Início » Computador » MacBook Air, Mac mini, iPad Pro e mais: o resumo dos lançamentos da Apple

MacBook Air, Mac mini, iPad Pro e mais: o resumo dos lançamentos da Apple

MacBook Air com tela Retina, atualização do Mac mini, iPad Pro com bordas menores, Apple Pencil 2 com carregamento sem fio...

Paulo Higa Por

A Apple organizou um evento nesta terça-feira (30) em Nova York para anunciar novidades para os Macs e iPads. A empresa finalmente revelou uma nova geração do MacBook Air, com Touch ID e tela Retina; apresentou um Mac mini mais poderoso com até 64 GB de RAM; e mostrou o iPad Pro com bordas reduzidas, reconhecimento facial e porta USB-C.

Também houve outros anúncios importantes, como o fato de que o iPad ultrapassou as vendas das maiores fabricantes de notebooks, incluindo Dell, HP e Lenovo; e um novo Apple Pencil, que passa a contar com conexão magnética e carregamento sem fio. Eis um compilado de tudo o que a Apple anunciou de importante (e caro) hoje.

Resumo para preguiçosos

Tem pouco tempo? Tudo bem, aqui vai um resumão para você ler em 1 minuto:

  • MacBook Air: ganhou novo design com alumínio reciclado, processador dual-core Intel Core de oitava geração, teclado e trackpad renovados, além de uma tela Retina de 13,3 polegadas. Ficou mais fino e leve que o modelo anterior. Custa a partir de R$ 10.399.
  • Mac mini: não tinha nenhuma atualização desde 2014, e agora traz hardware mais potente, com processador quad ou six-core Intel Core de oitava geração, até 64 GB de RAM e até 2 TB de SSD. O visual é semelhante ao modelo anterior, mas passou a ser construído com alumínio reciclado. O preço começa em R$ 6.999.
  • iPad Pro: disponível em tamanhos de 11 ou 12,9 polegadas, tem bordas reduzidas, elimina o botão Home para dar lugar ao Face ID, traz uma porta USB-C para conectar monitores até 5K e um processador A12X Bionic, até 90% mais rápido em tarefas multi-core. A partir de R$ 6.799 (11 polegadas) e R$ 8.399 (12,9 polegadas).
  • Outros anúncios: iPad já vende mais que notebooks da HP, Lenovo ou Dell no mundo; Apple Pencil 2 tem conexão magnética para o novo iPad Pro e carregamento sem fio; e o iOS 12.1 foi liberado com chamadas em grupo no FaceTime, dual SIM e melhorias na câmera.

MacBook Air com tela Retina de 13,3 polegadas e Touch ID

O primeiro lançamento do dia foi o novo MacBook Air, que ganhou uma tela Retina, dispensando o antigo painel de 1440x900 pixels. Ele traz um design que se aproxima mais dos outros MacBooks, com poucas portas (apenas duas USB-C e uma entrada de 3,5 mm para fones de ouvido), logotipo da Apple sem iluminação e um teclado mais silencioso, com o polêmico mecanismo borboleta, mas sem Touch Bar.

A bateria permanece com a mesma autonomia de 12 horas de navegação no Wi-Fi, mas o hardware foi significativamente melhorado, embora ainda só seja possível equipá-lo com chips dual-core. Desde que você esteja a disposto a pagar, dá para colocar até 16 GB de RAM, 1,5 TB de armazenamento e processador Core i7. Além disso, o modelo conta com Touch ID e alto-falantes que prometem o dobro de graves.

A versão de entrada, com Core i5, 8 GB de RAM e 128 GB de memória flash, custa US$ 1.199 nos Estados Unidos e R$ 10.399 no Brasil.

Mac mini ganha processador six-core e até 64 GB de RAM

https://www.youtube.com/watch?v=YDmEu5KQR1E

Visualmente, o novo Mac mini se parece bastante com o modelo anterior, que não era atualizado há quatro anos. Mas, assim como no MacBook Air, a Apple deu bastante ênfase à carcaça, que passou a ser construída com alumínio totalmente reciclado. A empresa também tornou a máquina mais poderosa e abandonou de vez o disco rígido.

