Início » Negócios » Stone, das máquinas de cartão, sofre vazamento de código-fonte antes do IPO

Stone, das máquinas de cartão, sofre vazamento de código-fonte antes do IPO

Stone arrecadou US$ 1,5 bilhão em estreia na bolsa de valores Nasdaq; empresa concorre com PagSeguro, Cielo e Rede

Por
51 semanas atrás

A Stone é uma das diversas empresas que oferecem maquininhas de cartão de crédito, concorrendo com PagSeguro, Cielo e Rede. Ela está se preparando para estrear na bolsa de valores Nasdaq, mas avisou à SEC (comissão de valores mobiliários dos EUA) que o código-fonte de seu software foi parcialmente vazado.

Em documento entregue à SEC nesta quarta-feira (24), a Stone diz que parte do código-fonte do sistema Pagar.me e de sua maquininha foram publicados na internet. Além disso, a empresa foi vítima de chantagem: alguém está ameaçando vazar mais partes do código, a menos que receba pagamentos em dinheiro.

A Stone descobriu o vazamento nesta terça. Ela diz à SEC que “o código-fonte vazado não contém informações sensíveis do ponto de vista concorrencial”.

Além disso, a empresa diz que não sofreu vazamento de dados pessoais ou financeiros. “Acreditamos que não houve acesso não-autorizado, transferência ou uso inadequado de informações pessoais e financeiras ou de dados de negócios de nossos clientes e seus consumidores”.

Stone concorre com Itaú, Bradesco e Santander

A Stone Pagamentos foi fundada em 2012 por André Street e Eduardo Pontes, oferecendo máquinas de cartão de crédito e débito. Ela aproveitou um novo momento nesse mercado: desde 2010, é proibido restringir uma bandeira de cartão a apenas uma maquininha (antes era Visa na Cielo e Mastercard na Rede).

Isso significa que a Stone concorre com grandes bancos no Brasil, incluindo a Cielo (Bradesco e Banco do Brasil), Rede (Itaú) e Getnet (Santander).

Segundo a Reuters, a Stone arrecadou US$ 1,5 bilhão pouco antes da estreia na Nasdaq. Com o dinheiro, a empresa pretende oferecer serviços bancários, criar um programa de fidelidade, além de realizar fusões e aquisições. Os investidores poderão negociar as ações a partir desta quinta-feira.

Com informações: Folha, Estadão.

Mais sobre: ,