Início » Internet » O que é o Solid, projeto de Tim Berners-Lee para consertar a web

O que é o Solid, projeto de Tim Berners-Lee para consertar a web

Solid é um projeto de código aberto para te dar mais controle sobre o armazenamento e tratamento dos seus dados na web

Paulo Higa Por

Mais conhecido por ter criado a World Wide Web, o físico britânico Tim Berners-Lee anunciou uma iniciativa para… consertar sua invenção. O Solid é um projeto de código aberto que promete dar ao usuário a palavra final sobre como seus dados são armazenados e tratados. A ideia é resolver uma de suas preocupações sobre o futuro da web: a falta de controle que temos sobre nossas próprias informações.

Tim Berners-Lee (Imagem por Wikipedia)

Tim Berners-Lee

O Solid já havia sido anunciado em 2017, quando a web estava completando 28 anos. Na época, Berners-Lee disse que o modelo de negócio das empresas, que consiste em trocar nossos dados por um serviço “gratuito”, poderia ser perigoso para os usuários. “Em regimes opressores, é fácil ver o dano causado: jornalistas podem ser presos ou assassinados e oponentes políticos podem ser monitorados”, afirmou.

Tudo ficaria no tal do Solid POD

E como isso funciona? Basicamente, no ecossistema do Solid, as fotos que você tira, os comentários que você escreve ou até o número de passos que você deu no dia passam a ser armazenados no seu Solid POD — uma espécie de “pen drive seguro para a web, que você pode acessar de qualquer lugar”, segundo a página do projeto. Os apps compatíveis podem ler e gravar no seu POD, caso tenham a sua permissão.

O seu Solid POD pode ser hospedado em qualquer provedor, ou mesmo no seu próprio computador. Você pode movê-lo para qualquer lugar, já que é o dono dos arquivos que estão ali. Como os apps podem acessar seus dados diretamente no seu POD, isso significa que você não precisa ficar preenchendo novamente suas informações caso troque de serviço, por exemplo.

Em teoria, qualquer tipo de aplicativo ou serviço pode fazer parte do Solid, como uma rede social, um webmail ou um calendário. Se você utilizar um serviço de streaming de música que seja integrante do ecossistema, suas playlists, histórico e biblioteca ficariam armazenados no seu POD — e também poderiam ser acessados por um novo serviço, caso não esteja satisfeito com o atual.

Só que…

O problema, claro, é que tudo isso esbarra na questão da adoção: as empresas precisam aderir ao Solid para que ele tenha algum impacto na internet. E, como sabemos, boa parte delas não parece nem um pouco disposta a perder o controle dos dados dos usuários ou facilitar uma migração para um serviço concorrente.

Ainda assim, os nomes por trás do projeto tentam passar certa confiança. A Inrupt, startup que trabalha no desenvolvimento do Solid, diz que os primeiros apps estão sendo criados neste momento. Ela também afirma, sem citar valores, que conta com o investimento da empresa de capital de risco Glasswing Ventures.

Será que vira mesmo?

Você pode conhecer mais sobre o Solid nesta página.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Harry Mason

Não acredito que eu ri disso. Kkkkk...

Carlos Alex

É... furada hein. Por enquanto prefiro acreditar que se trata de versão alpha... oremos.

Joel Silva

achei o site do projeto https://solid.github.io/sol... mas tem um problema, quando faz o cadastro ou acessa seu dominio pessoal ele fica no protocolo http ai fica tenso, ai toda vez tem que trocar manualmente pro https

repositório: https://github.com/solid/solid

Julio Kochhann

O usuário teria que dar permissão para o app poder acessar determinados dados. Porém, há dois principais problemas que impedem essa ideia de vingar:
1. As empresas querem ter acesso a todos os seus dados. Como alguém já disse nos comentários, a informação é a moeda de barganha da internet.
2. E sim, tecnicamente elas podem copiar todos os dados que você der permissão. Isto é, se o usuário for descuidado, pode acabar "abrindo todas as comportas da represa de uma só vez".

pedrowillyam

Eu também falo o mesmo.

Mural Do Marujo

Eu acho que poderiam era facilitar para voc ter seu servidor pessoal, em seu note ou outro dispositivo e parar com essa de hospedar sites em servidores que são lá da Califórnia ou Reino Unido,ou seja lá onde for. Tem milhões de pessoas que possuem sites ou blogs e tem que pagar para isso, e muitos não ganham nada por mantê-los no ar, mas tem que desembolsar para a hospedagem. Aí, cada um que quisesse isso teria que arcar com a segurança dos seus dados.

Joel Silva

resumindo pra leigo entender de uma vez, lembra dos torrents em que você baixa de varios computadores? então basicamente é uma junção da tecnologia do tor + torrent ou seja é a deep web 2.0

Cristina Nascimento

Eu amo esse homem, casava com ele hoje mesmo!

Caleb Enyawbruce

acho dificil popularizar. Mas vamos ver...

Igor Souza

Perfeito para novas empresas surgirem com propostas de privacidade e segurança

Manoel Verícimo

A questão principal, quem vai pagar a conta?

Danilo

Aí você acessa sua rede social favorita onde um post tem 100 respostas. Tudo salvo em 101 servidores diferentes.
Imagina a demora para carregar isso, tudo ao mesmo tempo :-/

Yago Oliveira

Foi exatamente o que pensei. Não faria muito sentido.

Renan

Boa. Vai transformar a internet toda em um grande paywall.

Abraão Caldas

Se o APP pode ler da plataforma o que a impede de tipo.... copiar os dados?

Exibir mais comentários