Início » Negócios » Cade analisa se Google abusou do domínio do Android no Brasil

Cade analisa se Google abusou do domínio do Android no Brasil

Cade quer saber se práticas com o Android que fizeram o Google receber multa de € 4,3 bilhões na Europa afetam o mercado brasileiro

Emerson Alecrim Por

A multa recorde de € 4,3 bilhões que o Google recebeu da União Europeia no mês passado pode ter repercussão no Brasil. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) está analisando se a companhia deve ser investigada pelo mesmo motivo que a fez receber uma punição tão pesada: abuso de posição dominante no mercado de smartphones por meio do Android.

Depois de um longo período de investigação, os reguladores europeus entenderam que o Google usou o domínio do Android para exigir que determinados aplicativos ligados aos seus serviços viessem pré-instalados nos celulares. Eles também condenaram a política da companhia de proibir versões modificadas do sistema operacional sem a sua autorização.

Para Margrethe Vestager, comissária antitruste da Comissão Europeia, “essas práticas negaram aos rivais a chance de inovar e competir com base em méritos”.

Droid Android

Agora, o Cade quer saber se esse comportamento anticompetitivo também existiu no Brasil, ou seja, se as exigências do Google com relação ao Android afetam a concorrência dentro do mercado brasileiro de celulares. O resultado da análise preliminar é que vai apontar se um procedimento de investigação deve ou não ser instaurado.

O Google Brasil foi procurado, mas não comentou o assunto. De todo modo, não é a primeira vez que a companhia fica sob a mira do Cade. Desde 2014 que o órgão investiga se houve abuso na exibição de resultados do Google Shopping e de posição dominante no mercado de busca local.

Mas outros dois processos administrativos foram arquivados pelo Cade em maio por falta de evidências. O primeiro apurava a denúncia de que o Google havia copiado avaliações de produtos dos sites do Buscapé e Bondfaro. O segundo investigava se o Google teria tentado evitar que empresas anunciassem em seus serviços e no Bing ao mesmo tempo.

Com informações: Valor.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@Sckillfer

ELA COBRA!

Frederico Martins

Eu me expressei mal. Essas estatais não usam posição pra impedir concorrência, pq o monopólio delas deriva de lei. Petro ainda é uma empresa mundialmente reconhecida. Mas já os correios o monopólio já praticamente não existe. Quem quer e pode, manda por transportadora. Carta quase ninguém usa mais e os terríveis boletos já vêm quase todos pela internet.

Caleb Enyawbruce

sim, foi uma ironia justamente por isso hahaha

🧙‍♂️ Mago Erudito® ᴾᴿᴱᴹᴵᵁᴹ

Mesmo empresas privadas precisam ser no mínimo reguladas pelo Estado, ainda mais se o produto ou serviço for essencial.

Sim é a mesma coisa e não aprenderam que não pode usar sua posição no mercado para impedir a concorrência.

Frederico Martins

Se tivessem app próprio, ficava calado, mas eles não têm, nem mesmo há vontade em desenvolver. E não é por conta de vir embarcado. É preguiça mesmo, e economia. Tem cara aí que desenvolve app de graça, sem nada e fica bom, pq a ideia é boa.

Frederico Martins

É mais uma agência reguladora que não regula nada. Só cabide de empregos políticos.

Frederico Martins

Sem falar que quase todas fabricantes têm seus próprios apps, como Samsung, lg, etc. mas são uma porcaria. Aí querer obrigar a não usar o do Google só pq é do Google é meio que forçar a barra tb. Concordo contigo.

Frederico Martins

Tirando Petro e correios, que são estatais né? Como se vai “investigar” algo que é intencional e criado por lei? Rsrs. Mas assim, voltando pro caos da reportagem, é o mesmo que aconteceu com o Windows por vir com o internet explorer. Não sei até onde isso influencia. Se viessem sem o app, impediria de instalar? De alguma forma incentivaria a usar outro? Tenho minhas dúvidas. O que achas?

Frederico Martins

E ainda falou 2 vezes. Kkkk

Felipe Liʍa

sim, entendemos a sua ironia rsss

mas so foi um complemento!

igual os CHINESES fazem! Eles pegam o AOSP e criam as susa proprias ROM sem os GAPPS do Google!

Alias, a Positivo, com a nova parceria com a HUAWEI, bem poderia pegar alguns programadores chineses pra criar uma ROM POSITIVO ^-^

Fabio Santos

É simples se fosse a Google começaria a cobrar pelo sistema operacional, ninguém tem uma solução, os fabricantes iam chiar e nisto o governo volta atrás.

Fabio Santos

Cadê deveria analisar também se Pg e Unilever abusaram do mercado que praticamente tudo é deles no seu ramo de venda.
O cadê parece mais um órgão de lavagem de dinheiro que um órgão sério a fim de defender o povo de práticas abusivas.

P.R.F.P.

Agora é tarde. rs

Fernando Val

Pelo visto você não entendeu minha ironia.

Fernando Val

Será que você não entendeu minha ironia? Desde quando os telefones "fabricados" por CCE e Positivo possuem tecnologia 100% brasileira? Desde quando CCE e Positivo possuem mecanismo de busca e têm loja de aplicativos?

Exibir mais comentários