Início » Negócios Web » Zuckerberg diz que iMessage é o “maior concorrente” do Facebook

Zuckerberg diz que iMessage é o “maior concorrente” do Facebook

Segundo o CEO do Facebook, o mensageiro da Apple tem incomodado em países como os EUA

Por
02/11/2018 às 15h15
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Nem Snapchat, muito menos Twitter. A maior preocupação do Facebook atualmente é o iMessage, da Apple. A declaração foi feita na terça-feira (30) pelo próprio CEO do Facebook, Mark Zuckerberg.

Segundo ele, o mensageiro é “de longe, o maior concorrente” de sua empresa. A fala surgiu durante uma conferência com acionistas que tratavam do balanço do Facebook para o terceiro trimestre. Zuckerberg admitiu que o serviço da Apple tem incomodado.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Foto por Anthony Quintano/Flickr)

“Em países importantes como os Estados Unidos onde o iPhone é forte, a Apple incorpora o iMessage como o aplicativo de mensagens padrão e ainda está à frente”, afirmou.

Para ele, aplicativos como o próprio iMessage, além do Messenger e do WhatsApp, estão fazendo as pessoas mudarem a forma como se comunicam. Em vez de conteúdo público, muitas estão preferindo as mensagens privadas.

Atualmente, os serviços do Facebook – incluindo Messenger, WhatsApp e Instagram – são usados para enviar mais de 100 bilhões de mensagens por dia. Por isso, Zuckerberg pretende melhorar a experiência dos usuários nessa área.

Na conferência, sobrou até uma indireta para o CEO da Apple, Tim Cook, que recentemente criticou companhias que usam dados pessoais como base de seu modelo de negócios.

“Vale a pena notar que uma das principais razões pelas quais as pessoas preferem nossos serviços, especialmente o WhatsApp, é por causa de seu forte histórico de privacidade”, disse Zuckerberg.

“O WhatsApp é completamente criptografado de ponta a ponta, não armazena suas mensagens e não armazena as chaves para suas mensagens na China ou em qualquer outro lugar”, continuou.

A fala foi em referência à decisão da Apple, que transferiu os dados armazenados no iCloud dos Estados Unidos para uma empresa estatal chinesa. Para críticos da mudança, as leis da China podem impedir que a Apple garanta privacidade de seus usuários.

Com informações: CNBC, MacRumors.