Início » Negócios » Cofundador do WhatsApp explica por que saiu do Facebook

Cofundador do WhatsApp explica por que saiu do Facebook

Brian Acton diz que a venda do WhatsApp, levou também a privacidade dos usuários

Victor Hugo Silva Por

Brian Acton, cofundador do WhatsApp, deu uma forte declaração no Twitter em março deste ano ao sugerir que os usuários deletassem o Facebook. Seis meses depois dessa publicação, ele voltou a falar publicamente.

Para a Forbes, Acton revelou os motivos que o fizeram sair, em setembro de 2017, da empresa que comprou o WhatsApp. Segundo ele, a decisão lhe custou US$ 850 milhões em ações, que seriam pagos caso ele permanecesse na companhia por mais um ano.

Brian Acton

Brian Acton, cofundador do WhatsApp (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)

O empresário lamentou a venda do WhatsApp. “Eu vendi a privacidade dos meus usuários para um benefício maior. Eu fiz a escolha e um compromisso. E eu vivo com isso todos os dias”, disse Acton, durante a entrevista.

Ele diz que, após a venda, não concordou com dois planos do Facebook para monetizar o aplicativo. A empresa pretendia exibir anúncios e permitir a comunicação entre empresas e seus consumidores.

Como publicado há algumas semanas no Tecnoblog, o Facebook ainda deseja exibir anúncios dentro do WhatsApp Status. Para Acton, o plano poderá quebrar uma espécie de acordo que o aplicativo tem com seus usuários.

O Facebook também quer oferecer ferramentas para as empresas entrarem em contato com possíveis clientes. Isso envolveria soluções de análise de performance para as marcas. No entanto, a criptografia é um impasse, já que as mensagens não podem ser acessadas.

De acordo com o cofundador do WhatsApp, esse plano não foi abandonado e o Facebook ainda busca saídas para oferecer a análise para outras empresas. Porém, ele acredita que a privacidade dos usuários estará em risco.

Para que as mudanças mais negativas não fossem aprovadas, Acton sugeriu outras saídas para monetizar o app. Uma delas envolvia a cobrança de acordo com o número de mensagens enviadas pelas empresas, que deve ser adotada.

Integração do WhatsApp com o Facebook

Uma das polêmicas envolvendo a aquisição do WhatsApp pelo Facebook foi a integração entre as duas plataformas. Acton diz que não soube dos planos de Zuckerberg de mesclar as informações até o acordo ser aprovado.

Ele lembra de uma conferência com representantes da Comissão Europeia de Concorrência: “Fui instruído a explicar que seria realmente difícil mesclar dados entre os dois sistemas”. Um ano e meio após a compra, os termos do WhatsApp foram atualizados e abriram a brecha para o Facebook mesclar perfis das duas redes.

WhatsApp / Facebook / Pixabay

“Acho que todo mundo estava jogando porque pensavam que a União Europeia poderia ter se esquecido por ter passado bastante tempo”, diz Acton. Não foi o que aconteceu: o Facebook foi obrigado a pagar US$ 122 milhões por passar informações incorretas ou enganosas sobre o acordo.

Um ano depois, Jam Koum, o outro cofundador do WhatsApp, decidiu deixar o Facebook. Na ocasião, ele disse que era “hora de seguir em frente” e de “colecionar Porsches raros refrigerados a ar, cuidar dos meus carros e jogar ultimate frisbee”.

Acton, por sua vez, investiu US$ 50 milhões no Signal, outro aplicativo de mensagens que tem como principal atrativo o foco na segurança das informações. O empresário afirma que o serviço deseja fazer com que a comunicação privada se torne “acessível e onipresente”.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lui Spin

Com 6,5 bi é fácil perder 850 mi.

João Almeida

Uma merda que aqui só acham que essa bomba de WhatsApp existe

André G

WhatsApp só uso para conversar com a família. Recentemente comecei a fazer pós graduação e no momento que sugeriram criar um grupo, eu já sugeri criar no Telegram. Só metade do grupo tinha instalado, mas todo mundo topou mesmo assim.

Carlos Alex

Não perdeu, deixou de ganhar... ele ainda saiu com muita grana sim!

Bruna C. C. de S. Wojtenko

Eu fiz isso. E quas ninguém quis vir, alguns com a desculpa de falta de memória no celular. Mas não entendi... O Telegram ocupa menos espaço e salva menos no telefone. Arrumei grupos de coisas que curto e agora estou cheia de pessoas para conversar.

Tiago Faustino

Também. Tento. Mas não consigo. Me sinto um tiozão tentando se enturmar.

Carlos Eduardo

Suckerberg

Jambeiro

Tá cada vez mais clara no horizonte a solução que um amigo meu adotou: largar de vez o whatsapp e usar o Telegram, e quem quiser falar comigo que se vire.

Facebook eu já tô querendo largar umas páginas que administro, assim que largar eu abandono o perfil. Já deu.

Danilo

No meu caso, largar Facebook é até fácil, o chato é sair do whatsapp e perder um canal de contato com a família e amigos :( E já tentei, mas ninguém que conheco usa o Telegram, com poucas exceções...

S Y N T H W A V E + L O V E R

Nem com o redesign não consigo usar aquilo. Eita troço bagunçado!

Paulo Manso

Instagram já desativei, Facebook está ativado ainda por conta da praticidade em fazer login em certos serviços, WhatsApp não dá pra não ter pois todo mundo só se comunica por ele... ainda tenho esperanças de um dia me livrar do tio Zuck completamente!

Ed. Blake

O telegram aposentou todas as redes sociais e me fez aposentar atéos Forums que eu costumava frequentar.

Ainda me arrisco no reddit de vez em quando mas sempre acabo me perdendo naqueles becos da internet.

Bruna C. C. de S. Wojtenko

O único app que isso atualmente é Telegram. Nada de Whatsapp, Facebook, Instagram. Sobrevivo muito bem, mesmo com a estranheza das pessoas.

Ed. Blake

Estou cada vez mais distante do Whatsapp e me distanciando do Instagram, especialmente após a saída dos também fundadores do app do Grupo Facezuck.

Está na hora de me desvincular completamente do Facebook.
Não quero nada com o Sr Zuckerberg e seus malditos algoritmos de timeline.

Gabriel Antonio

o cara falou que perdiu 850 milhões e vocês "fala isso agora porque quer encher o bolso"

Exibir mais comentários