Início » Internet » YouTube expande opção de anúncios que não podem ser pulados

YouTube expande opção de anúncios que não podem ser pulados

A opção será liberada para todos os canais e deverá ajudar a aumentar a receita

Victor Hugo Silva Por
1 ano atrás

Nos próximos dias, o YouTube poderá passar a mostrar mais vídeos com anúncios que não podem ser pulados. A plataforma anunciou nesta segunda-feira (27) que mais criadores de conteúdo poderão escolher essa opção.

O anúncio foi feito por meio do canal oficial da plataforma voltado para youtubers e deve contribuir para o retorno financeiro com os vídeos seja maior. Afinal, os anunciantes costumam pagar mais para que seus comerciais sejam reproduzidos por completo.

Foto por Michal Jarmoluk/Pixabay

Anteriormente, a opção de definir que os vídeos teriam comerciais que não podem ser pulados estava em fase de testes e restrita para alguns canais. Agora, ela sera liberada para todos os participantes do programa de parceiros do YouTube.

Para não prejudicar a experiência dos usuários, os anúncios sem o botão de pular não poderão ser muito longos. De acordo com uma página de ajuda do Google, eles deverão ter, no máximo, 20 segundos de duração.

Com receitas maiores, o formato deverá estimular a produção de vídeos. No entanto, ele pode não ser muito atrativo para os canais que não possuem um engajamento tão grande, já que os usuários deverão estar realmente interessados no conteúdo para aguardar os 20 segundos.

O novo formato de anúncio poderá ser adotado tanto nos vídeos novos, quanto nos antigos. Além disso, os criadores contarão com uma ferramenta para alterar, de uma vez, o tipo de comercial que será mostrado em todos os vídeos que já foram cadastrados.

O YouTube também informará a performance dos anúncios na área interna do canal e permitirá que o criador retorne sempre que quiser ao modelo que permite pular os comerciais. Segundo a plataforma, a expansão dos anúncios que não podem ser pulados começará a ser realizada na próxima semana.

Veja o anúncio no canal de criadores do YouTube (em inglês):

Com informações: Engadget.

Mais sobre: