Início » Gadgets » Xiaomi Mi Band 3 e Apple Watch “detectam” batimento cardíaco em rolo de papel

Xiaomi Mi Band 3 e Apple Watch “detectam” batimento cardíaco em rolo de papel

Xiaomi Mi Band 3 e Apple Watch Series 4 têm sensor cardíaco que detecta luz verde refletida, por isso "veem" batimento em objetos

Por
10/10/2018 às 13h49
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Xiaomi Mi Band 3 está “detectando” uma frequência cardíaca em rolos de papel higiênico. A pulseira fitness Hey+, com display colorido, faz o mesmo. Isso acontece até mesmo com um Apple Watch Series 4 e um Ticwatch, relógio com Wear OS (antes Android Wear). Esta não é uma falha, e sim uma oportunidade para entender como funciona o sensor cardíaco.

Diversos usuários na rede social chinesa Weibo descobriram que a Mi Band 3 consegue “ler” batimentos cardíacos em papel higiênico. O site Abacus, especializado em tecnologia da China, fez o teste e confirmou que é verdade. Isso funcionou em um quarto das tentativas, mas a pulseira dizia que o rolo tinha frequência entre 59 e 88 batimentos por minuto.

Não se trata de algo exclusivo à Xiaomi. O Apple Watch Series 4 detectou uma frequência de 33 bpm em uma banana; e o Ticwatch, da chinesa Mobvoi, calculou que uma caneca tinha 130 bpm. Em um vídeo do YouTube, o usuário Piotr Wolanin mostra que a Huawei Band A2 atribui 57 bpm a um rolo de papel higiênico.

Por que sensor cardíaco “detecta” batimento em objetos

Isso tem a ver com a tecnologia usada nesses dispositivos, chamada fotopletismografia (PPG).

O sangue absorve uma luz verde que é emitida pelo sensor. Isso acontece com mais intensidade quando o batimento cardíaco está elevado, ou seja, quando o coração bombeia mais sangue — que, por sua vez, absorve mais luz. Então o sensor mede quanta luz verde foi refletida de volta, e calcula seus batimentos por minuto.

Um engenheiro biomédico explica ao Abacus que o sensor pode se confundir caso seja usado em objetos, em vez de um pulso humano. Afinal, ele mede quanta luz verde é refletida de volta, e as coisas ao nosso redor refletem luz — é assim que conseguimos vê-las, e é assim que detectamos suas cores.

O software feito pela Xiaomi, Apple ou qualquer outra fabricante para o sensor cardíaco é projetado apenas com uma finalidade: detectar batimentos de um pulso humano. Assim, os wearables veem a luz sendo refletida, assumem que estão sendo usados em uma pessoa, e informam uma frequência cardíaca.

Ou seja, os dispositivos estão funcionando exatamente como deveriam — isto é, são capazes de detectar batimentos cardíacos em humanos, não em papel higiênico.

Xiaomi Mi Band 3 “encontra” batimento cardíaco em rolos de papel:

Huawei Band A2 “detecta” 57 bpm em rolo de papel higiênico:

Com informações: Abacus, Gizmochina.