Início » Internet » O que é o Solid, projeto de Tim Berners-Lee para consertar a web

O que é o Solid, projeto de Tim Berners-Lee para consertar a web

Solid é um projeto de código aberto para te dar mais controle sobre o armazenamento e tratamento dos seus dados na web

Por
1 ano atrás

Mais conhecido por ter criado a World Wide Web, o físico britânico Tim Berners-Lee anunciou uma iniciativa para… consertar sua invenção. O Solid é um projeto de código aberto que promete dar ao usuário a palavra final sobre como seus dados são armazenados e tratados. A ideia é resolver uma de suas preocupações sobre o futuro da web: a falta de controle que temos sobre nossas próprias informações.

Tim Berners-Lee (Imagem por Wikipedia)

Tim Berners-Lee

O Solid já havia sido anunciado em 2017, quando a web estava completando 28 anos. Na época, Berners-Lee disse que o modelo de negócio das empresas, que consiste em trocar nossos dados por um serviço “gratuito”, poderia ser perigoso para os usuários. “Em regimes opressores, é fácil ver o dano causado: jornalistas podem ser presos ou assassinados e oponentes políticos podem ser monitorados”, afirmou.

Tudo ficaria no tal do Solid POD

E como isso funciona? Basicamente, no ecossistema do Solid, as fotos que você tira, os comentários que você escreve ou até o número de passos que você deu no dia passam a ser armazenados no seu Solid POD — uma espécie de “pen drive seguro para a web, que você pode acessar de qualquer lugar”, segundo a página do projeto. Os apps compatíveis podem ler e gravar no seu POD, caso tenham a sua permissão.

O seu Solid POD pode ser hospedado em qualquer provedor, ou mesmo no seu próprio computador. Você pode movê-lo para qualquer lugar, já que é o dono dos arquivos que estão ali. Como os apps podem acessar seus dados diretamente no seu POD, isso significa que você não precisa ficar preenchendo novamente suas informações caso troque de serviço, por exemplo.

Em teoria, qualquer tipo de aplicativo ou serviço pode fazer parte do Solid, como uma rede social, um webmail ou um calendário. Se você utilizar um serviço de streaming de música que seja integrante do ecossistema, suas playlists, histórico e biblioteca ficariam armazenados no seu POD — e também poderiam ser acessados por um novo serviço, caso não esteja satisfeito com o atual.

Só que…

O problema, claro, é que tudo isso esbarra na questão da adoção: as empresas precisam aderir ao Solid para que ele tenha algum impacto na internet. E, como sabemos, boa parte delas não parece nem um pouco disposta a perder o controle dos dados dos usuários ou facilitar uma migração para um serviço concorrente.

Ainda assim, os nomes por trás do projeto tentam passar certa confiança. A Inrupt, startup que trabalha no desenvolvimento do Solid, diz que os primeiros apps estão sendo criados neste momento. Ela também afirma, sem citar valores, que conta com o investimento da empresa de capital de risco Glasswing Ventures.

Será que vira mesmo?

Você pode conhecer mais sobre o Solid nesta página.

Mais sobre: , ,