Início » Negócios » Blockbuster ainda existe, mas sobrou apenas uma loja nos EUA

Blockbuster ainda existe, mas sobrou apenas uma loja nos EUA

No Brasil, as operações da Blockbuster foram adquiridas pelas Lojas Americanas em 2007

Felipe Ventura Por

Lembra quando você ia até a locadora mais próxima e ficava analisando o catálogo de DVD ou VHS para decidir qual filme assistir? Era importante devolver o disco no prazo, para não levar multa; e, se possível, rebobinar a fita.

Essa era acabou há alguns anos com a popularização da Netflix e outros serviços de streaming. A Blockbuster, que já teve 8.500 lojas nos EUA, decretou falência em 2011 e encerrou suas operações próprias. No entanto, as unidades franqueadas continuaram na ativa desde então — e só estão morrendo agora.

Foto via Facebook

Blockbuster em Anchorage, Alasca, que vai encerrar suas atividades

As duas últimas lojas da Blockbuster no Alasca vão encerrar suas atividades. Localizadas nas cidades de Anchorage e Fairbanks, elas deixarão de alugar filmes na próxima segunda-feira (16), e reabrirão para liquidar o estoque até o final de agosto.

Alan Payne, dono das duas lojas, diz ao Anchorage Daily News que ambas ainda são lucrativas, mas a rentabilidade vem caindo muito rápido e não faria sentido renovar o contrato.

É curioso que a Blockbuster tenha resistido por tanto tempo no Alasca, mas há alguns motivos. A internet pode ser bastante cara por lá, com operadoras cobrando por gigabyte consumido. Além disso, as velocidades são mais baixas que no restante dos EUA — uma média de 8 Mb/s.

Há também o fator nostalgia. Algumas pessoas visitam a loja para se lembrar dos velhos tempos. Outras sequer entram lá, e só tiram uma foto na fachada. Em junho, a página oficial da Blockbuster Alaska no Facebook dizia: “nós estamos vendo vocês tirando selfies na frente das nossas lojas, mostrem-nas para nós!”.

As três lojas da Blockbuster que restaram nos EUA (fonte)

Uma nos EUA, algumas na Austrália

Vai sobrar apenas uma Blockbuster nos EUA, localizada em Bend, Oregon. Ela também é franqueada. As lojas próprias foram encerradas em 2013, dois anos após a aquisição da empresa pela Dish Network, operadora de TV por assinatura via satélite. Ela pagou US$ 320,6 milhões na época.

No entanto, a locadora segue com alguma presença na Austrália, com lojas e quiosques ainda funcionando. O site oficial lista alguns filmes recentes, como Um Lugar Silencioso e Círculo de Fogo: A Revolta, e tem até uma revista digital sobre os últimos lançamentos.

Steve Hurnac, que comanda uma loja na cidade australiana de Fairview, disse à Vice no ano passado: “notamos que muitas pessoas vêm até nós porque não conseguem uma boa conexão à internet. E algumas não parecem estar satisfeitas com a seleção da Netflix.”

Blockbuster no Brasil

No Brasil, a Blockbuster abriu suas primeiras lojas em 1995. Suas operações foram adquiridas pelo grupo das Lojas Americanas no final de 2006. Desde então, elas se tornaram parte da rede de varejo dentro da marca Americanas Express, e assim podiam oferecer outros produtos.

No entanto, com o declínio do aluguel de DVDs e fitas, a marca Blockbuster deixou de ser usada. Ao entrar em blockbuster.com.br — que um dia foi o site oficial da empresa para o Brasil — você se depara com a mensagem de que esse domínio “ainda não está ativo”.

É um destino semelhante ao da 2001 Vídeo, tradicional videolocadora de São Paulo que fechou suas lojas físicas em 2015. Ela se destacava pelo catálogo de filmes de arte e independentes, e esteve em funcionamento por 33 anos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Ronaldo Cesar

Poxa.

Caio The Brain

A Blockbuster é mote de um dos episódios da série Jean-Claude Van Johnson.

Pra quem curte essa nostalgia 80s/90s, recomendo. É curtinha. São só 6 episódios.

É do Amazon Prime Video.

Darllan Marinho

Acho que não faz sentido comparar Blockbuster com Netflix, são serviços diferentes, faz mais sentido comparar com o Looke, que é um serviço de aluguel de filmes por demanda. Aqui em Natal ainda conheço umas três locadoras que sobrevivem, porém, segundo conversei com o dono de uma delas, a receita ainda mantém algum lucro com os Bluray, pois, ainda existe um grande público que dá valor à qualidade do áudio e vídeo, coisa que somente recentemente a Netflix incorporou ao serviço, mesmo assim, exigindo uma boa conexão com a internet.

Outra fonte de receita está no home theater, sessão da loja que está focada na experiência de áudio, com venda de projetores, home theaters, caixas de som, etc.

Miguel Martins

caramba! lembro demais disso.

Thiago Mocci

Tem um esoaço pra locadoras da mesma forma de lojas de relíquias, de discos e afins. Espero que sempre tenha pelo menos umas 5 lojas da Blockbuster abertas, pela nostalgia mesmo. Podia inclusive nem ter DVD e Bluray, foca no VHS e fitas de videogames, coloca umas salas privadas pra pessoa alugar e assistir na TV de Tubo, lá sei. Dá pra reviver bons tempos.

Baio-kun

Vale ressaltar que pouquíssimas conexões suportam qualidade total de blu-ray. Poderia funcionar, mas seria algo de nicho.

pedrowillyam

Tem o Philos.tv da Globosat com documentários e conteúdos um pouco mais cult, não sei se é do jeito que você quer.

Rod

Mas o cara vai querer consumir conteúdo em 4K sem ter Internet que suporte?

Sei lá, acho mais fácil a pessoa assistir em full HD mesmo, que pagar alguma assinatura de algo e alugar mídia física.

Robert Rey

A questão hoje não é só a resolução, e sim a qualidade/tecnologia da tela, seja ela led, oled, qled, etc. Ai sim se vê diferença, e geralmente essas Tv's com tecnologia de tela mais avançada já são 4k

Robert Rey

Não necessariamente, no norte/nordeste ainda é muito comum mesmo em capitais os planos gravitarem em torno de 10/15mb. E com essa velocidade streaming de 4k se torna complicado.

Rod

Mais esclarecida em termos de tecnologia....

Oli

Pessoas mais esclarecidas, kkkkk. Quem tem tv 4k é realmente ve alguma diferença tem é visão de águia. 98% das pessoas sentadas a uma distância correta de uma tv não consegue ver diferença alguma.

johndoe1981

Morri de nostalgia vendo isso, que saudades dessa época :')

Rod

Ah cara, acho que no máximo seria algo muito de nicho.

Em cidade grande / média, qualquer plano de banda larga na começa em 25/30mb.

E chuto que uns 90% da população more nessas cidades.

Fora que, quem tem uma TV 4K e exige conteúdo 4K, geralmente são pessoas mais esclarecidas e de melhor condição, que provavelmente já tem um bom plano de banda larga.

MJuliani

Mas a tecnologia não afastou ninguém, você pode convidar os amigos pra ir em casa assistir a um filme qualquer com pipoca e refrigerante numa boa, mas quem faz isso? Todo mundo prefere ficar em casa sozinho assistindo Netflix e postar o que achou nas redes sociais.

Exibir mais comentários