Início » Jogos » 6 jogos mais esperados só para Nintendo Switch em 2019

6 jogos mais esperados só para Nintendo Switch em 2019

Lista traz as principais expectativas de lançamentos de jogos para Switch no ano que vem

Vivi Werneck Por
TB Responde

A versatilidade do Switch fez com que o console recuperasse a moral da Nintendo, abalada após as baixíssimas vendas do Wii U. No início, muitos se preocuparam que a plataforma não fosse receber tantos jogos de outras empresas, mas a plataforma surpreendeu e ganhou games como Diablo III, Dark Souls Remastered e DOOM, por exemplo.

Para 2019, as principais expectativas são para um novo Pokémon, com uma fórmula parecida da que os fãs estão acostumados, e a chegada do New Super Mario Bros. U Deluxe, já em janeiro. Vamos a lista dos mais esperados.

1. New Super Mario Bros. U Deluxe

É claro que a Nintendo aproveitaria o Switch para relançar seu game carro-chefe, que ficou meio esquecido no Wii U. New Super Mario Bros. U Deluxe chega já no dia 11 de janeiro e traz todo um gameplay 2.5D de plataforma, de alta qualidade, e que dispensa apresentações. Esta nova versão traz, ainda, dois novos personagens: o coelho Nabbit e Toadette (que se transforma em Peachette).

2. Luigi's Mansion 3

Até hoje não consegui entender bem esse sadismo da Nintendo em colocar o pobre do Luigi aspirando fantasmas em mansões assombradas. Ele claramente não está feliz com isso, mas fazer o que? Todos precisam trabalhar para pagar as contas. Enfim, Luigi's Mansion 3 é um game de exploração e puzzles, além de mais uma promessa para 2019, sem data definida.

3. Bayonetta 3

Bayonetta é um hack’n slash com controles bem rápidos e vários combos. A série bebe muito da fonte de Devil May Cry, mas conquistou seu próprio carisma com a bruxa, nada tímida, como protagonista. Bayonetta 2, antes exclusivo para o Wii U, também ganhou sua versão para o Switch e o hype é alto para a chegada do terceiro jogo da franquia.

4. Yoshi's Crafted World

O dinossaurinho mais adorável dos games ganha um novo jogo com Crafted World. Yoshi, que deve até hoje guardar rancor do Mario por usá-lo como trampolim, agora explora os dois lados de um mundo todo criado com papelão (virtual, podem deixar que não é o Labo). No título de plataforma, você deve ajudar Yoshi a atravessar obstáculos usando ovinhos anti-gravitacionais, que podem ser usados como arma.

5. Fire Emblem: Three Houses

O jogo se passa Fódlan, região onde a população sofre com a enorme influência da Igreja de Seiros. Fire Emblem: Three Houses é um RPG tático em turnos que promete agregar novos modos de batalha, com a formação de tropas para apoiar outras unidades no campo de batalha.

6. Saints Row: The Third

Pense em GTA num dia de fúria durante uma festa rave. Isso é, mais ou menos, o que se pode esperar de Saints Row: The Third. Este é um daqueles games que se joga sem compromisso algum com nada e apenas pela pura diversão de atirar, destruir, explodir e carregar objetos obscenos nas mãos (e usá-los como arma).

O que mais pode chegar em 2019 para Nintendo Switch

A seguir, veja alguns jogos já confirmados para o console, no ano que vem, e alguns título que gostaríamos de saber mais. É bom ressaltar que a lista pode aumentar, já que a Nintendo lança muitos jogos em versões digitais apenas.

