Depois de o Facebook ser afetado pelo escândalo com aplicativos de terceiros, é a vez do Gmail passar por algo parecido. O serviço foi assunto de uma reportagem do Wall Street Journal, destacando que alguns desenvolvedores fora do Google podem ler seus e-mails.

Apesar de exigir o consentimento dos usuários, o Google nunca deixou claro que humanos trabalhando em outras empresas poderiam ler mensagens privadas. Essa permissão é obtida quando você usa sua conta para acessar gerenciadores de e-mail, comparadores de preços e planejadores de viagens, por exemplo.

Proteja-se! 6 dicas para dar mais segurança à sua conta do Gmail (e Google)

Lendo seus e-mails

Há vários anos, o Gmail vem analisando suas mensagens para oferecer anúncios direcionados, mas o Google sempre tomou o cuidado de avisar que isso é feito de forma automática. Enquanto isso, algumas empresas adotaram a prática de colocar funcionários para ler e-mails dos usuários, de acordo com o WSJ.

Uma delas é a Return Path, que oferece dados coletados na caixa de entrada dos usuários para outras companhias. A empresa obtém as informações depois que alguém se cadastra em apps próprios ou de parceiros.

Segundo a reportagem, cerca de duas milhões de pessoas já se cadastraram em serviços que possuem ligação com a Return Path. E não é só o Gmail que pode ser usado para captar as informações: muitos usuários se cadastram usando e-mails da Microsoft ou do Yahoo.

Tela para aplicativos de terceiros pedirem para acessar suas informações

Diariamente, a Return Path analisa 100 milhões de mensagens para indicar aos seus clientes se e-mails comerciais realmente estão sendo lidos. O serviço informa às empresas quais formatos de mensagens conseguem alcançar mais pessoas. Ele também mostra os e-mails que marcas concorrentes estão enviando.

Em seu funcionamento normal, o sistema da Return Path retira os e-mails pessoais de sua análise. Ele faz isso com base no nome do remetente e em palavras específicas dentro do texto, como “avó” e “mãe”. No entanto, uma falha ocorrida em 2016 fez a companhia classificar vários e-mails pessoais como comerciais.

A empresa decidiu contratar funcionários para corrigir o problema. Para isso, eles leram cerca de oito mil e-mails e definiram as categorias manualmente. O serviço ajudou a Return Path a corrigir seu software e oferecer mais precisão para seus clientes. Tudo isso graças a informações que deveriam ser privadas.

Gmail - smartphone

“Tomamos muito cuidado”

A Return Path se defendeu em comunicado, dizendo: “sempre que nossos engenheiros ou cientistas de dados analisam e-mails pessoalmente (o que é totalmente consistente com nossas políticas), tomamos muito cuidado para limitar quem pode ver aos dados, e supervisionamos todo o acesso”.

A Edison Software também é mencionada pelo WSJ: seus engenheiros viram centenas de milhares de mensagens de e-mail para treinar algoritmos. Ela diz em comunicado: “interrompemos essa prática e eliminamos todos esses dados”.

Como nota o The Verge, as políticas de privacidade da Return Path e da Edison Software mencionam que as empresas monitoram e-mails, mas não deixam claro que isso nem sempre é feito de forma automática — humanos podem ter acesso.

E em sua defesa, o Google diz que os dados são liberados somente para desenvolvedores habilitados que têm a permissão dos usuários. A própria empresa admite que seus funcionários podem ler seus e-mails. No entanto, isso ocorre “em casos muito específicos em que você nos pede e dá o consentimento, ou onde precisamos para fins de segurança, como investigar um bug ou abuso”.

O mais curioso em todo esse caso é que há cerca de um ano, o Gmail disse que deixaria de analisar mensagens para oferecer publicidade direcionada. O serviço explicou que o objetivo era oferecer uma garantia para os clientes empresariais não ficarem apreensivos quanto à segurança de suas informações. Apesar disso, a permissão para uma série de aplicativos de terceiros foi mantida.

Apesar de Microsoft e Yahoo oferecerem o mesmo acesso para desenvolvedores, o caso do Gmail é ainda mais grave, já que o serviço conta com cerca de 1,4 bilhão de usuários.

Como evitar que outras pessoas leiam seu e-mail

Os principais serviços contam com ferramentas para você revisar os apps de terceiros que têm acesso às suas informações.

Clique nos links abaixo para conferir quais apps têm acesso à sua conta no:

Você deverá ver uma lista com outros serviços que receberam permissão para acessar algum dado pessoal. A recomendação é cancelar a autorização para aplicativos que você não se lembra para que servem ou que não usa mais.

Outra dica é sempre checar os direitos concedidos aos desenvolvedores nas próximas vezes que você se cadastrar em um serviço.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

johndoe1981

A diferença é que o governo chinês monitora a vida do cidadão para fins de censura e controle.

Echeverrya Avila

Olha só que interessante!
E a mídia ocidental sempre fazendo barulho sobre a vigilância do governo chinês sob os cidadãos... Se um morador chinês, la do meio do mato, em sua plantação de arroz, coloca uma câmera na calçada por questões de segurança (ou o governo coloca), dizem que ele está vigiando e controlando a população da calçada!

Só esqueceram de falar que no ocidente acontece a mesma coisa. A diferença é (talvez), que no ocidente, as pessoas 'entregam' seus dados à empresas privadas invés de ao governo (Que no final, pode acabar obtendo os mesmos dados. - vide NSA e similares)

A verdade é que já se vive em uma era tecnológica onde a vigilância está presente, em alguns casos de forma explícita, mas em muitos outros (e talvez até maiores), de forma implícita.

🧙‍♂️ Mago Erudito® ᴾᴿᴱᴹᴵᵁᴹ

Eu já entreguei minha alma pra Google faz anos, desisti.

Orochimaru

A maioria só envia "bosta" no Gmail.

Orochimaru

Eu afirmo isso eu estava lá eu era o Notebook que o funcionário usou para ler o e-mail.

Caleb Enyawbruce

Pra mim isso é um absurdo completo. Não existe lógica alguma em existir uma politica de liberacao de acesso a terceiros aos emails dos usuarios. Sem noção!
Nas minhas permissoes so apareceu o Google Chrome e o Google Wallet. Nada de terceiros