Início » Mobile » Só dez países suportam o eSIM dos iPhones XS e XS Max

Só dez países suportam o eSIM dos iPhones XS e XS Max

eSIM é uma das características do iPhone XS e do iPhone XS Max, mas operadoras de apenas dez país suportam o padrão; Brasil não está entre eles

Por
14/09/2018 às 11h27
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Os recém-anunciados iPhone XS e iPhone XS Max têm, entre as suas características, suporte a dual SIM. Mas há um sistema incomum aqui: os aparelhos trazem apenas um slot físico para o chip; o outro é um eSIM. O problema dessa abordagem é que este último padrão só é suportado amplamente em dez países.

iPhone XS

A Apple só abriu exceção para a China. O país até tem suporte a eSIM, mas em pouquíssimas cidades. A alta competitividade do segmento de smartphones no mercado chinês é o que deve ter levado a companhia a lançar a nova linha por lá com suporte a dois slots para cartão SIM.

Para o resto do mundo, o iPhone XS e o iPhone XS Max serão disponibilizados somente em um esquema que a Apple chama de DSDS (Dual SIM Dual Standby): trata-se da combinação de slot físico para o chip com um eSIM.

Basicamente, o eSIM é chip de celular que vem integrado ao smartphone. Mas, para funcionar, o eSIM precisa ser suportado pelas operadoras. O problema é que, atualmente, apenas redes móveis destes dez países têm o suporte à tecnologia reconhecido pela Apple: Alemanha, Áustria, Canadá, Croácia, Espanha, Estados Unidos, Hungria, Índia, Reino Unido e República Tcheca.

iPhone XS e iPhone XS Max

Mesmo nesses países há limitações. Nos Estados Unidos, por exemplo, o eSIM é suportado amplamente apenas pela AT&T, T-Mobile e Verizon, o que significa que clientes da Sprint e outras operadoras menores precisarão migrar para uma das três mencionadas companhias se quiserem usufruir da tecnologia.

Outro exemplo vem da Espanha: somente a Vodafone suporta o padrão no país. Clientes de companhias como Movistar e Orange não têm essa opção. A lista de operadoras que suportam o eSIM está no site da Apple.

A expectativa é a de que, com a chegada do eSIM ao iPhone, o padrão passe a ser adotado mais rapidamente por outras fabricantes. Esse movimento deve pressionar as operadoras, no entanto, pode levar meses para a tecnologia ser largamente suportada por elas. Na prática, isso significa que, para a maioria dos usuários, o iPhone XS e o iPhone XS Max seguem sendo single SIM.

Com informações: The Verge.