Início » Negócios » Como a agilidade e a renovação foram cruciais para o sucesso destes negócios

Como a agilidade e a renovação foram cruciais para o sucesso destes negócios

O que China In Box, Netflix e Love Mondays têm em comum?

Paulo Higa Por
1 ano e meio atrás

Que a agilidade é fundamental para o sucesso de uma empresa, todo empreendedor sabe. Renovação é outro assunto que já está na cabeça de qualquer gestor: nada pior que um negócio que envelhece junto com quem o administra. Mas como aplicar esses conceitos tão simples na prática?

Os dois temas foram uma constante no Oracle OpenWorld Brasil 2018, evento que reuniu 18 mil profissionais, especialistas e parceiros da Oracle nesta semana no Parque Ibirapuera, em São Paulo, para discutir tendências em tecnologia e mostrar casos de sucesso no mundo dos negócios. Confira alguns para se inspirar:

China In Box

O dentista Robinson Shiba resolveu abrir um negócio de entrega de comida chinesa no Brasil quando havia poucas opções no mercado: você tinha delivery de pizza por telefone, talvez sanduíche, e a marca China In Box cairia bem em uma loja de box de banheiro com inspirações orientais. Deu certo: o grupo, que também conta com o Gendai, serve atualmente 6,5 milhões de pratos por ano.

Só que a empresa passou por uma crise: há alguns anos, o faturamento havia caído de 25% a 30% e estava com tendência de queda. Depois de renovar o negócio, as vendas rapidamente voltaram ao mesmo patamar de antes.

No centro, Robinson Shiba, fundador do China In Box

Com humor, Shiba lembrou de uma história com sua filha: “Eu peço muita comida delivery para testar meus concorrentes. Nós temos uma pastinha com os folhetinhos [dos restaurantes], e pedi para minha filha trazer um. Ela voltou com um celular. Eu disse: ‘Filha, celular eu já tenho, eu não tenho o número do telefone do restaurante’. Ela respondeu que tinha um aplicativo chamado iFood com todos os restaurantes que entregam em casa, só não tinha o China In Box e o Gendai”.

“Eu sou da época do mimeógrafo. A grande inovação do China In Box foi colocar foto em folheto, reinventar mochila de entregador, biscoitinho da sorte”, disse Shiba. “Depois que entendi, chamei toda a equipe e passamos a investir muito em tecnologia e em novos meios de se comunicar com o consumidor. Percebi que sem muita tecnologia embarcada no meu negócio, eu não duraria mais dois anos”.

Netflix

Ninguém precisa ser apresentado à Netflix, uma gigante do streaming com mais de 125 milhões de assinantes e presença em 190 países. Nem sempre foi assim: em 1997, quando a empresa surgiu, o negócio consistia em entregar DVDs pelo correio nos Estados Unidos e ainda estava longe de preocupar a Blockbuster.

O cofundador Mitch Lowe mostrou no Oracle OpenWorld que ser rápido e não ter medo de errar foi fundamental para que a Netflix chegasse onde está. “Uma pessoa em Denver uma vez nos disse: sabe, quando eu pedi o DVD, eu queria assistir a uma comédia, mas quando o DVD chegou, três dias depois, eu queria ver um drama”, conta Lowe. Na época, a solução foi construir vários centros de distribuição no país, para que todos os assinantes pudessem receber DVDs em um dia.

O ponto de virada foi em 2007, quando a Netflix lançou um serviço de assinatura por streaming, um novo negócio que poderia matar o negócio principal. De fato, em 2011, quando a empresa se dividiu, aumentou o valor da assinatura e tornou o streaming independente das entregas de DVD, as ações despencaram 50% em dois meses. Só que, naquele ano, a Netflix estava se expandindo fortemente (foi quando chegou ao Brasil) e não demorou para se tornar uma potência internacional.

A Blockbuster, que em 2000 recusou a proposta de adquirir a Netflix por US$ 50 milhões, fechou as portas, enquanto a Netflix atingiu um valor de mercado de US$ 180 bilhões.

Love Mondays

David Curran, cofundador da Love Mondays, tem “muita vergonha” da primeira versão do site que permite aos profissionais avaliarem suas empresas, mas não se arrepende. “Uma ideia bem comum em startups é a do MVP [mínimo produto viável], de criar um produto com características mínimas para testar no mercado, receber um feedback, melhorar, mudar e testar de novo. Fomos descobrindo e executando, para receber feedback mais rápido e aprender mais rápido”, diz.

“Se não tem vergonha com o primeiro lançamento do seu produto, você lançou tarde demais. […] Especialmente nesse mundo da tecnologia, se você passa muito tempo desenvolvendo uma coisa, sem receber feedback do mercado, acho que cria uma situação com menos certeza de que vai dar certo quando o lançamento vier”, conta Curran.

Fundada no Brasil em 2014, a Love Mondays recebeu investimento de US$ 2 milhões e, em 2016, foi adquirida pelo Glassdoor, referência em busca de empregos e avaliações de negócios nos Estados Unidos. Hoje, a Love Mondays tem mais de 1 milhão de salários e avaliações de ambientes de trabalho e de entrevistas para 115 mil empresas.

*****

O Oracle OpenWorld Brasil 2018 acabou, mas a Oracle continua fornecendo soluções inovadoras, ágeis e robustas para todos empresas de todos os tamanhos e setores, como finanças, saúde, manufatura, construção, educação, hospitalidade, varejo e mais. Conheça a solução ideal para o seu negócio.