  • Pokémon (ainda sem título definido)
  • Pikmin (ainda sem título definido)
  • Onimusha: Warlords
  • Fitness Boxing
  • Daemon x Machina
  • Digimon Survive
  • Darius Cozmic Collection
  • Sphinx and the Cursed Mummy
  • Animal Crossing
  • Metroid Prime 4
  • Final Fantasy IX
  • Final Fantasy X
  • Final Fantasy X-2
  • Final Fantasy XII: The Zodiac Age
  • Final Fantasy: Crystal Chronicles Remastered Edition
  • Dragon Quest XI: Echoes of an Elusive Age
  • Trials Rising
  • Shin Megami Tensei V
  • Descent
  • BlazBlue: Central Fiction Special Edition

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Miguel

Única coisa que espero é que a Nintendo diminua o valor de seus jogos. 60 dólares por 1 jogo é um abuso.

El Kabongo

É aquela história... pessoal reclama de pagar 1,8k no console e 200 nos melhores jogos, mas não vê problema em pagar 4k num celular a cada dois anos para postar no FB e colocar fotos no Instagram.
Sem contar que, nas mídias físicas, costumo vender os jogos que já não uso.

zoiuduu .

saints row 3? 7 anos atrás bixo kkkk

José Carvalho

Lembre-se da idade indicativa do jogo e que crianças daquela idade vão joga-lo… Mais fácil ampliar o número de luas mais fáceis de serem obtidas para estimular o centro de recompensas no cérebro das crianças mais novas e mais velhas do que aumentar o nível do desafio e só estimular o centro de recompensas de adolescentes e jovens adultos.

José Carvalho

A Nintendo já anunciou que isso não vai acontecer, essa plataforma vai durar pelo menos entre 4 e 5 anos (espero que cumpram).
O hardware não está defasado, alguns ports não podem ser feitos (palavras da Bethesda ecoadas ainda em outro evento pela Ubisoft sobre ports de jogos que já fazem sucesso como franquias Fallout, Assassins Creed e outros) por ser demasiado caro refazer alguns jogos do zero em uma engine nova, depois que os times já estão em outros projetos.
Uma das principais engines no Switch é a Unity, que já está implementando novos recursos de processamento gráfico só com a limpeza que foi feita no código e com a implementação de técnicas de otimização. Muitos jogos que estejam em plataformas dedicadas a ficar em casa terão a qualidade gráfica um pouco (ou muito, até) reduzida no Switch pois não há milagres… O Switch é uma maravilha de engenharia, onde a Nintendo conseguiu tirar mais desempenho de uma placa que o próprio dono da IP original. Pra quem só conhece um chip por suas especificações isso não é grande coisa, mas eu trabalho em uma fábrica de semicondutores!! Sei e conheço de perto a tonelada de trabalho e engenheiros que a Nintendo teve de contratar para fazer o absurdo que fez, encaixar tantos recursos no Joy-Con com o nível de confiabilidade e segurança que os bichinhos tem, tirar o suprassumo da Tegra I.... Isso é formidável e eu posso fazer como faço a semana toda, tiro o Switch da bolsa no metro e vou jogar Wolfenstein…. estou matando Nazis no metro a caminho do trabalho… ou dragões, ou demónios, ou dando tiro e porrada pra todo lado com a Bayonetta… quando chega a minha estação, guardo, posso jogar na hora do almoço e quando chego em casa, jogo Mario Kart ou Arms com meu filho na TV e enquanto faço a comida, minha esposa ta jogando Just Dance… Quando eu to em casa domingo é dia de Mario Tennis com a família toda… Faz isso, com essa qualidade, em QUALQUER outra plataforma? Um celular de ultima geração?

