Início » Celular » Apple A12X Bionic, do novo iPad Pro, chega perto do Intel Core i7 em benchmark

Apple A12X Bionic, do novo iPad Pro, chega perto do Intel Core i7 em benchmark

iPad Pro (2018) tem processador mais rápido da Apple; A12X Bionic tem quase mesmo benchmark que Intel Core i7 do MacBook Pro

Por
36 semanas atrás

O novo iPad Pro tem o processador mais rápido já feito pela Apple, e ele chega bem perto do desempenho da Intel. O A12X Bionic tem quase a mesma pontuação de benchmark que o Core i7 usado no MacBook Pro. É uma prévia do que podemos esperar de futuros Macs na plataforma ARM em 2020.

O novo iPad Pro

O novo iPad Pro

Segundo o MacRumors, o novo iPad Pro alcança pontuações single-core e multi-core de 5.025 e 18.106, respectivamente. Enquanto isso, o MacBook Pro de 15 polegadas começa em 4.928 e 21.165 — trata-se do processador Intel Core i7 de oitava geração com seis núcleos de 2,2 GHz.

O chip A12X Bionic tem um processador de 8 núcleos. Segundo a Apple, ele é mais rápido que 92% dos PCs portáteis mais vendidos nos últimos 12 meses. Enquanto isso, o chip gráfico de 7 núcleos promete desempenho semelhante ao Xbox One S.

Essa combinação parece ser mesmo impressionante. Na keynote da semana passada, vimos uma representante da Adobe editar um arquivo de 3 GB do Photoshop no iPad Pro. Ele não sofreu nenhum engasgo, mesmo lidando com uma imagem de 12.000 x 12.000 pixels com dezenas de camadas.

Apple deve lançar MacBooks sem chips da Intel em 2020

A Apple vem fazendo diversas comparações entre o iPad e laptops com Windows. Na apresentação do novo iPad Pro, ela disse que sua linha de tablets ultrapassou as vendas de notebooks da HP, Lenovo e Dell. Ainda assim, o iOS não tem a mesma versatilidade que um sistema operacional feito para desktops.

Claro, os processadores da Apple não ficarão restritos a iPhones e iPads. Diversos rumores dizem que a empresa vai lançar MacBooks sem componentes da Intel em 2020.

Ela estaria trabalhando em um projeto chamado Kalamata, com o objetivo de adaptar o macOS para a plataforma ARM. Além disso, ela abriu um laboratório nos EUA e contratou ex-funcionários da Intel para trabalhar em chips personalizados.

Segundo o analista Ming-Chi Kuo, a Apple não precisaria mais depender do cronograma de lançamentos da Intel, e teria maiores margens de lucro adotando chips próprios. Quanto ao desempenho para os usuários, o A12X Bionic mostra que isso não deve ser um problema.