Início » Celular » Não, um hacker de Taiwan não comprou 502 iPhones por US$ 0,03

Não, um hacker de Taiwan não comprou 502 iPhones por US$ 0,03

Chang Chi-yuan comprou iPhone 8 Plus e iPhone XS Max na Apple Store online, pagou US$ 0,03 para validar o cartão de crédito e cancelou o pedido

Felipe Ventura Por

Uma notícia está circulando na mídia brasileira sobre um “hacker” de Taiwan que teria comprado 502 iPhones na Apple Store pagando cerca de US$ 0,03. Não é o caso: esse é apenas o valor cobrado para checar se o cartão de crédito dele era válido. Além disso, o rapaz diz que cancelou o pedido, ou seja, não recebeu nenhum iPhone.

Foto via Pixabay

O programador Chang Chi-yuan diz em seu perfil do Facebook que fez um pedido caríssimo na Apple Store online de Taiwan: 500 unidades do iPhone 8 Plus de 256 GB, mais 2 unidades do iPhone XS Max de 512 GB. Eles normalmente custariam NT$ 15.655.800 — o equivalente a cerca de R$ 2 milhões.

Ele fez o pagamento usando seu iPhone X, via Apple Pay, e foi cobrado apenas em um dólar taiwanês – ou US$ 0,03, cifra que vários veículos da mídia mencionaram.

Chang também recebeu uma confirmação do pedido por e-mail. A mensagem deixa claro que a Apple não aceitou um pedido de 1 dólar: o valor total é de NT$ 15.655.800. Não há qualquer referência a 1 dólar taiwanês.

O rapaz diz que cancelou o pedido. Ou seja, a compra não foi totalmente realizada: ele não recebeu nenhum iPhone. Ainda assim, o caso se espalhou pela mídia taiwanesa, aparecendo em sites e jornais locais.

“Hacker” pagou US$ 0,03 para validar cartão de crédito

Então, algumas pessoas passaram a questionar se o “hacker” realmente havia feito a compra por 1 dólar. O usuário Jerry Lin deu o melhor exemplo: fez uma compra na Apple Store online em 14 de setembro e primeiro pagou 1 dólar — taxa de verificação, que é estornada — para depois ser cobrado pelo valor total de NT$ 35.900 (R$ 4.700) em 16 de setembro.

Ou seja, a Apple Store de Taiwan leva até dois dias para fazer a cobrança completa no cartão de crédito. Como Chang provavelmente não tem R$ 2 milhões de limite, o pedido seria cancelado de um jeito ou de outro.

Zheng Guoting relata uma experiência semelhante. Ele fez uma compra na Apple Store em 14 de setembro, foi cobrado em NT$ 1, e dias depois acabou pagando o valor total de NT$ 48.900 (R$ 6.450).

Isso não funciona no Brasil

No Brasil, o procedimento é diferente. Eu fiz o teste na Apple Store daqui: coloquei 502 iPhones 8 Plus de 256 GB no carrinho, os mais caros disponíveis atualmente (o iPhone X deixou de ser vendido, e o iPhone XS ainda não chegou).

Fiz login, preenchi meus dados de entrega e pagamento, e concluí a compra. Meu cartão de crédito foi temporariamente bloqueado. Fiz o desbloqueio, repeti o processo, mas não deu certo: a compra foi negada porque meu limite é inferior a R$ 2.439.268,20 (com desconto de 10% porque é à vista).

Um dia eu ainda chego lá

Rapaz diz ter hackeado perfil de Mark Zuckerberg

Por que a mídia taiwanesa caiu nessa história? Em 2013, Chang disse ter encontrado uma falha que permitia apagar posts de outras pessoas no Facebook. Ele alega que foi ignorado pela rede social e, então, apagou posts de Mark Zuckerberg para ser levado a sério. Acho estranho, no entanto, que nenhum veículo ocidental tenha coberto esse assunto.

E em 2017, Chang pagou um dólar taiwanês em uma passagem de trem, após encontrar uma falha no sistema de compra. Ele foi sentenciado a 60 dias de detenção por fraude.

