Início » Computador » Pixel 3, Home Hub, novo Chromecast e mais: o resumo dos lançamentos do Google

Pixel 3, Home Hub, novo Chromecast e mais: o resumo dos lançamentos do Google

Google oficializou novo smartphone Pixel, revelou atualização menor do Chromecast e anunciou tablet híbrido com Chrome OS

Paulo Higa Por

O Google organizou um evento em Nova York nesta terça-feira (9) para anunciar novidades em hardware. Como esperado, a empresa revelou (ou melhor, oficializou) os smartphones Pixel 3 e Pixel 3 XL, que vazaram completamente nos últimos meses, com uma câmera aprimorada, um processador atualizado e um notch bastante visível na versão maior.

A empresa também apresentou o tablet híbrido Pixel Slate, com teclado destacável e sistema operacional Chrome OS; o Google Home Hub, um display inteligente controlado por voz; e uma atualização incremental do Chromecast. Eis um resumo das novidades mais importantes.

Resumo para preguiçosos

Tem pouco tempo? Tudo bem, aqui vai um resumão para você ler em 1 minuto:

  • Pixel 3 e Pixel 3 XL: cresceram na tela, continuam com câmera única na traseira (mas uma dupla na frente para selfies em grupo) e ganharam processador Snapdragon 845. O Pixel 3 possui uma tela de 5,5 polegadas sem notch, enquanto o Pixel 3 XL tem um entalhe pronunciado no painel de 6,3 polegadas. Os preços nas versões de 64 GB são de US$ 799 e US$ 899, respectivamente.
  • Pixel Slate: é um híbrido de tablet com laptop de 12,3 polegadas. Roda Chrome OS, tem bateria que promete durar até 10 horas e pode ser equipado com um teclado destacável. Custa US$ 599. O teclado será vendido por US$ 199, e ele tem suporte à caneta Pixelbook Pen, de US$ 99.
  • Home Hub: concorrente do Amazon Echo Show, é uma espécie de Google Home com tela. Pode ser controlado por comandos de voz e mostra previsão do tempo, busca, calendário, fotos e vídeos do YouTube em um display de 7 polegadas. Custa US$ 149.
  • Chromecast de 3ª geração: agora suporta Wi-Fi 802.11ac de 5 GHz e tem novo design com cor branca. Só reproduz em Full HD e custa US$ 35.

Lançamentos do Google em vídeo

Google Pixel 3 e Pixel 3 XL

Google Pixel 3 XL

A terceira geração do Pixel vazou tanto que Rick Osterloh, vice-presidente sênior de hardware do Google, não fez mistério: ele subiu ao palco, anunciou o nome dos aparelhos e… eles surgiram imediatamente em uma área no meio do auditório. Na segunda-feira (8), o Google brincou com o fato de que todos os detalhes do Pixel 3 e do Pixel 3 XL já haviam sido divulgados.

O que eles têm em comum? Ambos continuam com uma única câmera na traseira, que desfoca fundos de retratos com inteligência artificial, mas uma dupla na frente, com lente grande angular para tirar selfies em grupo. Eles suportam carregamento sem fio de até 10 watts, possuem traseira de vidro em dois tons de cores e adotam a navegação por gestos do Android 9 Pie, abandonando o trio de botões virtuais.

A diferença fica por conta da tela. O Pixel 3 cresceu de 5 para 5,5 polegadas, trazendo um painel OLED de 2160x1080 pixels (proporção 18:9) e um design tradicional, sem entalhe. Já o Pixel 3 XL tem tela de 6,3 polegadas (contra 6 polegadas na geração passada), com resolução de 2880x1440 pixels (também 18:9) e um notch na parte superior para abrigar a câmera dupla e o alto-falante.

O foco permanece nas câmeras. A traseira, de 12,2 megapixels (f/1,8), tem o recurso Top Shot, que tira fotos sequenciais e descarta as ruins (as que alguém piscou ou ficaram borradas), além do Super Res Zoom, que combina múltiplas imagens para dar zoom e entregar uma foto nítida (mesmo sem lente com zoom óptico). E a intensidade do desfoque de fundo, que sempre foi elogiado no Pixel, pode ser ajustada.

https://www.youtube.com/watch?v=vKSA_idPZkc

Eles têm processador Snapdragon 845, 4 GB de RAM, baterias de 2.915 ou 3.430 mAh e duas opções de armazenamento interno, sem possibilidade de expansão. Os preços do Pixel 3 são de US$ 799 (64 GB) e US$ 899 (128 GB), enquanto o Pixel 3 XL sai por US$ 899 (64 GB) e US$ 999 (128 GB).

A pré-venda começa nesta terça-feira (9) nos Estados Unidos, e os consumidores ganham seis meses de YouTube Music. Nenhum Pixel foi lançado oficialmente no Brasil até hoje — não parece que isso vai mudar agora.

