Início » Aplicativos e Software » Google Chrome usa até 13% mais RAM após correção para Spectre

Google Chrome usa até 13% mais RAM após correção para Spectre

Chrome usa isolamento de sites para mitigar a falha Spectre no Windows, Mac, Linux e Chrome OS

Felipe Ventura Por

O Google Chrome ativou um novo recurso de segurança, chamado isolamento de sites, para 99% dos usuários do Windows, Mac, Linux e Chrome OS. Ele mitiga o Spectre, falha grave que afeta processadores da Intel, AMD e ARM. No entanto, isso pode consumir até 13% mais RAM.

Como explica a CNET, o isolamento de sites é uma grande mudança para o Chrome. Isso afeta o renderizador, uma parte central do navegador, que transforma o código do site em pixels na tela do celular ou computador.

Foto por Leonardo Augusto Matsuda/Flickr

Desde 2008, quando foi lançado, o Chrome separa as abas em processos distintos. Isso aumenta o consumo de RAM, mas também significa que um site malicioso terá dificuldade em interferir em outras abas — ele precisa quebrar a sandbox antes.

Isso se tornou ainda mais restrito com o Chrome 67, lançado em maio. Além do site que você abriu, cada aba contém seu próprio renderizador para exibir o conteúdo na tela. Esse isolamento serve para proteger melhor o usuário, impedindo que sites roubem dados confidenciais.

Infelizmente, isso significa que o Chrome precisa de ainda mais memória. O aumento é de 10% a 13% para usuários com muitas abas abertas, segundo o Google. Isso já está valendo para desktops; no futuro, a versão para Android também será contemplada.

O isolamento de sites é uma técnica que vem sendo desenvolvida há dez anos. Este é o tema do Ph.D. de Charlie Reis, engenheiro de software que faz parte da equipe do Chrome. O Google passou a trabalhar nisso há cerca de seis anos.

O projeto ganhou relevância após a descoberta da falha Spectre. Ela permite que um aplicativo vaze informações confidenciais para outro, quebrando mecanismos de segurança como o sandbox do Chrome.

Desde então, a AMD liberou atualizações para seus processadores, e a Microsoft passou a distribuir correções da Intel para o Spectre. A Intel reprojetou os processadores Xeon e Core da 8ª geração para eliminar essa falha, além do Meltdown.

Com informações: Google, CNET.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

paulo yan

Opera aquele que foi vendido pros chineses? Deus me livre

Agnaldo Carmo

O problema de usar o Edge e a falta de sincronização com o Android.

StNz

Tá então já coloquem os requisitos minimos e recomendados pra rodar o Chrome

johndoe1981

Eita!

Monscriser

Com extensão, adblock, Google tradutor, Magic Actions for YouTube, senhas Avast, idm... Etc

johndoe1981

Com ou sem extensões, como adblockers?

johndoe1981

Google Chrome, aka Pac RAM.

Vitor Hugo

o Chrome chegou onde está porque tem o Google atrás recomendando o uso quando você abre o google.com, assim como o IE foi líder por muito tempo por conta da Microsoft que o embutia no Windows.

Macgyver Freitas

De n me engano 8° geração ainda tem as falhas, e a correção tlvz venha no próximo

Guilherme

agora ele usa ram até do computador do seu vizinho

Eric Viana

foi sim... houve um momento em que ele consumia memória e era lento para iniciar... foi por causa disso e da eterna incompatibilidade do IE com scripts, css e a vida que o Chrome chegou onde está.

Bruno

Firefox nunca foi vilão!

Monscriser

20 abas abertas aqui e deu 2,1Gb de RAM usada, pra mim tá ok

SUPREMA AUTORIDADE MÁXIMA

Ué. Aprendi com os #TechManja que o Chrome é o melhor navegador e o Edge só serve pra instalar o Chrome. Man quando eu digo que a Microsoft tá perdendo dinheiro em não contratar esses especialistas, eu falo sério ashuashuashua

#TechManja

Franco Luiz

eu acabei de larga o opera , o meu opera so com twitter aberto tava comendo 2 gigas de ram , comecei a usar o edge q n comia nem 700mb fora q carrega mais rapido a maior parte dos sites

Exibir mais comentários