Chang Chi-yuan aparece em um jornal de Taiwan

De onde veio essa história?

Alguns blogs brasileiros de tecnologia replicaram uma notícia da agência espanhola de notícias EFE, que foi publicada em veículos como Estadão, Veja, Exame, Época Negócios, entre outros.

Ela usa como fonte uma matéria do portal taiwanês TVBS, cujo título proclama: “Gênio hacker de Taiwan! Ele comprou 502 iPhones por 1 dólar”. No entanto, o texto faz a ressalva de que alguns usuários questionaram a alegação de Chang. Na tradução para o espanhol (e para o português), essa ressalva se perdeu.

A fonte menciona a opinião de alguns usuários: “eu acho que ele só comprou o produto na Apple Store pela primeira vez e recebeu a confirmação. Ele achou erroneamente que teve sucesso na compra”. Outro diz: “eu também paguei 1 dólar. A Apple cobra o valor total em dois dias”.

Chang Chi-yuan

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

richardsonvix

Existem palavrinhas mágicas que a "mídia especializada" gosta de correr atrás de matérias, hacker é uma delas, outra é vazamento.
"Excelentes" artigos de cunho duvidoso com o propósito click bait, afinal, propaganda é a alma do negócio.
Se a notícia for falsa melhor ainda, lançam outro artigo para retratar.

Tiago Freitas

O TechTudo deve ter tido até um orgasmo com uma história dessas.
Hoje em dia a gente precisa estar "calibrado" o maximo possível pra evitar matérias mentirosas e os chamados caça cliques se assim pode se dizer.

Pegasus

A questão não é essa. A matéria, na verdade, foi escrita para justamente dismestificar isso, já que outros veículos (não irei dizer que é o Tecmundo, por exemplo) estão afirmando que o hacker comprou esses iphones por esse valor.
É justamente para mostrar a fraude dessa história que a imprensa, que não pensa, sai replicando por aí sem checar e investigar.

Tiago Freitas

Se duvidar até quando o papa boceja já deve render alguma matéria.

Tiago Freitas

Eu não consegui ler nada no artigo que merecesse uma cobertura dessas.

Há anos já é assim! Inclusive no Brasil.
Principalmente no e-commerce.
Um exemplo disso é o Uber.
Quando você cadastra um novo cartão de crédito, imediatamente, um pequeno valor que geralmente não passa de R$ 0,20 já é debitado automaticamente pra depois, também, ser estornado no mesmo instante.
Serviços como o HostGator e afins também já fazem isso.

Keaton

Hacker compra 5919541495513495519455194551945159455194515 iPhones XS MAX ULTRA PREMIUM 2048TB por R$0,03... vocês não sabem o que acontece em seguida.

Isso é chamado clickbait, qualquer tabloide sensacionalista faz isso...

Danillo Nunes

O Tecnoblog tá pagando mal, hein? Como é o um jornalista do calibre do Felipe Ventura que faz um baita trabalho investigativo desses, não tem meros 3 milhõezinhos de limite no cartão?

Lucas Carvalho

quando desmentem, às vezes eles só apagam a notícia, sem nenhum pedido de desculpas.

wjld

Thank goodness pelo jornalismo. É uma pena que eu tenha visto primeiro várias notícias falsas antes da de vocês.

Trovalds

Mas eu li no techmundo que ele comprou os celulares! E agora?

DeadPull

A forma como esse título foi escrito é a cara do Gizmodo.

John Smith

Cada porcaria que vira notícia hoje em dia.

X-Tudãoᴳᴼᵀ

Adivinha quem replicou...
https://m.tecmundo.com.br/p...

Baidu feat MC Brinquedo

Um verdadeiro telefone sem fio.

Segue daí Cazalbé.

Alisson Santos

Histórias absurdas rendem cliques e quando a história não é criação do próprio jornalista, alguns deles não têm nenhum pudor em replicar sem checar, bastando apenas desmentir depois sem maiores consequências. É este o atual cenário no Brasil e no mundo. É um dos motivos que fazem as fake news ganharem força, elas se misturam a "notícias reais".