Início » Negócios » CEO do Google defende retorno à China após críticas de funcionários

CEO do Google defende retorno à China após críticas de funcionários

Em reunião com funcionários, Sundar Pichai disse que o retorno do Google ainda está nos "estágios iniciais"

Victor Hugo Silva Por

O Google está sendo obrigado a lidar com uma insatisfação interna por conta do possível retorno da empresa à China. Nesta quinta-feira (16), em uma reunião com funcionários, o CEO Sundar Pichai disse que os planos de voltar ao gigante asiático ainda estão nos "estágios iniciais".

"Não estamos perto de lançar um buscador na China", disse o executivo, segundo a Bloomberg. "E se faríamos ou poderíamos fazer isso, é muito pouco claro". O cofundador Sergey Brin acompanhou Pichai e disse que o Google não está ferindo seus princípios.

Google

A demanda dos funcionários por mais explicações envolve o projeto batizado de Dragonfly. Revelado no início de agosto pelo The Intercept, ele censuraria os resultados de busca que não estiverem de acordo com as políticas do governo chinês.

"Nossa missão é organizar a informação do mundo", lembrou Pichai. "A China tem um quinto da população mundial. Acho que se fôssemos fazer bem a nossa missão, temos que pensar seriamente sobre como fazer mais na China".

Ele continuou: "eu realmente acredito que temos um impacto positivo quando nos envolvemos em todo o mundo e não vejo nenhuma razão para que isso seja diferente na China".

Nem todos concordam com esses planos, no entanto. Assim como o que aconteceu com o projeto do Google com o Pentágono, os funcionários se posicionaram com uma petição. O texto foi assinado por cerca de 1.400 pessoas e pede supervisão sobre o projeto relacionado à China.

Gizmodo obteve a carta na íntegra e destaca a preocupação dos funcionários com "questões morais e éticas urgentes". Eles também criticaram o fato de o assunto ter sido discutido em segredo e só vir à tona por conta da empresa.

"Nós precisamos urgentemente de mais transparência, um lugar à mesa e um compromisso de esclarecer e abrir processos: precisamos saber o que estamos construindo". Os signatários afirmaram ainda que não possuem o necessário para "tomar decisões eticamente informadas sobre nosso trabalho, nossos projetos e nosso emprego".

Eles chegaram a lembrar da posição de Sergey Brin em 2010, quando a empresa deixou de atuar na China. Na ocasião, ele disse que "em alguns aspectos da política do governo, particularmente no que diz respeito à censura, no que diz respeito à vigilância de dissidentes, vejo alguns sinais de totalitarismo".

A petição demanda um modelo de revisão ética que permita a participação dos funcionários de base. Além disso, há o pedido de indicação de uma espécie de ombudsman, que poderia contribuir de forma independente em casos parecidos.

Os funcionários também defendem um plano de transparência que os permita tomar decisões éticas sobre seus trabalhos. Por fim, e talvez mais importante, que novos casos de grande preocupação sejam comunicados internamente.