Google Pixel Slate, Pixel Slate Keyboard e Pixelbook Pen

Google Pixel Slate

O Pixel Slate é um híbrido de tablet com notebook para concorrer com o iPad Pro e o Surface Pro. Em vez do Android, ele roda Chrome OS, e há opções de hardware mais poderosas para usuários que desejam rodar tarefas mais pesadas: o processador é um Intel Celeron (boo!), Core m3 ou Core i5 de oitava geração; a RAM é de 4, 8 ou 16 GB (eita!) e o armazenamento interno vai de 32 a 256 GB.

Por causa das configurações bem amplas, o preço começa em US$ 599, mas chega a US$ 1.699 na versão mais potente (sem considerar os acessórios). Seja qual for o hardware, o Pixel Slate tem um leitor de impressões digitais embutido no botão de início, dois alto-falantes frontais e dois microfones.

A interface do Chrome OS foi adaptada para a tela LCD LTPS sensível ao toque de 12,3 polegadas do Pixel Slate, que tem resolução de 3000x2000 pixels e foi chamada pelo Google de Molecular Display. O sistema operacional trouxe uma integração mais forte com o Google Assistente, e você pode rodar tanto apps de Android quanto de Linux.

Ele suporta dois acessórios, que devem ser adquiridos à parte. O Pixel Slate Keyboard, de US$ 199, é uma capa com teclado que se conecta magneticamente ao tablet. Há detalhes bacanas, como os botões retroiluminados, o trackpad e a possibilidade de ajustar a inclinação da tela. Já a Pixelbook Pen é uma caneta para escrever e desenhar na tela, que será vendida por US$ 99.

Google Home Hub

Toda empresa resolveu fazer um display inteligente. A Amazon tem o Echo Show, o Facebook tem o Portal e o Google tem o Home Hub. De forma simplificada, ele é um Google Home com tela de 7 polegadas, o que significa que você pode dar comandos de voz para ver a previsão do tempo, pesquisar na web, controlar os dispositivos inteligentes da sua casa ou reproduzir vídeos no YouTube.

Fato curioso é que, diferente de outros gadgets do tipo, o Google Home Hub não tem uma câmera integrada. O Google disse que isso foi proposital, para que os usuários se sintam confortáveis em instalá-lo em locais mais privados, como o quarto. Inclusive, nesse caso, o sensor de luz ambiente se certifica de ajustar o brilho e o conteúdo da tela automaticamente, para não atrapalhar sua noite de sono.

Como os outros produtos da família Google Home, o Home Hub tem um preço não muito alto de US$ 149. Ele começa a ser vendido nos Estados Unidos a partir de 22 de outubro, e os consumidores ganham seis meses de YouTube Music.

Chromecast de 3ª geração

Chromecast (3ª geração)

Um novo Chromecast não ganhou destaque na apresentação do Google por um motivo: trata-se apenas de uma atualização menor do modelo de 2015. O Chromecast Ultra, que suporta exibição de conteúdos em 4K, continua no mercado, enquanto o novo Chromecast só reproduz em Full HD a 60 quadros por segundo.

Por fora, a novidade é um design mais limpo e com uma nova opção de cor branca. Por dentro, ele trouxe a capacidade de se conectar a redes Wi-Fi 802.11ac (Wi-Fi 5) na frequência de 5 GHz, o que deve agilizar a reprodução de conteúdos mais pesados em roteadores mais congestionados. O preço continua em US$ 35 lá fora; ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

