Antigamente era muito comum recorrermos a métodos ilegais para ter acesso às nossas músicas, séries e jogos favoritos. Mas com o avanço da tecnologia, será que a pirataria ainda é algo inevitável?

Neste episódio conversamos sobre a nossa forma de consumir conteúdo nos dias de hoje. Aperta o play e vem com a gente!

Participantes

Assine o Tecnocast

Edição e Sonorização

Tecnocast é editado por Paulo Barba.

Arte da Capa

Arte da capa feita pelos nossos amigos da Ilustrata! <3

Assistente de Compras do TB

Comprar pelo melhor preço é muito mais fácil com o Assistente de Compras do Tecnoblog. Nossa extensão monitora milhões de produtos em centenas de lojas e te avisa se ele está em seu melhor preço. Ela ainda conta com um módulo Testador de Cupons que coleta e aplica automaticamente cupons de desconto no seu carrinho de compras.

Usando o Assistente de Compras no seu Chrome você também ajuda o TB a produzir o melhor conteúdo de tecnologia do Brasil. Baixe agora!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Yui

Cadê os links dos videos?

Paulo Rená da Silva Santarém

Creio que faltou problematizar o termo "pirataria".

A legislação no Brasil* define a pirataria como o crime consistente em qualquer violação de direito de autor ou direitos conexos, para obras intelectuais ou softwares, e prevê penas que variam de 3 meses a 4 anos, com ou sem multa.

Essa definição legal é muito imprecisa. Entre as interpretações mais endurecedoras da lei e as
exceções de aplicação cada vez mais residuais, as fronteiras dos direitos de autor e conexos não podem ser delimitadas de forma clara, gerando uma grande área cinzenta em que não se sabe ao certo quais práticas são ou não ilícitas.

* O art. 1º do Decreto nº 5.244, de 2004, que regulamenta o Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual – CNCP, constitui crime de pirataria: “a violação aos direitos autorais de que tratam as Leis nos 9.609 e 9.610, ambas de 19 de fevereiro de 1998“; o art. 184 do Código Penal define como crime “violar os direitos de autor e os que lhe são conexos” e comina a pena de “detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa“, que pode ser aumentada para “reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa” caso haja “intuito de lucro direto ou indireto“.

Eduardo Cativo

Nenhuma menção ao iTunes Music, nem ao Apple Music? Afinal a história diz que a Apple tem papel importantíssimo ao modo como consumismo música hoje em dia e o cast só fala em Spotfy. Quem começou primeiro foi a iTunes Music com a música custando 1 dólar e os iPods.

Eduardo Cativo

Parabéns pelo cast. No entanto um podcast praticamente sobre músicas sem uma menção na Apple e em cada 10 palavras, 8 o Spotfy, sem mostrar o Apple Music e suas diferenças como Biblioteca de Musicas no iCloud que faz músicas alternativas em CD subirem para o servidor, além de videoclipes, coisas que o Spotfy nao tem faz, soa estranho assim como jabá pago. Caíram no meu conceito pois em nenhum momento fala-se em Apple que sempre foi sinônimo de musica. E se o tema é pirataria como nao falar na iTunes Music?

Mouta

Não sou a favor da pirataria, para deixar bem claro.😁

Mouta

Quanto filmes e séries:
Filmes e séries badaladas / bem produzidas, eu vejo que o spoiler é uma forma de evitar a pirataria (veja por exemplo a audiência de Game of Thrones e as bilheterias do Universo Marvel no Cinema).
Teve uma declaração um tempo atrás de executivo da HBO, dizendo que a HBO não era prejudicada com pirataria, ou que ele não se importava. Logo depois ele se retratou. Isso me fez pensar sobre o motivo daquela declaração, e eu cheguei na conclusão de que a pirataria é mais inclusiva. Ou seja, mas pessoas conhecem a Game of Thrones e HBO do que antes, e isso é uma forma de se promover (fora a venda de produtos licenciados).

Sobre músicas
Radiohead foi uma das primeiras grandes bandas a disponibilizar um álbum completo pelo preço que vc quiser, para se tornar algo mais justo. Logo teve uma onda de bandas fazendo da mesma forma (ou mesmo de graça), isso em épocas que não rolava Spotify, por exemplo. As grandes bandas já haviam caído na realidade que não ganhavam com a venda de álbuns, e sim com turnês, etc.

No fim das contas, os grandes estúdios e gravadoras são, de alguma forma, beneficiados com a pirataria, por que isso atrai o público para outra forma de consumir o mesmo produto, e pagando o dobro por ele.

Guilherme Araujo

Pessoal, só avisando que o feed no Spotify ainda não está atualizado 😊

Caio Martins

A pirataria de músicas e vídeos só vai existir enquanto as pessoas não tiverem um mínimo de educação financeira. Porque com serviços baratos de streaming como Netflix, Amazon prime, Spotify e até o Google Play (para aqueles filmes específicos que vc não acha nas outras opções), não acho que exista justificativa. Se vc não consegue pagar R$ 7,90 no mês (caso da Amazon), mas consegue ter um celular/notebook/TV e acesso legal a internet banda larga, tem algo de errado na forma como vc gasta seu dinheiro amigo! Pirataria de jogos tb é um absurdo com serviços como o Steam, Battlenet e Origin (onde vc encontra bons jogos baratos se souber esperar uma promoção).
Agora tem outros tipos de pirataria que já acho um pouco mais justificável, principalmente quando não existe uma solução barata (pirataria de artigos científicos, livros técnicos estrangeiros que chegam na casa dos R$800 por causa de impostos sobre impostos, softwares específicos muito caros para os quais não existe uma alternativa open-source decente). Nestes últimos casos acho que dá para fazer um pouco de vista grossa.

Guilherme Batista

Ou quem não tem tempo de ir de segunda a quinta

Marco Antonio

Muito obrigado! o/

Matheus Gonçalves

Opa, passei pro Mobilon, mas acho que não deu tempo ainda de atualizar o post:

Dois documentários:

1983 - O Ano dos Videogames no Brasil
https://www.youtube.com/wat...

A série Paralelos:
https://www.redbull.com/br-...

E se quiser ouvir em versão áudio, tem esse podcast que fala especificamente de como a Tectoy fez o mercado de games sair da informalidade, pra legalidade:

http://toadcast.com.br/epis...

https://uploads.disquscdn.c...

thejorsias

Faltou falar dos programas da Adobe ou de criação em geral. Tem muita gente que aprende no pirata e depois paga pelo serviço (e tem os que continuam não pagando).

Marcio Decat

So brasileiros mesmo pra achar que 'e possivel ser honesto e piratear ao mesmo tempo. depois reclamam de corrupcao

Vinicius Duarte

Sobre o podcast:
Moto Maxx: foi citado na leitura de emails. Ainda é o meu atual, de longe o celular que há mais tempo estou sem mudar. O início foi lindo, mas a bateria realmente caiu demais depois de 6 meses. Hoje tá beeeem fraca. O celular estava insuportável, estava pensando em comprar um S9, mas vou deixar pro final do ano, até pq restaurei de fábrica o Maxx e ficou muuito bom ainda!

Sobre o box de Friends: fiz EXATAMENTE a mesma coisa hahhahhahahah comprei somente para agradecer, já que na Black Friday ficou baratinho. Nunca assisti, somente pela Netflix mesmo!

LekyChan

depende do hoarrio em que se trabalha, meu turno é das 8 as 17, consigo ir num cinema no meio da semana tranquilamente.

Exibir mais comentários