Início » Computador » Microsoft desiste de recomendar Edge se usuário tentar instalar o Firefox ou Chrome

Microsoft desiste de recomendar Edge se usuário tentar instalar o Firefox ou Chrome

Tela de aviso aparecia no Windows Insiders e não será mais levada para a atualização do Windows 10 de outubro

Por
35 semanas atrás

Usuários do programa Insiders, que testam versões beta do Windows 10, encontraram na semana passada outra forma da Microsoft tentar emplacar seu navegador, o Edge, ao exibir uma tela de aviso quando é iniciada a instalação do Chrome ou do Firefox. Depois da polêmica, a empresa removeu o recurso desta versão e garantiu que não o colocará em seu próximo update.

A forma de alerta era feita com uma tela bastante grande que aparecia no tempo que passa depois do clique no instalador do Firefox ou do Chrome, e antes do processo de instalação do browser. Nela a Microsoft afirmava que o Edge já estava instalado, que é mais seguro e rápido, tentando convencer o usuário que a instalação de outro navegador não era necessária.

Depois da polêmica com esta forma de persuasão, a Microsoft voltou atrás e removeu o recurso do Windows 10 que estava sendo testado. A versão beta será liberada, de forma estável e oficial, em outubro para todos os computadores que rodam este sistema operacional.

“Nós testamos essa funcionalidade somente com os Insiders – o Windows Insider permite que a Microsoft teste diferentes recursos, funcionalidades e obtenha retorno antes de lançar para todos. Clientes continuam em controle e podem escolher o navegador preferido”, comentou a empresa para a imprensa americana.

Esta não é a primeira vez que a gigante do software tenta convencer, de forma mais enérgica, que o Edge é a melhor escolha para seus usuários. Recentemente um pop-up começou a aparecer, do nada e para fora da barra de tarefas, dizendo que ele é um navegador muito bom e que você deveria dar uma chance. Em março, ignorando os ajustes de browser padrão, o aplicativo Email abria links clicados dentro do Edge – este último padrão de ação já foi removido.

Com informações: The Verge e ZDNet.