John Smith
Google Notch 3 XL, Chromecast 2.1 e um tablet com essa interface ridícula que parece um celular esticado. Parece que os desenvolvedores estavam com preguiça de fazer algo mais elaborado e pensaram "vamos copiar aquela disposição de ícones do iPad mesmo...".Home Hub nem é produto da realidade brasileira, portanto não vou tecer comentários ácidos sobre ele.
Pedro Resende
Pra mim virou padrão mesmo. Sem contar as telas impecáveis. Depois que você usa um s8, s9, fica difícil usar outro aparelho por conta da qualidade da tela
Jader Araujo
vou ficar com meu pixel 2 xl por um bom tempo, kkkkkkk, que merda de notch ridiculo.
paulo yan
Depois do que a Samsung fez com o Android dela, eu penso do mesmo jeito. Incrível como a Samsung se tornou o novo padrão no mundo Android, tanto em hardware como em software.
paulo yan
Gostei. Para mim fica mais elegante. A HP fazia assim também antes, não sei se faz ainda.
paulo yan
A linha A é bem bacana.
paulo yan
Pixel Slate me agradou bastante, pena que não seja vendido oficialmente por aqui e que o preço esteja salgado pro seu processador; Chrome OS parece ser um excelente sistema. Não sei porque a Google fica se preocupando em criar um novo (fuchsia) ao invés de investir nele em smartphones; transformaram o "hey Google" em musiquinha pra não sair ativando os aparelhos da galera haha, boooa... e ChromeCast. Dizer o que? Os caras lançam uma nova versão piorada. Não dá pra entender.
marcos
E esse chromecast sem um controle na caixa? Acho que já passou da hora de ter isso
Almirante Golfinho
199 dólares por esse teclado HORROROSO!!!!
Rafael Moreira
O pixel 3 é até aceitável sem notch. Se a versão anterior sofrer uma boa queda de preço, compensa comprar um pixel 2 XL no ML no lugar desses novos lançamentos sem dúvidas. Continuo ainda com meu Nexus 6P de boa aqui, me atendendo muito bem, principalmente na parte da câmera. Detalhe, celular de 2015. Só precisa trocar a bateria com o passar do tempo. Dá caldo em muito aparelho novo.
Alexandre Marx
Sou fã da marca mas sinceramente eu fiquei decepcionado com tudo que foi lançado.
Kodos Otros
Somos dois. Na realidade até na época em que eu tinha Nexus, usava uma ROM tipo Paranoid Android. o Android puro sempre foi muito limitado.
Danilo
Tablet rodando aplicativos linux é algo bem interessante...
Danilo
Pixel 4: notch + queixo + bordas laterais de 1cm.
Danilo
Elas ficam maiúsculas quando pressiona o caps lock, é e-ink... ok, é mentira. Estranho mesmo.
Pedro Resende
Hoje prefiro Android customizado do que o puro. O jogo virou.
Henrique Silveira Steinmetz
olho de tandera, como não notei isso...diferente mas seila, curti o teclado...
André G
Desnecessário trocar um 5T agora, ele ainda é um ótimo aparelho. Eu esperaria mais um ano pelo menos.
André G
Só achei o XL ridículo, o Pixel 3 eu até gostei.
Victor Serrão
Notch + queixo: WTF???
Ed. Blake
Eu jamais trocaria um 5T por um S8/S9 (plus ou não).
Paçaro
Eu até tava pensando em trocar meu 5T por um S8 ou S8+ porque parecem ser excelentes celulares e são muito bonitos, mas eu fico com medo de me arrepender. E também suspeito que seja só aquele meu fogo no rabo de querer ficar trocando de celular.
Ed. Blake
Desde o Galaxy S7 que a Samsung não tem concorrência de verdade entre as marcas mais tradicionais. Também nunca gostei de Samsung mas ela vem trabalhando duro nos aparelhos topo de linha para mudar este conceito e desconfiança que os usuários mais hardcore tem dela (não sem justificativa).Fora o preço, tudo mais sobre o aparelho é incrível. Hardware impecável, software vem melhorando a cada dia, recebendo atualizações constantes (incluindo patches de segurança), Não entra no hype da mídia especializada (faz o que precisa ser feito e não o que os jornalistas acham que o mercado quer, como 5 cameras, 10Gb de RAM e etc).Se os intermediários dela não fossem exatamente como sempre foram (descartáveis só pra encher portfólio) eu me arriscaria. Mas infelizmente não são e também não compro top de linha só pra ostentar um aparelho caro e usar redes sociais e telefone.No meu caso a alternativa vai continuar sendo os intermediários premium da Xiaomi.
Paçaro
Porque? Qual celular você usa atualmente?
Paçaro
Exatamente. Pegaram os do ano passado, botaram um processador marginalmente melhor, deixaram mais feio e botaram Android P.
Paçaro
Pois é. Até eu, que nunca gostei de Samsung, admito que o S9 é o melhor conjunto pro usuário médio que quer um flagship. Celular tem todos os componentes de boa qualidade, um preço alto mas não absurdo para o que oferece e não vai dar dor de cabeça nenhuma.Até esses dias eu estava animado o OP6T, mas já desencanei. Não pretendo trocar de celular tão cedo, mas ficaria tentado entre um 2XL, S9 ou algum Xiaomi.
Kodos Otros
Mas eu quero distância do Android Puro.
Everton Oliveira
Dica o xiaomi a2 ou Motorola lhe entregam o android one
Everton Oliveira
Que visão ein
Ed. Blake
Talvez pelo uso da fonte Google Sans que é mais reconhecível com letras minúsculas. Só questão de branding mesmo.
Ed. Blake
Não existe qualquer coisa neles que justifique o upgrade para quem tem tops de linha de até 2017/18.
Ed. Blake
Samsung vai nadar de braçada no mercado de tops de linha em 2019.
Renan Rufino
caraiii, só reparei agora, que esquisito mesmo kkk
grande_dino_2
Teclado com as letras em minúsculo nas teclas.Como assim?
Renan Rufino
Tecnoblog, o ChromeCast 2 já suporta Ac 5Ghz (tenho um em casa conectado nele)
Kodos Otros
E a cada ano fico mais longe da linha Google com Android Puro. Tá cada vez pior.
Paçaro
Os únicos diferenciais desses Pixel são o Android puro (N alternativas por aí) e a camera, que teoricamente é a melhor em celulares. Isso que não quero nem entrar no mérito de o XL ser horrível, ou de ambos terem baterias ridiculas.Pagando esse valor ou algo parecido você encontra celulares com um conjunto muito melhor.
Trovalds
Complementando e parafraseando: "Ridículo os celulares."
Paçaro
Ridiculo o preço dos celulares.
Daniel Lucena
Xiii jaa nos acostumamos com a borda super finas...