José Carvalho

Infelizmente, essas são as regras desde o golpe que implantou a república no Brasil, desindustrialização, depois vamos até os anos 50, 60 do século XX como uma república dependente da produção agrícola, protecionismos econômicos evitando a indústria de se aproximar do Brasil, e continuamos como uma nação agropecuária. Século XXI e o Brasil continua exportando commodities e produtos alimentares brutos e a única forma de tornar nossos produtos mais interessantes que o produto local de um país desenvolvido é, hoje, praticando uma guerrilha cambial. Quem sofre é o povo honesto (os ladrões não… estes sempre dão o jeito e ainda jogam a culpa pelo roubo em pra cima, pra baixo, pros lados...).
Na Europa, nos EUA, no Japão, as pessoas se sacrificam economizando para comprar aquilo que querem, a vida não é como nos filmes e séries que as pessoas nascem com carro, videogame, computador, casa, etc... É uma questão de mentalidade. O Brasileiro prefere se endividar com o banco pra comprar bens que não são essenciais do que esperar três ou quatro meses economizando para comprar aquilo que quer.
O problema do Brasil neste caso, neste caso em especial, não é dos impostos. O problema é que o Brasil sofre uma desindustrialização forte e o governo ajusta o câmbio para sustentar ruralista. Depois, com o câmbio ajustado para o produto brasileiro (gado e soja) ser mais interessante para os países desenvolvidos, e os produtos industrializados importados serem caríssimos no Brasil, o brasileiro vai dando voltas pra se virar, e nessas voltas, o povo sofre e faz sofrer empresas que não tem como sobreviver sem raízes fortes no Brasil e uma infraestrutura industrial mínima para criar independência do exterior.

A questão da ausência da Nintendo no país é clara: Não justifica comercialmente, a Nintendo sabe que tem um papel secundário, hoje nos consoles, sendo seu principal produto, os consoles portáteis e ela não vai conseguir compensar o investimento no país se for pra ter prejuízo por anos consecutivos como foi, quando a Nintendo abandonou o país. As pessoas tem uma memória muito curta.
A questão do preço dos produtos: É um preço para o mundo todo, não tem como um país como o Brasil viver na era industrial com o câmbio que pratica
A questão do "sacrifício": Seja bem vindo a vida adulta, se não for um carro ou uma casa, ou sei lá outros bens de necessidade, tipo uma geladeira, evite comprar a prazo ou pegar empréstimos.
A questão das injustiças… Mano, a gente pode tentar mudar o mundo, mas no final de tantas voltas que ele dá você vai ver que é sempre o Leão que mata a Zebra, mesmo que ela reaja e que eventualmente uma zebra ou outra consiga enfrentar um leão. A gente pode lutar por mais justiça, mas não é roubando que a gente vai conseguir qualquer coisa, nunca funcionou.

Clodoaldo Santos

Eu concordo com quase tudo que você disse. Mas nossas linhas ideológicas se dividem com o discurso que as pessoas devem se "sacrificar" economizando dinheiro para alimentar uma política que cobra impostos parecidos com os impostos de países desenvolvidos para populações extremamente pobres enquanto os, imagino, 10 por cento dos mais ricos pagam impostos irrisórios em relação ao custo benefício que possuem. Eu sonho com uma sociedade que não precisa economizar tanto para ter um lazer tão simples como jogar videogames. Quem dera essa ideologia do merecimento e do pensamento de aceitar que pobreza é natural, sumisse da sociedade humana.

Clodoaldo Santos

Sei não, se você observar os jogos atuais já parecem estar usando o máximo do Hardware dele. Inclusive alguns ports já foram descartados devido à defasagem desse aparelho. Acredito que a qualidade dos jogos não tem como evoluir sem que eles façam o que imagino que vai acontecer no ano que vem ou em 2020, um Nintendo Switch melhorado. Se não me engano eles já fizeram isso com o Nintendo DS. 2DS, 3DS, etc. Ou seja, outro frustramento em ter que desembolsar mais dinheiro se quiser acompanhar a evolução. Eu fiquei muito revoltado com essa geração de videogames que fez isso com PS4, PS4 pro, X one, X one X. Acho isso falta de respeito em quem acredita na empresa e investe dinheiro em algo que em poucos meses eles desvalorizam de propósito.

