsapp, mas já tem celular que carregar por indução, sem precisar de cabos...

E obviamente não falei do USB me referindo a carregamento, né.

Vitor Mikaelson

A questão é que muita gente está usando ogg sem saber! Algo do tipo, mais de 150 milhões de usuários.
E sim, pessoas tem biblioteca em ogg e baixa em ogg, é a biblioteca do Spotify. ;)
Também tem o iTunes e Apple Music, que usam AAC.

Paul

Vc hje tá que tá... Kkkkkk

Vitor Mikaelson

Spotify não usa MP3, então...

Exibir mais comentários