O governo do Reino Unido anunciou um pacote de medidas para aumentar a competitividade internacional da região, oferecendo estrutura necessária para a implementação do 5G e, como consequência, fibra ótica para todo mundo que está morando por lá.

O plano foi anunciado nesta segunda-feira (23), durante a publicação de uma análise da futura infraestrutura de telecomunicações. Hoje, o Reino Unido está atrasado quando comparado com a disponibilidade de fibra em países próximos da Europa (4% de cobertura local, contra 71% da Espanha ou 89% de Portugal) e a mudança promete entregar este tipo de conexão para 15 milhões de instalações até 2025.

O prazo de entregar fibra para todos os países que fazem parte do Reino Unido (Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales) finaliza em 2033. Além disso, a cobertura de sinal 5G deve cobrir a maioria das grandes cidades no mesmo prazo e toda a estrutura também estará disponível para áreas rurais, de difícil acesso.

Fibra óptica

Para ajudar na implementação mais veloz, o governo da Rainha permitiu acesso bastante generoso aos dutos e toda a estrutura já existente, abrindo caminho para a fibra passar sem muita burocracia.

A previsão de custo total para a implementação da fibra em todo o território está entre três e cinco bilhões de libras esterlinas, algo próximo de R$ 15 e R$ 25 bilhões, em investimento público.

Para o 5G, é esperado que as operadoras façam maior uso de prédios do governo para aumentar a cobertura do Reino Unido. O pacote ainda afirma que considera o uso de modelos de espectro compartilhado entre as operadoras de redes móveis para o 5G, o que pode manter a concorrência que já existe entre elas e aumentar o acesso de novos modelos de negócios, todos focados em internet das coisas.

A maior operadora e ex-monopólio de telecomunicações no Reino Unido, BT, é mais cautelosa e já foi acusada de trabalhar na contramão da inovação. Para a empresa, o objetivo de 15 milhões de instalações nos próximos sete anos deve ficar em 10 milhões de instalações efetivas.

Com informações: TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João

Sim. Na própria tabela especifica fibra. Em 2016 eram 6% de acesso em fibra e 32% com ADSL.

Yago G. Oliveira

E ouso dizer que já foram problemas bem maiores que as brasileiras. Só agora eles estão mais organizados.

Vitor Mikaelson

E EUA também tem problemas de acesso a internet.

Gabriel

Isso não é desculpa, já que EUA tem idade e população parecida. Sem falar de outros exemplos. Má vontade e burocracia atrasa muito qualquer desenvolvimento

Caleb Enyawbruce

Que bom...

ShinMagus

De fibra...?

Ed. Blake

No Brasil gasta-se isso somente em benefício dos funcionários do Estado.

Ed. Blake

O Brasil ainda é uma nação adolescente perto da idade e da experiência do velho continente. Ainda temos muito o que crescer enquanto nação.

Marcvs Antonivs

Se a Inglaterra fosse do tamanho do Brasil, provavelmente estaria fazendo a mesma coisa.

João

Caramba, só 4% de cobertura? Até aqui no br deve ter mais e olha q é trocentas vezes maior que o reino unido.

Edit: só tem dados de 2016 e já eram 6% de acessos, bizarro.

http://www.anatel.gov.br/in...

Yago G. Oliveira

Inglaterra do tamanho do Piauí, aí é fácil demais lançar uma cobertura boa.

André Noia

No Brasil a dificuldade é ainda maior tendo em vista o tamanho continental do país e as as distâncias enormes entre as capitais do estados. Além disso, basta ver que os cabos entram principalmente pelo litoral, o que complica ainda mais a difusão de internet pelo interior do Brasil. Se for pra comparar, tem que ser com países do porte e nível econômico do Brasil, como é o caso da Rússia e da Índia.
Essa notícia sim é de se espantar com relação ao Reino Unido. Imaginava que fibra lá era algo bem mais difundindo.

Lucas Fernando

Enquanto isso, no Brasil, o preço médio de utilização dos postes é de R$ 3,40 por ponto de fixação (para grandes empresas, para as pequenas o preço é ainda maior). A implantação de uma ERB, dependendo da localidade chega a demorar mais de anos para obter as licenças, sem contar as várias restrições de implantação e ainda existe a questão regulatória onde cada município tem suas leis... Isso sem contar os impostos sobre os serviços de telecomunicações... Infelizmente, aqui no BR, fibra a todos, 5G, IOT entre outros, parece um sonho distante.

Breno

E no Brasil 🇧🇷 ?