Início » Celular » Yellow, serviço de bicicletas compartilhadas sem estações fixas, já opera em SP

Yellow, serviço de bicicletas compartilhadas sem estações fixas, já opera em SP

Yellow é um serviço de bicicletas compartilhadas via aplicativo que não exige pontos fixos pare retirada e entrega das bikes

Emerson Alecrim Por

Serviços para bicicletas compartilhadas já existem no Brasil, mas, via de regra, eles se baseiam em pontos físicos permanentes para retirada e entrega das bikes. A Yellow é uma startup que propõe um modelo diferente: que as bicicletas sejam compartilhadas com auxílio de aplicativos, mas sem necessidade de estações físicas. O serviço está estreando oficialmente em São Paulo (SP).

Bicicleta Yellow

500 bicicletas foram disponibilizadas para a fase inicial. Elas estarão disponíveis nas regiões da Faria Lima e Vila Olímpia, mas o plano é expandir o serviço progressivamente pela capital paulista, incluindo bairros periféricos. Também há planos de atender a outras cidades pelo Brasil e possibilitar o compartilhamento de patinetes elétricos.

A fase inicial deve durar cerca de duas semanas, de acordo com o G1. O objetivo é observar o comportamento dos usuários e coletar informações relevantes para a expansão, como quais lugares têm mais demanda por bikes. Em São Paulo, a previsão é a de que o serviço encerre 2018 com 20 mil bicicletas disponíveis e chegue a 100 mil em 2019.

O serviço é tarifado, mas tem custo acessível: R$ 1 para cada 15 minutos de uso da bicicleta. Para usufruir do Yellow, o usuário pode comprar créditos nos valores de R$ 5, R$ 10, R$ 20 e R$ 40. Naturalmente, o valor do saldo fica disponível no aplicativo.

As bicicletas são distribuídas pelo método dockless, ou seja, ficarão espalhadas pela cidade em locais variados, como calçadas, parques e áreas próximas de ciclovias. A orientação é para que os usuários as deixem em locais públicos que permitem o estacionamento de veículos em geral e não atrapalhem o fluxo de pedestres.

Bicicleta Yellow

É essencial ter o aplicativo para usar a bicicleta. Por meio dele, o usuário deve fazer a leitura do QR Code disponível na parte de trás da bike para o cadeado que a bloqueia ser destravado. Este, porém, deverá ser bloqueado manualmente pelo usuário após o uso. O app do Yellow está disponível para Android e iOS.

Para coibir furtos, a Yellow colocou GPS nas bicicletas, recurso que também permite que o usuário localize as unidades mais próximas por meio do aplicativo. Além disso, as bicicletas contam com componentes que não seguem padrões industriais, a exemplo dos parafusos das rodas, que são incompatíveis com chaves convencionais.

A Yellow foi criada em 2017 e tem três sócios: Eduardo Musa, que também é CEO e ocupou o mesmo cargo na Caloi durante 13 anos, além de Ariel Lambrecht e Renato Freitas, ambos cofundadores da 99.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

raphaela1
Gabriel Naldis

HAHAHAHA ORA ORA, TEMOS UM PILANTRINHA EM FORMAÇÃO AQUI?

Thiago Mocci

Até onde li sobre, e vi uma entrevista do CEO, parece que tem mais de um chip GPS por bike e em locais diferentes. Também não tem correia e outras diferenças, pra não só dificultar o roubo mas deixar inviável mesmo.

Rogério Santos

AHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUahAHuHaUHuAHuHauHuHAuhUah

Marcos

Olhando a foto, me parece uma porca sextavada normal, só não dá pra acessar com uma chave de boca ou inglesa por causa daquela capa na volta, mas com um cachimbo dá sim!

Marcos

"Além disso, as bicicletas contam com componentes que não seguem padrões
industriais, a exemplo dos parafusos das rodas, que são incompatíveis
com chaves convencionais."

Cachimbo sextavado não é convencional? Nossa, tenho muitas chaves não convencionais então!

nice guy

Uma boa alternativa seria utilizar rodas de formatos diferentes https://uploads.disquscdn.c...

Doug

Sempre há atravancadores torcendo contra. São como insetos em volta da lâmpada.

Doug

Buscar informação é o melhor caminho.

robsonc

Depende muito da cidade. Aqui em BH acho impossível usar pra ir pra qualquer canto exceto partes muito especificas da cidade por conta do morros, mas tem cidade que é super plana. Curvelo por exemplo é uma cidade perfeita pra bicicleta.

robsonc

E é permitido por lei largar coisas assim pela rua? tem tanta lei, que duvido que isso seja permitido...

MJuliani

Você acha melhor, eu não acho, o problema não é ter Facebook e Google é NÃO ter a opção de cadastro por email.

Diego F. Duarte

Calma, vai aparecer um p falar q e coisa do BR, msm com dados

Edit: Ja apareceu

Renan Alves

é uma ideia boa, mas o BR tem muita ladeira, não vale a pena usar bike aqui, invés disso poderiam colocar BIke elétrica ou algo elétrico,
esse pessoal vai pra fora do BR vê essas ideias fazendo sucesso e tentam fazer aqui

Renan Alves

infelizmente não ira dar certo no BR, sobre o GPS provavelmente deve estar nesse cadeado que fica na roda traseira, a pessoa consegue retirar com facilidade, sobre a chave, criar um modelo é fácil, pois tem formato de parafuso.
É uma ideia boa, provavelmente eles devem ter pensado e jogado no valor pra usar a taxa de roubo.
Esses dias mesmo vi um rapaz andando com uma dessas bike do itau, que aposto que foi Surrupiada

Exibir mais comentários