Início » Negócios » Número de iPhones vendidos para de crescer e Apple deixa de ser empresa de US$ 1 trilhão

Número de iPhones vendidos para de crescer e Apple deixa de ser empresa de US$ 1 trilhão

Faturamento com iPhones subiu 29%, mas volume de unidades estagnou

Paulo Higa Por

A Apple divulgou nesta quinta-feira (1º) seu relatório financeiro do quarto trimestre fiscal de 2018, equivalente aos meses de julho a setembro. A empresa faturou US$ 62,9 bilhões, um aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano passado, mas as ações chegaram a despencar mais de 7% na bolsa, o que puxou o valor de mercado da companhia para abaixo da marca histórica de US$ 1 trilhão por algumas horas.

A queda tem a ver, entre outros fatores, com a estagnação do iPhone. Com celulares mais caros, a empresa faturou US$ 37,2 bilhões, um crescimento de 29% em relação ao mesmo período do ano passado. No entanto, o número de iPhones vendidos parou de subir: foi de 46,68 milhões no quarto trimestre fiscal de 2017 para 46,89 milhões de unidades no relatório atual.

Alguns investidores projetam um declínio na quantidade de iPhones vendidos, o que derrubou o preço das ações. Além disso, a Apple informou que não vai mais divulgar o número de unidades comercializadas a partir do próximo trimestre, o que foi visto como uma forma de encobrir números ruins e tirar de discussão os aumentos de preços. Sem o dado, é impossível calcular o valor médio de venda dos iPhones, atualmente em US$ 793.

Quantidade de produtos vendidos não será mais divulgada, diz Apple

Quantidade de produtos vendidos não será mais divulgada, diz Apple

Para o trimestre de outubro a dezembro, quando a Apple costuma bater recordes devido às vendas de fim de ano, a empresa projetou um faturamento entre US$ 89 e 93 bilhões, enquanto os investidores estimavam algo mais próximo de US$ 100 bilhões. O diretor financeiro Luca Maestri afirmou em entrevista que a previsão reflete a “fraqueza nas economias dos mercados em desenvolvimento, como Turquia e Brasil”.

Tim Cook também declarou que a empresa está vendo fraquezas macroeconômicas em alguns dos mercados emergentes, citando nominalmente o Brasil, a Índia, a Rússia e a Turquia. No caso da Índia, as vendas permaneceram estáveis. No mercado brasileiro, os iPhones XS, XS Max e XR entraram em pré-venda nesta sexta-feira (2), com preços recordes de R$ 5.199 a 9.999.

Mesmo assim, a Apple terminou setembro com o melhor quarto trimestre fiscal de sua história. A empresa lucrou US$ 14,1 bilhões, um forte aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado. O destaque ficou por conta da receita com serviços, como App Store, Apple Pay, iCloud e outros, que bateu a marca dos US$ 10 bilhões pela primeira vez. O faturamento na categoria “outros”, o que inclui Apple Watch, Apple TV, HomePod, AirPods e Beats, cresceu 31%.

Com informações: Business Insider, CNBC, Wall Street Journal.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

gbitte

Não só o principal,como é o que torna ela uma empresa enorme. É a grande parte do lucro e é o que puxa outros lucros com serviços e produtos.

Pedro S. Marques

Com a justificativa q console vendido não quer dizer lucro, e sim vendas de serviços em cima da base instalada.

Alberto Prado

É estranho que ninguém vai reclama disso. Isso é algo que deveria ser aberto, principalmente por ela ser uma empresa de capital aberto.
Olha o sufoco que a Tesla tá passando por causa dos números de carros que ela consegue produzir. Os acionistas ficam em cima dela.

mpcasais

"O diretor financeiro Luca Maestri afirmou em entrevista que a previsão reflete a “fraqueza nas economias dos mercados em desenvolvimento, como Turquia e Brasil”."

Tome vergonha nas suas caras de pau e se toquem que vocês são abusivos com os preços que cobram aqui, se fosse desenvolvido, teria ainda mais queda porque nem todo mundo seria trouxa de pagar o que vocês pedem.
Lancem aparelhos decentes com preços decentes.
Tomara que caia mais pra levar mais na cara e ver se aprende.

Arley Martins

Abaixa o preço em 50 dólares em cada aparelho é só venda versões de 256 e 512. Vai aumentar as vendas e o lucro vai continuar bacana. Mais no Brasil um celular valer 5.2k é melhor usar essa grana e comprar uma moto pra andar.

Yago Oliveira

Mas chega um ponto que o se pode fazer é abandobar o pais. Infelizmente aqui, muitas veses as empresas escolhem entre o prejuízo ou capar o gato. Adivinha o que quase sempre acontece.

Fagner Ribeiro

10 mil bolsonaros num telefone é um tapa na cara da sociedade brasileira.

Jefferson

E principalmente hoje em dia que um android intermediário entrega basicamente tudo o que a maioria da população precisa.

Carlin

A Apple esta diante de um grande impasse, é preciso rever as estrategias nós mercados emergentes, e estar ciente que não é possível aumentar a margem de lucro para cobrir a queda nas vendas, são momentos difíceis para o mercado de telefonia móvel, boa parte dos usuários não veem sentido em trocar de smartphone todo ano, ou pior ninguém entrega "novidades incríveis" a ponto de justificar a troca!

ochateador

Tim Cook também declarou que a empresa está vendo fraquezas macroeconômicas em alguns dos mercados emergentes

1 iphone XR ( aka, iphone "pobre" ) custa R$ 5199.
O salário mínimo no Brasil é de R$ 954,00.

1 iphone XR custa 5,44 salários mínimos.
Tudo bem que a apple gosta de ser elite e ostentar muito status, mas uma hora a empresa vai descobrir que o preço alto faz ela perder muitos clientes.

Robert Rey

Vou nem dormir hoje

Eliézer José Lonczynski

Ca9ar dinheiro tem limite né éppou

Eduardo Braga

Mas a Apple só tem aparelhos premium. A Samsung tem aparelhos em vários valores. Deve ser por isso que não passam perrengue.

Jairo ☠️

Nem comenta isto , a eipó só reve os preços para cima.

David

Verdade. Mas a Apple tem o agravante de que o iPhone é a principal fonte de receita da empresa. Esconder essas informações pega e muito mal aos olhos de investidores.

Exibir mais comentários