Início » Telecom » Vivo passa a vender Amazon Prime Video com três meses grátis para clientes

Vivo passa a vender Amazon Prime Video com três meses grátis para clientes

Clientes da Vivo terão três meses gratuitos no Amazon Prime Video; cobrança chega direto na fatura da operadora

Por
32 semanas atrás

A Vivo vem tentando oferecer mais serviços extras para seus clientes, e sua nova parceria deve agradar aficionados por filmes e séries: ela irá vender o Amazon Prime Video aos clientes de TV por assinatura, banda larga, telefonia fixa e móvel. Os primeiros três meses são gratuitos. É a primeira vez que uma operadora na América Latina faz parceria com o Prime Video.

O Amazon Prime Video tem diversos títulos, incluindo séries originais como Jack Ryan, The Man in the High Castle, Homecoming, além de outros sucessos como Mr. Robot, This is Us, The Office e The Good Fight (um excelente spin-off de The Good Wife). O catálogo de vídeos também é extenso, além de ter transmissões ao vivo de eventos de tênis e vôlei de praia.

Quem é cliente Vivo terá os três primeiros meses do serviço gratuito. Os seis meses seguintes custam R$ 7,90, enquanto a partir do décimo mês o valor sobe para R$ 14,90. O valor é debitado diretamente na fatura mensal. É possível utilizar o plano para até três transmissões simultâneas de diferentes conteúdos em diferentes dispositivos.

Para fazer a assinatura, clientes de telefonia móvel devem enviar um SMS para o número 1060 com a palavra AMAZON e seguir as instruções recebidas. Já os assinantes de banda larga, TV paga e telefonia fixa devem acessar um portal dedicado ao Prime Video e contratar via chat.

Os preços praticados na assinatura avulsa do Amazon Prime Video são os mesmos para não-clientes Vivo, de forma que o único benefício financeiro são os três primeiros meses gratuitos. Quem contrata serviço de streaming da Amazon por meios tradicionais efetua o pagamento através de cartão de crédito.

Recentemente, o grupo Telefónica, dono da Vivo, firmou uma parceira global com a Netflix para integrar o serviço de streaming com a plataforma de TV paga e permitir assinaturas com cobrança na fatura do cliente. A integração ainda não foi feita, e a operadora prometeu a experiência até o final de 2018.