Início » Aplicativos e Software » Google e Microsoft preparam Chrome para Windows 10 em ARM

Google e Microsoft preparam Chrome para Windows 10 em ARM

Engenheiros da Microsoft enviam contribuições para o Google Chrome rodar no Windows em processadores Snapdragon

Felipe Ventura Por

Microsoft e Google estão trabalhando juntas para levar o navegador Chrome a dispositivos com Windows 10 em ARM. Essa versão do sistema operacional roda em processadores Qualcomm Snapdragon, em vez de Intel, e promete maior duração de bateria sem comprometer (muito) o desempenho.

Foto por Stephen Shankland/Flickr

O 9to5Google descobriu que engenheiros de software da Microsoft estão enviando contribuições envolvendo o “Windows ARM64” para Chromium, projeto de código aberto no qual o Chrome é baseado.

As contribuições (commits) envolvendo o Windows 10 ARM vêm sendo enviadas desde meados de outubro por engenheiros com e-mail @microsoft.com. Quase todas já foram aceitas (estão marcadas como “merged”).

Em outubro, um diretor de produto na Qualcomm disse ao Android Authority que a empresa vinha trabalhando com o Google para desenvolver o Chrome para ARM. “Eu acredito que você o terá por volta da segunda metade do ano que vem”, comentou o executivo.

O Windows 10 em ARM pode se tornar mais atraente se for compatível com o Chrome, navegador web mais usado no mundo. Na semana passada, a Microsoft liberou ferramentas para criar apps nativos em ARM 64 bits, removendo uma das limitações do sistema. A Intel tem alguns motivos para se preocupar.

Google Chrome pode ser oferecido na Microsoft Store

Um dos commits da Microsoft se chama “adicionar suporte ao Windows ARM64 para a sandbox do Chromium“; este recurso isola as abas do navegador em processos separados. Outro sugere “adicionar suporte à ABI do Windows ARM64 ao V8“; esta é a engine do Google para renderizar JavaScript. Há também uma menção à Windows Store.

Tudo isso indica que o Chrome será disponibilizado na loja do Windows, e que as páginas da web serão renderizadas com tecnologia do Google. Atualmente, uma regra da Microsoft impede isso: navegadores na loja do Windows precisam usar as engines de HTML e JavaScript do Edge (EdgeHTML e Chakra). O Chrome usa as engines Blink e V8.

Essa regra deve mudar no futuro, já que muitos aplicativos modernos dependem de tecnologias web mantidas pelo Google. A biblioteca de código aberto Electron, usada pelo Slack e até pelo Microsoft Visual Studio Code, é uma combinação do Chromium e Node.js. Por sua vez, o Node.js foi criado com base na engine V8.

Com informações: 9to5Google.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

pedrowillyam

Errei, kkkkk

@Sckillfer

Ahhh... Tu está errado, a Google que paga pra ter o Google como buscador

@Sckillfer

Não é boba, a web deveria estar caminhando para ser mais aberta depois da adoção do HTML5 e morte do Flash, mas tá na verdade se tornando exclusiva do WebKit/Blink

Luciano Prado

Coisa que eu odeio e faço questão de não usar é o navegador da microsoft "EDGE" interface confusa e horrível, e também não uso o serviço skype desde que ele substituiu o antigo msn que era tudo de bom!

pedrowillyam

Isso mesmo. Da mesma forma que a Apple nunca deixa de colocar o Google como buscador principal no iPhone e até o paga por isso.

pedrowillyam

Não, pois o Chrome deve ter sua maneira de evitar a execução desses códigos maliciosos e malwares injetados. O lance é que a regra anterior era mais pra Microsoft forçar os desenvolvedores a usarem sua engine e tornar o Edge popular e isso de evitar código malicioso era só desculpa esfarrapada.

Eduardo Braga

Então agora vão ter códigos maliciosos e malware injetado?

Tori

A commit do WINDOWS_STORE não seria sobre ele usar a gerenciador de janelas do Windows para desenhar a borda em modo nativo? 🤔
É o que se deu a entender nos arquivos.

Tori

Cada comentário seu é um neuronio que a internet perde.
https://uploads.disquscdn.c...

Jairo ☠️

Destruidor de recursos 2 em 1

Trovalds

Essa "regra" é pra evitar que os aplicativos instalados pela loja tenham código malicioso ou malware injetado. E só vale pra aplicativos que façam uso de engines WEB. Mas como bem dito: a regra vai mudar.

Eduardo Braga

Essa regrinha de usar a mesma engine do Edge (igual a Apple faz no iOS) é tão boba. Eles acharam que assim o Edge teria chance de ser popular?

Diogo

Não sei porque a Microsoft ainda se importa com o Google. Dado o caso YouTube no Windows Phone.

SUPREMA AUTORIDADE MÁXIMA

Ué, estranho. Segundo a galera que manja o Windows 10 ARM está morto, será que esqueceram de avisar a Microsoft e Google? ASHUASHUASHUASHUASHUA

#TechManja

Agnaldo Carmo

Eu achei que eu não viveria para ver isso

Exibir mais comentários