Mais sobre:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gil Araújo
🤤👏👏👏👏👏👏 pra vc Gaius....Enviado do meu smartphone Samsung Galaxy.-------- Mensagem original --------De: Disqus <[email protected]> Data: 22/08/18 07:54 (GMT-03:00) Para: [email protected] Assunto: Re: Comment on CEO do Google defende retorno à China após críticas de funcionários "Basta ler um pouco. Há multinacionais como a Ambev, há grandes exportadoras como a Embraer ou a Vale, há institutos respeitados como o ITA, IME ou alguns cursos da própria USP. O que pega no Brasil é a conjugação da corrupção e incompetência dos dirigentes, a excessiva burocracia e a leniência da população. Ou seja, são os fatores históricos, econômicos, políticos e sociais que citei acima. Não é o excesso de liberdade que causa o atraso brasileiro. Há países onde a censura é total que são atrasados (Coreia do Norte, por exemplo) e outros com liberdade ampla que são avançados (Noruega, por exemplo). Creditar o atraso brasileiro à liberdade é algo primário e incorreto."SettingsA new comment was posted on TecnoblogGaius BaltarBasta ler um pouco. Há multinacionais como a Ambev, há grandes exportadoras como a Embraer ou a Vale, há institutos respeitados como o ITA, IME ou alguns cursos da própria USP. O que pega no Brasil é a conjugação da corrupção e incompetência dos dirigentes, a excessiva burocracia e a leniência da população. Ou seja, são os fatores históricos, econômicos, políticos e sociais que citei acima. Não é o excesso de liberdade que causa o atraso brasileiro. Há países onde a censura é total que são atrasados (Coreia do Norte, por exemplo) e outros com liberdade ampla que são avançados (Noruega, por exemplo). Creditar o atraso brasileiro à liberdade é algo primário e incorreto.2:57 a.m., Wednesday Aug. 22|Other comments by Gaius BaltarReplyto Gaius BaltarGaius Baltar’s comment is in reply toGil Araújo:Mostra algum feito.... somente corrupção.Enviado do meu smartphone Samsung Galaxy. -------- Mensagem original --------De: Disqus <[email protected]> Data: 21/08/18 22:19 (GMT-03 ... Read moreYou're receiving this message because you're signed up to receive notifications about replies to gilarajo.You can unsubscribefrom emails about replies to gilarajoby replying to this email with "unsubscribe"or reduce the rate with which these emails are sent byadjusting your notification settings.
Gaius Baltar
Basta ler um pouco. Há multinacionais como a Ambev, há grandes exportadoras como a Embraer ou a Vale, há institutos respeitados como o ITA, IME ou alguns cursos da própria USP. O que pega no Brasil é a conjugação da corrupção e incompetência dos dirigentes, a excessiva burocracia e a leniência da população. Ou seja, são os fatores históricos, econômicos, políticos e sociais que citei acima. Não é o excesso de liberdade que causa o atraso brasileiro. Há países onde a censura é total que são atrasados (Coreia do Norte, por exemplo) e outros com liberdade ampla que são avançados (Noruega, por exemplo). Creditar o atraso brasileiro à liberdade é algo primário e incorreto.
Gil Araújo
Mostra algum feito.... somente corrupção.Enviado do meu smartphone Samsung Galaxy.-------- Mensagem original --------De: Disqus <[email protected]> Data: 21/08/18 22:19 (GMT-03:00) Para: [email protected] Assunto: Re: Comment on CEO do Google defende retorno à China após críticas de funcionários "Discordo que o Brasil não inventa nada, há sim ilhas de excelência no país, com bons resultados. O que não se pode é atrelar o sucesso ou fracasso de um país à falta de liberdade."SettingsA new comment was posted on TecnoblogGaius BaltarDiscordo que o Brasil não inventa nada, há sim ilhas de excelência no país, com bons resultados. O que não se pode é atrelar o sucesso ou fracasso de um país à falta de liberdade.4:56 p.m., Tuesday Aug. 21|Other comments by Gaius BaltarReplyto Gaius BaltarGaius Baltar’s comment is in reply toGil Araújo:Sr. Gaius. Acho que o Sr. n entendeu. Logico que o que vc escreveu, com o sucesso econômico, entre outros fatores, eu quis dar a ... Read moreYou're receiving this message because you're signed up to receive notifications about replies to gilarajo.You can unsubscribefrom emails about replies to gilarajoby replying to this email with "unsubscribe"or reduce the rate with which these emails are sent byadjusting your notification settings.
