A Telefônica Brasil, dona da Vivo, anunciou nesta quarta-feira (25) os resultados financeiros do segundo trimestre de 2018 e o saldo foi positivo: a operadora apresentou lucro líquido de R$ 3,2 bilhões, um aumento de 263% comparado ao mesmo período do ano passado.

A empresa também registrou um crescimento no EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, que chegou a marca de R$ 5,18 bilhões, alta de 46,9% ano a ano. O EBITDA recorrente alcançou R$ 3,7 bilhões, 5,8% a mais em relação ao mesmo período no ano passado, com margem de 34,5%.

Durante o período, a operadora investiu R$ 2,1 bilhões, representando 19,8% da receita operacional líquida, um aumento de 17,6% ano a ano. A operadora destinou os recursos principalmente para a ampliação da cobertura de rede 4G e 4G+ (nome comercial da operadora para 4.5G) e expansão da rede FTTH, que leva a fibra óptica até a casa do cliente.

Móvel

A receita líquida do serviço de telefonia móvel da Vivo avançou 4,2% em comparativo anual, chegando a marca de R$ 6,8 bilhões. Considerando o semestre, a receita atinge R$ 13,5 bilhões. A operadora atribui o crescimento à receita de dados e serviços digitais. Só a receita de dados compreende 78,5% do montante.

Os acessos móveis (número de linhas) aumentaram em 1,2%, fechando o período em 25,2 milhões, sendo que as linhas pós-pagas representam 51% dessa base. A operadora é líder em market share de linhas pós-pagas no Brasil: em maio, a Vivo tinha 41,3%.

O segmento M2M (machine to machine) também se expandiu, com crescimento de 27,1% no número de clientes em relação ao mesmo período no ano passado. São 7,1 milhões de clientes, o que representa 41,8% de todo o mercado.

O ARPU (gasto médio por usuário) dos clientes móveis foi de R$ 28,30, um crescimento discreto, tendo em vista que no segundo trimestre de 2017 o valor era de R$ 28,20. O ARPU de linhas pós-pagas é de R$ 52,30, enquanto o valor médio de gasto dos usuários de linhas pré-pagas é de R$ 11,70.

Fixo

O segmento fixo da Vivo não foi tão bem quanto o resto da companhia: a receita líquida apresentou queda de 3,7% no período. A operadora defende que a queda foi influenciada pela redução na demanda de serviços de voz e também pela diminuição da tarifa de interconexão fixa. Os acessos de voz registraram uma redução de 5%.

O que segurou os números foi a receita de banda larga, que cresceu 13% no trimestre. As receitas com FTTH (fibra óptica até a casa do cliente) cresceram em 48%, impulsionados pelo aumento da base, pelo crescimento da cobertura e pela migração para velocidades mais altas.

Os acessos de TV por assinatura reduziram em 2% na comparação anual, fechando o segundo semestre com 1,6 milhão de clientes. A operadora justifica a queda com a decisão estratégica de despriorizar a tecnologia DTH (com transmissão via satélite) e apostar na tecnologia IPTV, que utiliza fibra óptica.

O ARPU de voz fixa é de R$ 36,40, 12,9% a menos do que os R$ 41,70 do ano anterior. Na banda larga, o valor chega a R$ 55,40, uma evolução de 12% em relação aos R$ 49,50 do ano passado. Na TV por assinatura, o valor de gastos médios subiu de R$ 95,1 para R$ 98,90, crescimento de 4%.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Silva

NET é uma porcaria, modens muito ruins e que por característica da tecnologia é muito difícil substituir por um próprio de melhor qualidade, quando da sorte consegue colocar ele em bridge.
Vivo mantem a liderança por falta de concorrência, mas se somar os provedores regionais em cada estado vai ver que nenhuma das grandes tem mais o "monopólio" do mercado de internet fixa.

Pena que na internet/telefonia móvel a falta de espectro dificulte a criação de mais empresas, mas a Tim parece que nos últimos 2 anos tá levando a briga a sério, diferente da Oi que tá quebrada e da Claro que tá confortável na sua posição de mercado vendendo combos com a net.

biscoitao

Ainda bem que não sou mais cliente dessa empresa. Tive que usar speedy em casa com uma velocidade ridícula por 10 anos pagando o preço de uma conexão de 100mb de fibra. Felizmente hoje em dia temos as operadoras regionais que nos salvam

mc

Você sabe que é rentavel?

Wendel

Pelo menos ainda restou algumas poucas empresas a dar lucro nesse país. Só lembrando aos críticos, uma empresa privada nāo é uma fundaçāo ou uma ONG (que vivem em sua maioria dos recebíveis do governo). Seu objetivo fim é dar lucro e nāo há nada de errado nisso. Errado é ser um parasita do estado ou do papai e da mamāe. Vāo trabalhar, cambada!

Marcus Araújo

O caso da Vivo para mim é emblemático: em geral, a operadora é a mais cara de todas em todos os segmentos em que atua e mesmo assim não perde a liderança quando se fala de lucro. Bem verdade que em média a qualidade do serviço móvel é um pouco melhor, mas essa diferença está ficando cada ano mais apertada. Já o serviço fixo decaiu na qualidade desde que comprou a GVT e está quase equiparável à Oi em qualidade, quer dizer, de manter estável e funcionando aquilo que vende no papel (sem comparar as velocidades oferecidas pela Oi e pela Vivo, já que neste caso a diferença é gritante).

Vamos ver até quando ela se mantém nessa condição confortável. A NET e agora a TIM também estão investindo também em altas velocidades de conexão fixa. Diria que a sorte da Vivo é ter concorrentes piores do que ela em alguns aspectos...

johndoe1981

É fácil lucrar quando não se investe em infraestrutura, né dona Vivo? Fibra óptica no meu bairro só sonho, depois que a Vivo herdou os equipamentos da GVT, não houve mais investimento algum, vai ser cabo metálico pro resto da vida pelo jeito. Com um lucro desses, e a mercenária ainda fica fazendo lobby pela adoção de franquias.

ميديروس فيليبي

Em MG a Vivo domina e raro o lugar que não pega, fora que até o fim deste ano todas as cidades de MG devem ter 3g dela.

Yago G. Oliveira

Ouso dizer que depois do ramo automotivo, o telecom é um dos mais rentáveis no país.

francisco

Cara aqui em sp o 4g deles no interior ta melhor que todas as outras concorrentes! (eixo bauru - assis!

Jefferson Rodrigues

Por isso que a vivo não melhora seus planos moveis. Olha so esse lucro astronômico!

Marsupial radical

Legal que na época da GVT, eles estavam investindo em fibra ótica na minha cidade. Quando a Vivo assumiu mandaram parar tudo, e até hoje não investiram um centavo sequer em infraestrutura por aqui.

Wagner Monger

De qual cidade você é? A Vivo está cabeando com fibra uma parte da cidade de Bsuru, porém, muitos bairros ficaram de fora, principalmente os da periferia, que são sempre os esquecidos.

Capitão Caverna

Eu fiz a minha parte e sai da vivo quando ela fez aquela investida pela internet limitada.

Agora vieram com essa de não contar com a internet das coisas.
Vcs sacam que isso é pra matar um argumento quando voltarem ao assunto?

Everton

Mesmo lucrando horrores, essa corja de parasitas ainda fica fazendo de tudo para limitar a internet, sendo os principais mentores do projeto de impor limites à banda larga. Como eu detesto essa empresa!

Jacques

Até liberam, mas tem que ser no mesmo DDD, falta liberarar pros demais DDDs

Exibir mais comentários