Início » Aplicativos e Software » Tinder gay: veja 7 aplicativos parecidos com o Tinder para o público LGBT

Tinder gay: veja 7 aplicativos parecidos com o Tinder para o público LGBT

Grindr, Hornet, Her, Femme, G Encontros e diversos outros aplicativos são uma alternativa ao Tinder para LGBTQs

Jean Prado Por

Se você é LGBT e não encontrou um espaço no Tinder gay, saiba que há outros aplicativos exclusivamente para quem não é heterossexual e quer sair com alguém. Nós listamos 7 apps de relacionamento para o público LGBTQ+ e existem diversas opções para qualquer orientação sexual ou identidade de gênero.

Foto: Julie Missbutterflies/Flickr

Se você ainda quer permanecer no Tinder, tudo bem: deixe "Procurando por" para homens ou mulheres, dependendo da sua orientação, nas configurações do aplicativo. Porém, há outras alternativas ao Tinder gay com outros recursos e propostas interessantes. Olha só:

Tinder gay: alternativas ao Tinder para público LGBT

1. Grindr

Provavelmente o Grindr é o app de relacionamento mais popular dentro do público LGBT; ele abrange o público gay, bi, trans e pessoas queer, segundo o site. O app mostra as pessoas que estão ao seu redor na tela inicial pela foto e nome de perfil.

https://youtu.be/XIXQQEISTK4

Não existe match, como no Tinder: se você gostou de alguém, basta chamar a pessoa no chat. Ao contrário do Tinder, a conversa mostra uma confirmação de que a pessoa leu a mensagem. O perfil no Grindr pode ser atualizado de diversas maneiras, tem espaço para incluir o último teste de HIV e até consegue definir um lembrete de refazer o teste em 3 meses ou 6 meses.

Recentemente, o aplicativo se envolveu em um escândalo: foi descoberto que ele compartilhava o status de HIV dos usuários, além da localização, com outras empresas. Definitivamente é um fator de risco para a segurança dos usuários e deve ser levado em consideração na hora de fazer ou não o cadastro.

2. Hornet

Também para o público LGBT, o Hornet tem uma dinâmica muito parecida com a do Grindr. O app mostra as pessoas próximas a você, mas o chat não tem confirmação de leitura. Ao contrário do Grindr, o Hornet funciona na web.

No app, além de colocar fotos públicas, você pode bloquear parte das fotos (sejam nudes ou não) e só garantir o acesso para usuários selecionados. O Hornet tem uma aba Stories, mas não é o que você pensa: essa seção reúne dicas e notícias curadas pelo aplicativo.

3. Femme

Só para mulheres (e por enquanto só no Android), o Femme é exclusivo para mulheres homossexuais e bissexuais. Ele faz parte do Grupo Match, empresa que criou o Tinder e se mostra como um espaço seguro para o público LGBT feminino.

São mais de 10 mil novos cadastros por mês, segundo os desenvolvedores. Para manter tudo organizado e seguro, o aplicativo mantém uma ferramenta chamada Denuncie, para garantir um ambiente onde você não vai encontrar perfis fakes (falsos) de homens.

4. G Encontros

Brasileiro, o G Encontros é um dos mais antigos sites de relacionamento para o público LGBT. Já há algum tempo, ele tem um aplicativo para Android, mas não para iPhone. Desde 2010 no ar, a equipe avisa que tem um time dedicado 24 horas para garantir a segurança no ambiente virtual e mantê-lo livre de preconceitos.

O G Encontros tem mais de 1 milhão de pessoas cadastradas. Se você encontrar alguém que te interessa, curta o perfil ou envie uma mensagem para começar uma conversa.

5. Brenda/Wapa

Antes chamado de Brenda, o Wapa é mais um app para mulheres lésbicas ou bissexuais. Ele mostra as pessoas próximas de você e oferece mensagens de vídeo com até 60 segundos de duração, tradução de recados e “modo de viagem”.

A interface é bem parecida com a do Grindr e Hornet, então se você é mulher e não se acostumou com outros aplicativos, o Wapa pode ser uma boa opção. Segundo a equipe, o app é moderado para garantir que os perfis de mulheres são genuínos.

6. Scruff

Mais um app para o público masculino, o Scruff tem mais de 12 milhões de usuários e possui filtros de busca para você encontrar o que quer. Além de mostrar os perfis próximos a você, a aba Match funciona como um Tinder gay: você dá like nos caras que quer conhecer pessoalmente.

Caso você esteja viajando, o app também tem uma aba Venture; por meio dela, é possível conhecer pessoais locais e pedir dicas do que conhecer. Ele não tem versão web: precisa ser usado no Android ou iPhone.

7. Her

Por fim, o aplicativo Her é mais uma alternativa ao Tinder para o público LGBT. "De lésbicas a queers, a afeminados, trans, fluidos e qualquer coisa no mesmo, o Her está aqui para você", diz a página inicial do app. A proposta é bem inclusiva.

O Her é um dos aplicativos mais seguros para pessoas trans e não-binárias; segundo os criadores, é o lugar onde você pode explorar a sua identidade, mais do que achar um par. Para usá-lo, baixe o app no Android ou iPhone.