O modelo de entrada continua simples como os antigos Macs mini: ele tem processador Core i3 quad-core de até 3,6 GHz, 8 GB de RAM, 128 GB de SSD e gráficos integrados, por US$ 799 (Estados Unidos) ou R$ 6.999 (Brasil). Nas portas Thunderbolt 3 e HDMI 2.0, é possível conectar até dois monitores 4K ou um monitor 5K.

Mas a Apple destaca que a estrutura térmica foi reprojetada para dar conta de um Core i7 six-core até 4,6 GHz e as memórias DDR4 de 2.666 MHz de até 64 GB. A placa de rede, que por padrão é uma Gigabit Ethernet, pode receber um upgrade para suportar conexões de 10 Gb/s. E o SSD, de até 2 TB, pode ler dados a uma velocidade sequencial de até 3,4 GB/s (gigabytes por segundo).

iPad Pro de 11 e 12,9 polegadas têm Face ID, porta USB-C e bordas menores

Talvez a grande mudança do dia seja o iPad Pro: ele foi totalmente renovado, passando a ter bordas mais finas; traz uma porta USB-C no lugar do Lightning para se conectar a câmeras e monitores ou recarregar outros aparelhos; e vem com uma tecnologia de reconhecimento facial que aposentou o botão Home e o Touch ID. Não há mais entrada para fones de ouvido, e o adaptador custa R$ 79.

O tablet tem versões com telas de 11 polegadas (com quase o tamanho do antigo modelo de 10,5 polegadas) e de 12,9 polegadas. Nenhum tem botão Home, então a navegação é feita totalmente por gestos, como no iPhone XS: você volta à tela inicial deslizando para cima, e alterna entre apps deslizando lateralmente na borda inferior.

O processador A12X Bionic tem oito núcleos e é mais rápido que 92% dos PCs portáteis mais vendidos nos últimos 12 meses, de acordo com a Apple. Na apresentação, a Adobe demonstrou o iPad Pro editando um arquivo de 3 GB do Photoshop, com 12000x12000 pixels e dezenas de camadas, sem engasgar.

Só que ele certamente também é mais caro que 92% dos PCs portáteis mais vendidos nos últimos 12 meses: o modelo básico do novo iPad Pro, de 64 GB, tela de 11 polegadas e conexão Wi-Fi, custa R$ 6.799. O preço chega a R$ 15.599 na versão de 12,9 polegadas, 1 TB de armazenamento e 4G.

Outros anúncios

iPad versus HP, Lenovo e Dell

Pode não ser uma comparação muito justa, mas dá para ter uma ideia de quão importante é o iPad dentro da Apple: a empresa fez questão de destacar no keynote que o tablet já vende mais que os notebooks das líderes HP, Lenovo e Dell. No mundo, 44,2 milhões de iPads foram comercializados no último ano, contra 36,9 milhões de computadores da HP.

Tanto é que a Apple finalmente melhorou um dos principais acessórios do iPad: o Apple Pencil. A caneta se conecta de forma magnética na lateral do novo tablet e não tem mais a conexão Lightning: o carregamento da bateria interna é feito por indução, e o pareamento é realizado automaticamente. Além disso, o teclado Smart Keyboard Folio agora protege tanto a frente quanto a traseira do iPad Pro e traz duas posições: uma para a mesa, outra para o colo.

