Início » Computador » ARM promete processadores capazes de superar os da Intel

ARM promete processadores capazes de superar os da Intel

ARM aposta no desempenho da nova arquitetura Cortex-A76 para finalmente emplacar nos notebooks; testes mostram chip alcançando um Intel Core i5-7300U

Emerson Alecrim Por

A ARM é imbatível quando o assunto é smartphone e, agora, faz planos para ter presença significativa no mercado de laptops. Para isso, a companhia aposta em chips com Cortex-A76: alguns testes mostram que processadores baseados nessa arquitetura podem bater chips da Intel em desempenho.

Como você deve saber, a ARM licencia as suas arquiteturas de processadores para companhias como Qualcomm, MediaTek e Samsung. Anualmente, essas empresas lançam chips para smartphones, tablets e outros dispositivos móveis tendo como base a tecnologia disponibilizada.

HP Envy x2, com processador Snapdragon 835

HP Envy x2, com processador Snapdragon 835

O segmento de laptops também interessa à ARM, e não é de hoje. Para você ter noção, no ano passado, a Qualcomm mostrou modelos de marcas como Asus e HP equipados com chips Snapdragon 835 (com núcleos Cortex-A73). Mas eles não fizeram sucesso no mercado. Em parte, isso é consequência do desempenho, que deixou a desejar.

Mas tudo indica que a compatibilidade com o Windows 10 melhorou — a emulação de softwares x86 foi um dos fatores que afetaram o desempenho dos notebooks do ano passado. Ao somar esse aspecto aos avanços da arquitetura Cortex-A76, a ARM acredita que entrará de vez nesse segmento.

Não é esperado que os primeiros chips com Cortex-A76 superem processadores de alto desempenho, como os da linha Core i7. Mas a ARM afirma que, atualmente, chips experimentais baseados na nova arquitetura e com processo de fabricação de 7 nanômetros já conseguem alcançar o desempenho de um Core i5-7300U, por exemplo.

Cortex-A76 versus Core i5-7300U

É verdade que o comparativo não considera os chips Intel mais recentes, de oitava geração. Em compensação, a ARM está preparando dois projetos de processadores que prometem ainda mais desempenho.

O primeiro deles recebeu o codinome Deimos. Previsto para 2019, ele terá como base a arquitetura Cortex-A76 e a tecnologia de cluster DynamIQ. O segundo projeto é o Hercules, que está previsto para 2020 e contará com opção de tecnologia de 5 nanômetros.

Desempenho é importante e a ARM tenta mostrar que não está alheia a isso. Mas a companhia aposta em outra característica para fazer a sua arquitetura vingar nos laptops: a autonomia.

Cortex versus Intel no TDP

Em outro comparativo, a ARM indica que um chip Cortex-A76 de 3 GHz tem TDP menor que 5 W contra o TDP de 15 W do Core i5-7300U, mas consegue obter quase o mesmo desempenho do chip da Intel.

Sem informações complementares fica difícil apontar quanto um notebook com processador ARM vai ter de duração de bateria, mas se o otimismo da companhia se confirmar, dá para pensar em algo com pelo menos 20 horas de autonomia.

Com informações: TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Silva

Gostaria de saber quanto consome uma tela de notebook, acho que vai ser o próximo vilão.

Franco Luiz

Isso eu duvido muito

Trovalds

ARM é mais vantajoso que x86? Desde sempre. Problema é: não existe o que roda nele. Basicamente você vai conseguir rodar nativamente o kernel linux e alguns programas compilados pra arquitetura. E a compilação é bem genérica e não tira vantagem de várias instruções que a arquitetura tem.

E outra: os desenvolvedores até hoje relutam com o 64-bit, imagina com algo totalmente novo pra maioria esmagadora. É só compilar de novo mas daí cai no problema do parágrafo anterior que acaba que não se tira proveito máximo do processador. E o desempenho não vale o investimento.

Só que aí entra a boataria que a Apple vai trazer processadores próprios pros seus computadores e abandonar a Intel. E o know-how dela é justamente em ARM. PODE ser que se se os boatos se concretizarem o mercado de software (que é o que importa nisso tudo) olhe com mais atenção pra arquitetura e comece a de fato desenvolver nativamente pra ARM.

Trovalds

Não é questão de preferência, é questão de ter como suprir a demanda mesmo. A AMD não decola com os fabricantes porque a quantidade de chips que ela é capaz de produzir hoje malemá abastece uma integradora por um dia. Até comentei em um outro tópico a respeito e a Dell sozinha consome algo em torno de 1 milhão de chips por mês. Agora multiplique isso por milhares de integradores mundo afora e você vai entender porque não é só questão de desempenho.

Baio-kun

Pior que nem seria só Intel e AMD, teria que dar um reboot completo na computação mundial. x86 é um dos principais pilares de toda a computação moderna. Quem sabe daqui uns 10 ou 15 anos com a computação na nuvem se popularizando se torne viável uma mudança do x86.

Keaton

Vixi, já nem me animo mais com milagres tecnológicos... sempre que anunciam "mesmo desempenho que" geralmente é em situações controladas ou nem mesmo nelas... só esperando pra ver o tamanho da decepção.

Juaum

Seria muito bom para a Intel e AMD se conseguissem se livrar de parte do legado da x86.

avinicius

É o componente que mais consome em um notebook.

ばか

Pois é, até os Ryzen U que são superiores a estes Intel U estão com dificuldade de entrar no mercado (devido aos fabricantes), imagine ARM.

Paul

Uma coisa é dizer que conseguiu, outra diferente é provar. Eu só acredito vendo.
É o que todo mundo quer e precisa: bateria e desempenho.

S Y N T H W A V E + L O V E R

Não é muito difícil bater a Intel em mobile. Só faz lixo capado. Sempre foi assim. Agora, no desktop ela ainda tem sua reputação.

Vitodroid

Bater a intel não é só uma questão de desempenho, não é so uma questão de eficiência energética, é quase uma questão filosófica, o buraco e mais embaixo, e eu espero que a arm saiba onde está se enfiando.

Helmut

Eita, mas o consumo isolado do chip representa um impacto grande o suficiente para se apoiarem na questão da autonomia?

Vitodroid

Mesmo que isso seja verdade vai ser difícil a dona arm combater a "preferência" das fabricantes de notebooks com as cpus da intel, isso pode dar muito certo, mas também pode ficar limitado a poucos produtos, hoje eu nao compraria esses intel core i5u e i7u, eu gosto de chamá-los de i7 que na verdade sao i3, e se um dia eu quiser um notebook com certeza vai ser com um ryzen.

Robert Rey

O Asus NovaGo tá tendo um desempenho meio estranho pelos videos que venho acompanhando. Fora que ainda é meio complicado instalar programas 64bit nele. Por isso ele vem de fábrica com o Windows 10 S

Exibir mais comentários