Início » Internet » Google rebate críticas de Donald Trump sobre resultados de busca

Google rebate críticas de Donald Trump sobre resultados de busca

Presidente Donald Trump afirmou que Google manipula buscas para priorizar críticas ao seu governo; em nota, companhia rebateu acusações

Emerson Alecrim Por

Na manhã desta terça-feira (28), Donald Trump usou o Twitter para descarregar a sua ira contra o Google. Para o presidente dos Estados Unidos, a companhia manipula as buscas para priorizar resultados com críticas negativas ao seu governo. Mais tarde, o Google soltou um comunicado refutando as acusações.

Não é incomum Trump usar o Twitter para criticar veículos de imprensa ou serviços de mídia. Porém, nos últimos dias, essas manifestações têm sido mais frequentes. No início da semana, por exemplo, o presidente acusou as redes sociais de “silenciar milhões de pessoas”, uma aparente referência às ações do Facebook e Google para apagar contas que espalham desinformação ou interferem em eleições.

Com relação ao Google, Donald Trump declarou que 96% dos resultados do buscador para “Trump News” são de veículos nacionais de esquerda que, no seu entendimento, dão apenas informações falsas ou negativas. O presidente afirmou também que, ao mesmo tempo, notícias de veículos conservadores ou republicamos são suprimidos das buscas.

Donald Trump

Trump não revelou detalhes sobre como chegou a essa conclusão, apenas deu a entender que irá tomar providências. O jornal The Guardian sugere, porém, que o presidente faz referência a uma pesquisa do site PJ Media que sugere que os 100 melhores resultados do Google News para “Trump” trazem “um padrão de preconceito contra conteúdo de direita”.

Se de modo suficiente ou não, companhias como Google e Facebook vêm promovendo esforços para evitar a disseminação de notícias falsas em seus serviços. É natural, portanto, que queixas surjam por parte de quem se sente prejudicado com essas ações.

O que chama atenção no caso das reclamações contra o Google é que o presidente Trump parece não entender que os resultados são dinâmicos e, portanto, podem variar rapidamente em curtos intervalos de tempo ou de acordo com os hábitos de navegação de cada usuário, por exemplo.

Além disso, não raramente, os resultados exibem links para serviços de notícias como ABC, CBS, New York Times e Washington Post. Há tempos que esses e outros veículos despertam a antipatia do presidente.

De qualquer forma, o Google tratou de rebater as acusações:

“Quando os usuários inserem termos na busca do Google, nosso objetivo é garantir que eles recebam as respostas mais relevantes em questão de segundos. O mecanismo não é usado para definir uma agenda política e nós não influenciamos os resultados em prol de nenhuma ideologia política.”

Com informações: TechCrunch, Mashable.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Ed. Blake

Tento ver o big picture de cada contexto. Tanto o progressismo quanto o conservadorismo tem seus vícios e virtudes.

Ed. Blake

Vocês quem, cara pálida?

Matheus Gonçalves

Que tal em vez de atacar o mensageiro você finalmente ir ler a mensagem e ponderar a respeito?

Acabamos de falar que um dos maiores erros do Trump é tentar, levianamente, deslegitimar o trabalho dos jornalistas. Você vai e faz a mesma coisa.

Molinex

É possível. Alias é bem provável. Se levar em conta que o lider das pesquisas é um presidiário, e ignorarmos porque preso não vale, ele seria eleito...
O bolsonaro é tipo um tiririca, com a diferença que ele não tem graça, mas ele mita muito nas redes sociais kkkk

O que vai acontecer, é que tudo que ele promete em campanha, não vai virar realidade, porque ele não tem peso politico nenhum, basta ver que, como deputado ele não aprovou nada. Então não corremos o risco de ver crianças de 6 anos com armas, nem quilombolas pesados em arroubas, e nem leite de ornitorrinco. Possivelmente sera impichado (tirando a credibilidade do pais por impichar 2) antes de terminar de brincar de presida. Por coisas que ele mesmo fala. O peixe morre pela boca...

Vão ser só mais quatro anos de alegria e prosperidade. A voz do povo é a voz de deus. Se a maioria quer o bolsa, que seja o bolsa, e que deus nos ajude

Ed. Blake

Do ponto de vista ideológico, Progressista geralmente é quem reconhece e apoia valores, ideias e ideologias novas e/ou recentes. Conservador geralmente é quem rejeita estes novos valores e ideias em nome de tradições antigas e/ou preza pela conservação dos vigentes.

Mas isso é só semântica.
Progresso (no sentido social) para mim é atingir sabiamente o meio-termo.

Ed. Blake

Morrer um monte de gente. É o que acontece em toda guerra, por exemplo.

Marcos Guilherme

E lá a economia e outras aspectos como segurança estão com seus índices muito bem e obrigado. Seria bom que apesar de fakes news aqui e fakes news alí o Brasil pudesse prosperar.

Marcos Guilherme

Bolsonaro eleito?

Reinaldo Romano

Se os dois produzem também deveria ter paginas da esquerda sendo impedidos, até agora não vi nenhum, temos agora a denuncia de compra de publicidade pelo pt, vamos ver se alguem toma alguma providencia, o facebook ou outros, não nenhum dizendo nada a respeito.

tuneman

França também se enquadraria?

tuneman

certo que vamos eleger mais um Collor/Lula

Thiago

É opinião de um colunista do NYT, não a opinião do jornal.

ps: Eu discordo completamente desse artigo.

Thiago

A mídia é bem divida nos EUA, mas não significa que as informações estão erradas. Só significa que não irá mostrar informações favoraveis.

ffcalan

Você sabe muito bem que a mídia é bem tendenciosa e não gosta nem um pouco do Boca Mole, obviamente só vão falar mal dele. E o mais engraçado é que a mesma mídia que dizia que a Hillary Clinton iria ganhar com folga e diz que ele é o pior presidente da história. Só com isso já da para desconfiar desses caras.

Thiago

Realmente, mas isso ocorreu com praticamente todas as pesquisas realizadas na época.

Exibir mais comentários