Clodoaldo Santos

Bom, eu não chego a dizer que o jogo é ruim. Mas ainda acho que foi muito superestimado e é muito inflacionado. Eu digo que é repetitivo pelo fato de ter uma quantidade de luas que poderiam ser reduzidas em troca de escondê-las melhor. Eu saí de uma fase com a quantidade de 50 luas e deixei para pegar umas duas ou três que vi e imaginei que ainda faltava algum item para alcançá-las.

José Carvalho

O problema, como eu disse antes, nao é o "preço praticado no Brasil", a Nintendo abandonou essa pratica de definir preços diferentes de acordo com o mercado justamente por causa do custo logistico de ter de se preocupar com politicas cambiais ou protecionismos. O console e os jogos tem um preço básico global, as unidades vão para armazéns chave e distribuidas dali. Nos EUA o Switch é um pouco mais barato e no Japão (preço amortizado pela projeção de vendas). Na Europa toda o Switch custa 299€ e quem quer brincar com a margem de lucro bota o console mais caro ou mais barato (FNAC e El Corte Inglés vendem a 329€ e a Amazon FR vende a 269€). A Amazon FR inclusive ja arranjou problemas com a Nintendo fazendo estoque e praticando preços predatorios. Ou o Brasil faz uma politica cambial decente ou os produtos fabricados fora do Brasil vão continuar chegando caros ao brasileiro.
Ps.: Não adianta culpar a empresa por ela não ligar para o Brasil quando você é parte do problema. Um bocadinho hipócrita. Muita gente tem esse habito, quando nao pode comprar uma coisa, rouba, e acha que isso, de alguma forma justifica-se ou deixa de ser roubo por alguma razão. Tem isso no mundo todo, mas dói ver que o Brasil tem tanta gente que faz isso, sofre por conta dessa pratica e depois põe a culpa na empresa que não gosta de ser roubada pelo governo e pelo povo de um país. Espero que um dia isso mude e as pessoas aprendam a economizar um pouquinho para ter os produtos que tanto gostam

José Carvalho

"Amigão" você ta superestimando o celular, não é qualquer um que vai rodar qualquer jogo do Switch. Jogos como Odyssey, Breath of the Wild, Xenoblade, Valkyria Chronicles, Wolfenstein II, Skyrim, Doom, tem seu motivo para custar o que custam, tem enorme qualidade, e espero que a tendencia é que isso melhore com o tempo. Se a base instalada continuar a crescer as coisas vão ficando melhores. Se voce tem uma remota ideia de como funciona o hardware e um estudio que desenvolve jogos AAA, voce vai entender que sim, tem a mesma ou ate mais qualidade que muitos jogos de outras plataformas.

José Carvalho

O preço dos jogos de PC\XBox e PS é fortemente amortizado pela base instalada e projeções de vendas de software. As vendas permanecem por muito tempo estaveis justamente por isso. A questão da pirataria não é quem inventa ou quebra as proteções de DRM, mas onde é mais usado. 20% de pirataria de um software em países como Brasil, India, China, EUA, causa mais dano do que na maioria dos países europeus, a questão é que a pirataria nao atinge só 20% de software no BR.
A Nintendo, como qualquer outra empresa do mundo quer saber de lucro, isso é natural, eles nao focarem no mercado brasileiro alguma coisa esta errada no mercado, não adianta culpar a empresa.

José Carvalho

Me diverti imensamente com a minha familia jogando SM, já estou jogando novamente na conta da minha esposa e descobrindo coisas que eu nao tinha visto antes, se pra voce é repetitivo, sinto muito, o jogo nao era pra você. Paguei os 60€ muito receoso e digo que o jogo é fantástico.
Sinceramente não sei onde voce viu repetitividade (esse nao é, na minha opinião, um dos defeitos do jogo).

Clodoaldo Santos

Mario Odyssey não tem legenda em português? Se eu estiver enganado me perdoe, eu não reparo diferença entre inglês e português e às vezes confundo.

Yago Venâncio

De qual jogo está falando?

Exibir mais comentários