Início » Brasil » Correios podem lançar “Uber de entregas” até o fim do ano

Correios podem lançar “Uber de entregas” até o fim do ano

Se confirmado, Correios explorarão modelo de crowdshipping: o usuário solicita entrega por aplicativo e o serviço é feito por entregadores cadastrados

Emerson Alecrim Por

Serviços de entrega rápida por motoboys ou transportadoras regionais são muito populares nas grandes cidades brasileiras. Os Correios querem tirar proveito desse filão, mas de um modo diferente: a estatal planeja lançar, até o fim do ano, uma modalidade de entrega baseada em aplicativo que lembra o Uber.

Pelo menos é o que informa o Estadão, que apurou que os Correios já estão em negociação com uma empresa de tecnologia para lançar o aplicativo. A ideia é que o usuário use a ferramenta para solicitar transporte ponta a ponta de itens. A entrega será feita por pessoas cadastradas no serviço a partir de veículo próprio, que pode ser um carro, uma moto ou uma bicicleta, por exemplo.

Trata-se de uma modalidade de serviço logístico conhecida como crowdshipping. Em um lado estão pessoas que precisam receber ou entregar itens rapidamente. No outro, pessoas dispostas a fazer entregas para complementar ou até obter totalmente a sua renda a partir do serviço.

Correios

Se os Correios criarem mesmo uma divisão de crowdshipping, terão entre os concorrentes a Eu Entrego. No aplicativo da empresa, o usuário dá detalhes sobre o item a ser entregue ou retirado e informa quanto está disposto a pagar. Entregadores independentes disponíveis na região podem então aceitar o serviço ou fazer uma contraproposta.

Também dá para citar como exemplos a Rappi e a Glovo. Mas ambas as empresas seguem um modelo um pouco diferente: o usuário pode solicitar pessoas para comprar ou buscar itens em farmácias, mercados e vários outros tipos de estabelecimentos e, na sequência, fazer a entrega no endereço especificado.

As informações a respeito do novo serviço dos Correios ainda são escassas. Ainda não está claro, por exemplo, em quais locais a modalidade será oferecida e quais plataformas serão atendidas.

O Tecnoblog entrou em contato com a estatal. A companhia apenas informou que ainda estuda o segmento: “os Correios estão estudando e avaliando o mercado para a oferta do serviço de crowdshipping. Mais detalhes sobre a operação do novo serviço serão divulgados oportunamente”.

Atualizado às 14:29.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Keaton

Espero que eu não tenha de pagar Sedex E esse serviço para receber as encomendas no prazo...

Delcino José Serra dos Santos

Sabe de nada inocente...

Renan

Você consegue dialogar sem usar insultos? Eles não fortalecem seus argumentos e francamente eu não ligo para o que uma pessoa que eu não conheço pensa de mim. A decisão judicial produz efeitos a partir de 2018. O balanço da empresa de 2017 abrange fatos daquele ano, ainda que tenha sido publicado no ano seguinte.

Hal - Hopeless worker

Que coisa uso a uns 15 anos para tudo. Nunca tive problema.
:-/

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

isso é uma má notícia, porque é um sistema que já começa cheio de falhas (internas) que os serviços de compras de internet internacionais vão perceber, e corrigir, já internalmente vai ficar um cu com gente perdendo encomenda porque o uber curtiu o formato fálico da encomenda da pedinte.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

vem andando de curitiba. é pra evitar a fadiga.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

esses abusos são "normais" porém precisam ser incentivados.

parece até teoria conspiracionista, mas aí você vê o quanto a DHL cobra pra entender porque as entregas dos correios e o efetivo geral tá um cu.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

ué, maquiaram a petro também.

justamente pra meter as pautas bomba e fuder ainda mais com tudo, PMDB de TPM é fogo...

Diego F. Duarte

Nao confio nem fodendo, p dar problema pouco custa. O unico debito q tenho é o da fatura da NET por causa do desconto q eu tenho, e msm assim monitoro de perto.

Desnecessario dizer, ja tive q bloquear o debito da fatura algumas vezes...

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

hell de janeiro não é o resto do brasil.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

adotar ou ampliar?

porque já foi adotada á uns anos, é normal muita gente não saber disso porque geralmente querem frete grátis...

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

retornos com "violações" que nunca chegarão ás empresas que enviam e sistemas de retorno de encomenda para o brasil mais rígidos e burocráticos porque tem gente que acha que ser esperto é bom e que todos são burros.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

se político bota bandido lá pra ficar roubando e fudendo a infra cê quer o que?

quem faz milagre é deus.

Hal - Hopeless worker

Maybe...Débito em conta?

Veritas
Como uma decisão judicial de 2018 teria ajudado nas contas da ECT de 2017?

Hein?
Sério mesmo?
É ignorância ou só mau caratismo mesmo?
Cara, tu não sabe o básico de Economia (aposto que és de Humanas)?

O balanço anual de uma empresa só é apresentado NO ANO SEGUINTE ao qual se refere.

Aliás, já até o próprio Correio disse que parte do tal lucro da Dilma
foi graças as malandragens:


Segundo a estatal, a reversão do prejuízo de 2017
ocorreu com "revisão de contratos, racionalização de custos com
pessoal e revisão de custeio de plano de
saúde, além de otimização da rede de atendimento."

Traduzindo, para esquerdinhas como tu (que gostam de passar vergonha repetindo discursinhos dos chefes) :
- racionalização de custos de pessoal = demissões

- revisão de custeio de plano de saúde = ferraram os trabalhadores
e ainda manipularam para aparecer como "lucro"

- otimização da rede de atendimento = fecharam agências em cidades pequenas.

Fonte; reportagem da Folha:
https://www1.folha.uol.com....

Exibir mais comentários