Gaius Baltar
Discordo que o Brasil não inventa nada, há sim ilhas de excelência no país, com bons resultados. O que não se pode é atrelar o sucesso ou fracasso de um país à falta de liberdade.
Gil Araújo
Sr. Gaius. Acho que o Sr. n entendeu. Logico que o que vc escreveu, com o sucesso econômico, entre outros fatores, eu quis dar a entender, que nós brasileiros n inventamos nada e nem investimos em TI. Mas o povo confundi liberdade com libertinagem, isso que acontece em certa mídia nesse país. Entendeu ou n....
Gaius Baltar
É diferente uma empresa privada banir um cara ou um grupo de suas redes sociais e um governo impedir que haja qualquer forma de expressão livre. Vai um mundo de distância.
Gaius Baltar
Só lembrando que são inúmeros fatores históricos, geopolíticos, sociais e econômicos que explicam a diferença de sucesso econômico entre Brasil e China. Reduzir isso à censura é bem primário.
Comentário Mil Grau℗
O Indiano quer msm estragar o que o Co-fundador na época disse quando o Google saiu da China "...em alguns aspectos de política (governamental), particularmente a respeito da censura e a respeito da vigilância de dissidentes, vejo alguns sinais de totalitarismo". A gente sabe que o Google é sangue suga em querer suas informações para vender à anunciantes, mas isso de entrar novamente nesse país onde o livre mercado não existe e a censura rola à solta me soa como se alguém estivesse comprando alguém de "patente" alta do Google para eles voltarem. Outra certeza é que o Indiano sabe que vai rolar uma grana violenta no bolso dele, então segue a filosofia brasileira de que "Se eu não fazer, outro no meu lugar vai!".
Gil Araújo
Ah!! esqueci da segunda; sem educação, saúde e segurança e com políticos preso em segunda instância, na lista da ficha-suja e quer continuar mamando nas tetas da vaca chamada Brasil. "QUE PAÍS É ESSE".....com um pouco de censura seria melhor acho...
Gil Araújo
Será que vou ser radical nesse comentário; em primeiro lugar, nós brasileiros n inventamos nada no mundo virtual. Tínhamos um Browser chamado de Aurora que n deu certo. Acabou ou n é atualizado há anos, n sei dizer ao certo. Como a China atualmente é a segunda potência em economia e lógico, bilhões de pessoas, o Google tem interesse de abocanhar essa fatia de busca, mesmo com censura, que na minha opinião, tinha que ter um pouco aqui na terra tupiniquim. Vejamos as novelas da Plim Plim. 'Malhação e Segundo Sol". Querem incutir atitudes que acham normais na família brasileira, fora algumas programações. Bem n estou falando da Globo e sim da Google na China. Um país de dimensões grande e com população ávida de ter mais um desenvolvedor, além do Baidu e a Qihoo, que agora é dona da Opera Browser, mesmo com censura. E com censura tem uma potência armamentista, tecnológica, incluindo TI, celulares e nós que n temos "Censura", somos um país sem graça, corruptivo, n desenvolve nada, temos as forças armadas sucateadas,com armamentos enferrujados, obsoletos em comparação a China e outros países. Os chineses tem as horas trabalhadas melhor que os brasileiros. Eles aqui, estão fechando às pastelarias e voltando pra China, pois a mão de obras melhorou muito com relação a nossa. Por isso o Google quer voltar pra China Também...rs.
Diogo
Sundar Pichai está tranquilo pois sabe que nenhum dos 1.400 funcionários vai se demitir pela causa.
Fabio Santos
Do jeito que alguns países vêm sendo doutrinados através do tempo, isto inclui Brasil no máximo três ou quatro gerações a Google terá problemas também com censura.
Andre Kittler
O problema é que o google não precisa - tem dinheiro e poder o bastante sem vender a alma!Acho legal que existam funcionários nessa cultura ainda lá dentro, mas acredito que nao consigam impedir, hoje temos um outro google - um google triste, desinteressante e desanimante. Como mudou :(
anjosarda
É um primeiro passo que não deveria ser aceito.
Carlin
No fim o Google se tornou vitima da própria cultura de trabalho que criou!
Thiago
Eu diria que a proibição de lá é bem diferente da daqui.
Jairo ☠️
A Google está certa em pelo men
anjosarda
Eu reclamava que na China eles proibiam certos conteúdos. No entanto, hoje em dia o pessoal do ocidente proíbe também, dá um nome bonito à proibição e fica por isto mesmo.