Início » Celular » Por que o gás hélio faz iPhones pararem de funcionar?

Por que o gás hélio faz iPhones pararem de funcionar?

iPhone e Apple Watch param de funcionar se ficam expostos ao gás hélio; problema não afeta celulares Android

Felipe Ventura Por
TB Responde

Os iPhones têm uma vulnerabilidade curiosa: se ficarem expostos por algum tempo ao gás hélio, eles param de funcionar. O mesmo vale para o Apple Watch. Não é algo permanente, mas este problema não afeta celulares Android. O motivo: a Apple usa um gerador de clock que sofre interferência de partículas pequenas — como as moléculas do hélio.

Erik Wooldridge, especialista de sistemas no Morris Hospital (EUA), acabou descobrindo sem querer que o iPhone é “alérgico” ao gás hélio. Durante a instalação de uma máquina de ressonância magnética, diversos funcionários perceberam que seus celulares não ligavam mais.

Wooldridge escreve no Reddit: “meu pensamento imediato foi que a máquina de ressonância deve ter emitido algum tipo de pulso eletromagnético”. Só que isso teria afetado todos os dispositivos eletrônicos — os smartphones Android continuavam funcionando, por exemplo. O problema estava somente em unidades do iPhone e do Apple Watch, um total de 40 dispositivos.

Então, ele descobriu que ocorreu um vazamento de hélio para resfriar o ímã da máquina de ressonância. “Aproximadamente 120 litros de [hélio] líquido foram expelidos ao longo de 5 horas”, escreve Wooldridge. O gás se espalhou por todo o hospital.

Hélio afeta gerador de clock usado no iPhone

OK, mas por que isso acontece? O que o gás hélio tem a ver com iPhones? Como explica o iFixit, isso está relacionado ao mecanismo que gera o sinal de relógio (clock).

Cristal de quartzo encapsulado

Todo dispositivo eletrônico depende de um clock. Este sinal é usado para coordenar a atividade dos circuitos; sem ele, o processador simplesmente para de funcionar. Muitos computadores e celulares usam um oscilador de quartz como gerador de sinal: trata-se de um cristal que vibra a uma frequência específica (geralmente 32 kHz).

No entanto, o oscilador de quartz não é pequeno o bastante para os iPhones mais recentes, nem para o Apple Watch, ocupando uma área de 1 × 3 mm ou mais. Por isso, a Apple passou a usar osciladores de temporização em MEMS.

MEMS, ou sistema microeletromecânico, é uma tecnologia usada em dispositivos muito pequenos. Isso inclui sensores como acelerômetros e giroscópios, encontrados em celulares Android e nos iPhones.

No entanto, o gerador de sinal dos iPhones também é um MEMS. Trata-se do SiT512, feito pela americana SiTime, “o menor oscilador de 32 kHz de baixa potência do mundo”.

Oscilador MEMS

Todo MEMS precisa ser vedado para que partículas externas não interfiram em seu funcionamento. Porém, o lacre pode não impedir a entrada de gases como o hélio. A própria SiTime reconhece isso: alguns de seus componentes podem ser “impactados por altas concentrações de gases de moléculas pequenas” — o hélio se encaixa nessa descrição.

A Apple também avisa no manual do usuário, sem entrar em detalhes, que o hélio pode afetar os iPhones:

A exposição do iPhone a ambientes com altas concentrações de produtos químicos industriais, incluindo gases liquefeitos próximos à evaporação, como o hélio, pode danificar o iPhone ou prejudicar sua funcionalidade.

Wooldridge diz que, no hospital, foram afetados o iPhone 6 e superior e o Apple Watch Series 0 e superior. Estes dispositivos usam o oscilador SiT512, e as moléculas de hélio são pequenas o bastante para entrar e interferir em seu funcionamento mecânico. “Havia apenas um iPhone 5, que não foi impactado de forma alguma”, ele explica.

iPhones deixam de funcionar quando expostos a hélio

Para demonstrar a falha, o iFixit colocou um iPhone 8 dentro de um saco plástico cheio de hélio. Após 4 minutos e meio, ele parou de funcionar. O aparelho só voltou a responder aos comandos após 24 horas.