A apresentação da Apple foi encerrada com a Lana Del Rey, digo, com o iOS 12.1, liberado nesta terça-feira (30). Entre as novidades estão as chamadas em áudio ou vídeo com até 32 pessoas no FaceTime; a inclusão de 70 emojis, incluindo figuras de pessoas carecas ou com cabelo ruivo, grisalho e cacheado, e novas reações, animais e alimentos; o controle de desfoque de fundo na câmera frontal; e suporte para dual SIM nos iPhones XS, XS Max e XR.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael Moreira
Produtos Apple também só compro no ML. Não só eles, como qualquer importado também.
Eduardo
Desejava tanto um MAC para aplicações específicas, mas com o preço proibitivo terminei por fazer um Hackintosh mesmo, em comparação fiz um investimento bem melhor. Quem sabe um dia esses preços não caiam.
SiouxBR
Mês passado viagem para fora do Brasil e fui no posto da Receita pegar informações. Segundo eles, além da cota de US$ 500,00 posso trazer para uso pessoal 1 notebook, 1 celular, 1 relógio e 1 câmera fotográfica.
Luizão
1 unidade só, certeza q ngm da receita federal vai encrencar.
Eliézer José Lonczynski
Um sonho distante..
Jean Samyr Sawada
Qualquer vendedor com classificação boa no ML e seguro, compro de tudo no ML hoje em dia, só quando é equipamento que precisa de nota fiscal que eu tenho que comprar em loja
tuneman
ai eu acho que não vão encher o saco. um amigo voltou de chicago com um PS4 e uma caralhada de coisa sem problema nenhum.
Carlin
Quais vendedores voce recomenda?!
Diego Vasconcellos
o troco serve pra pagar o DARF do imposto pra isso não ser considerado descaminho (crime)
Jean Samyr Sawada
Função da Apple Brasil, usar como base de preço pra comprar na gringa
Jean Samyr Sawada
Eu tó comprando meus Apple tudo pelo ML ou por importador, sai muito mais em conta, atualizei o meu MacBook Pro agora, gastei 7K, e no brasil eu ia gastar o dobro, mesma coisa foi o meu iMac em 2016, comprei pelo ML o 5K por 8K. hoje em dia eu nem considero a apple do brasil.
Rodrigo Dias da Silva
Um Tablet para uma classe de pessoas diferenciadas, V.I.P, upper class, high society, que não sabe o que é crise, não sabe o que é desemprego, mas que sabe muito bem demitir os usuários de Android, para os infelizes que nasceram pobres, existem celulares Tablets de 300 reais, acho que acima desse valor ficaria difícil entrar no orçamento de vocês, insignificantes, pois teriam que cortar o ovo, arroz ou o feijão, ou pior, cortar o ônibus lotado, cheio daquela gentinha exalando CC, procurando subempregos, para que não morram de fome, tendo ainda a petulância de implorar por bolsas de estudo em nossas empresas, pois da onde vêem não ser analfabeto já é uma bela qualificação. Queria escrever mais, mas já está na hora de passear com meus três cães Malamutes aqui no bosque do Royal Golf Club.
Rafael Moreira
MacBook só compensa a compra fora como você citou, e também no ML. Não sei quanto custará esse rerina por lá, mais os tradicionais está 4mil reais. Agora que entre pagar grana em um iPhone ou Mac, mil vezes Mac. Sistema mais aberto comparado ao iOS. Sem contar as funcionalidades. Produto voltado inteiramente para estudos e trabalho.
mpcasais
Gente, que absurdo
Paçaro
#elaNao #elaNunca
Celso
Pois é, eu tava cogitando em comprar um e tava vigiando os preços. Até tava esperando algo em até no máximo 7k. É absurdo esse preço que eles colocam no site oficial.
Celso
Me expressei mal. Eu tava acostumado a ver o Mac Air beirando os R$ 5.000 de um pessoal que importa e etc., por isso o espanto. E realmente, nos EUA é um preço 'ok', até por que a realidade $$ é outra.
Almirante Golfinho
Tem os caras que importam... Até um dia desses comprei macbook air com boa config no mercado livre por 4100 reais... com nota fiscal da best buy e garantia internacional... É o jeito... Pq esses preços das lojas locais é um abusrdo msm, dá pra comprar um macbook pro ou um macbook 12 no ML com isso e ainda sobra
grande_dino_2
Todos os preços pro Brasil são um absurdo.Já os preços pros EUA são até bons (exceto o dos iPhones).O Mac Air por US$1200 é um preço bem interessante e que está na faixa de outros ultrabooks desse tamanho (como eu disse no outro post).Agora, eu realmente gostaria de ouvir a justificativa de quem compra esses produtos no Brasil. Eu realmente gostaria.
Celso
Mac Air a partir de R$ 10.399 é um baita absurdo.