Wooldridge também fez um experimento semelhante. Ele colocou um iPhone 8 Plus em um saco lacrado e o encheu de hélio. Cerca de 8 minutos depois, o celular trava mas a tela permanece ligada. Claro, o vazamento no hospital teria gerado uma concentração de hélio muito menor, mas o vídeo mostra que o gás pode causar problemas em dispositivos da Apple.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcelo Cutin

Tem dois pontos que eu gostaria de comentar (eu meio que tenho TOC com essas coisas e como sou engenheiro eletrônico chamou a minha atenção):

1) O oscilador de quartz mencionado no artigo é, na realidade, um cristal de quartzo. Oscilador é como chamamos o circuito que gera o sinal de clock. O cristal é apenas um dos componentes do circuito oscilador. Há várias soluções diferentes para gerar sinal de clock utilizando cristal, mas há também maneiras de gerar sinal de clock usando circuitos integrados (que geralmente não são tão precisos quanto o do cristal). E tem a outra solução mencionada pelo Felipe no artigo.

2) Discordo da afirmação de que o cristal “vibra a uma frequência específica (geralmente 32 kHz)”. De fato cristais vibram a uma frequência específica quando injeta-se uma tensão nos terminais deles, mas 32 kHz é um frequência até bem baixa para os dias atuais. O cristal da foto que ilustra o artigo, por exemplo, é de 16 MHz. Há cristais de várias frequências diferentes no mercado.

Como informação complementar, se alguns modelos de iPhone possuem certificação IP68 e não deixam entrar água (dependendo da pressão ambiente e do tempo de contato com ela), porque o gás hélio consegue afetar o circuito oscilador? Simplesmente porque a molécula do gás hélio é muito menor que a da água e, por isso, consegue permear por frestas que a água não passa. Eu trabalho na indústria de óleo e gás e quando vamos realizar testes de vedação em eletrônicas que trabalharão no fundo do mar, nós fazemos o teste com gás hélio para garantir que os alojamentos delas estão corretamente selados.

Paulão da Regulagem

Metais são atraídos por aparelhos de ressonância magnética, então, não podem ser usados na sala.
Algumas ligas antigas, usadas em próteses, clipes cirúrgicos e etc podem inclusive oferecer risco ao paciente (deslocamento ou aumento de temperatura e dano tecidual). Sorte que os materiais mais modernos estão cada vez menos sujeitos a isso.

Vegeta humilde

É uma feature que te protege de passar vergonha inalando gás hélio

Hector Bonilla

Vou te contar um segredo: Aqueles tiozinhos que vendem balões da Peppa Pig e Ben 10 supostamente tem um estoque secreto deste material, segundo boatos eles estariam inflando os balões com esse gás misterioso. Ainda vou arriscar comprar um para ver se é verdade.

Cristina Nascimento

Queria usar o gás hélio pra afinar minha voz por alguns minutos, deve ser da hora.

Artur Bem Mongol

A questão é que mesmo fora da sala deu o problema. Lógico que a máquina estava aberta e colocando gás.

Artur Bem Mongol

Que bacana! Um dias desses lá no hospital estavam fazendo manutenção de uma RM, daí parou 2 iphones 8 e 1 X, o meu 5s e o 5s dos técnicos da máquina não foram afetados. O médico ficou puto kkkkkkk Os caras "não é da máquina, o nosso continua funcionando" e o médico ficou "vão ter que me pagar um" . Acabou que ele ficou o feriado prolongado sem celular e puto da vida. A minha aposta no dia foi que a traseira de vidro dava menos proteção pra algum componente. Ah, teve um smartwatch chinês lá que não desligou, mas ficou travando, depois do reset deu certo.

Brunei

Cara se vc esta num ambiente que conhece todo mundo e eles começam a falar estranhamente fino, sim isso é engraçado.

Diego Oliveira

Helium Gate

Fabio Santos

Qualquer aparelho celular que entrar na sala de ressonância magnética quando ativa pode pifar, trabalhei num hospital que após varios relatos o engenheiro veio falar olha não pode entrar com celular na área restrita.
Tenta entrar com correntes (sem ser ouro ou prata), a máquina puxa tudo kkkk

Daniel Ribeiro

A voz das pessoas que respiram gás hélio não é simplesmente "fina"... É bem diferente, e é muito engraçado mesmo. kkkkkkkkkkk

Luciano

É uma feature. Em breve, a versão 2.0, custando 1000 dólares a mais.

Diogo

Talvez a concentração de hélio não foi suficiente para modificar a voz, ou se foi, as pessoas no ambiente não notaram a diferença de imediato. Como o gás se espalha gradativamente, a mudança no tom de voz talvez não tenha sido perceptível...

Daniel Ribeiro

Engraçado a galera ter notado que os iPhones pararam de funcionar, mas o fato de todo mundo no hospital estar falando com a voz fina é super normal.