Início » Mobile » Tudo o que você queria saber sobre smartphones na Black Friday

Tudo o que você queria saber sobre smartphones na Black Friday

O melhor celular, a melhor câmera, a melhor bateria, a melhor marca e mais

Por
23/11/2018 às 17h03

A Black Friday começou e muita gente está aproveitando para trocar de celular: de acordo com o Google, os smartphones tiveram aumento de 246% nas buscas na última semana. Entre 12h e 13h desta sexta-feira (23), a procura por essa categoria de produto chegou a subir 66%. E o que as pessoas querem saber antes de comprar?

Samsung Galaxy Note 9

O Google revelou com exclusividade ao Tecnoblog as perguntas mais feitas ao buscador nesta Black Friday. O levantamento mostra que os usuários estão interessados em saber qual celular tem a melhor câmera ou bateria, e entram em detalhes de fichas técnicas, como quantidade de memória e tamanho de tela. Eis as cinco pesquisas em alta no Google (e as respostas).

1. Qual o melhor celular?

O melhor celular depende do quanto você estiver disposto a gastar. Nós já listamos os melhores em custo-benefício de até R$ 1.500, uma faixa de preço que inclui modelos intermediários ou até topos de linha de gerações anteriores. E se você quiser gastar menos ou mais? Nesta Black Friday, uma boa pedida é procurar por smartphones da Samsung e da Motorola, que estão tendo muitos descontos no varejo.

Mas a gente te dá algumas sugestões:

  • Até R$ 1.000. Entre os modelos básicos, uma opção é o Moto G6, que possui tela grande de 5,7 polegadas em proporção 18:9, leitor de impressões digitais, câmera decente para a categoria e ótimo acabamento. O Galaxy J7 Pro também é interessante, se você não se importar com o visual antigo: ele tem desempenho consistente e bateria grande de 3.600 mAh, além de trazer alguns recursos de modelos mais caros da Samsung, como o Samsung Pay.
  • Até R$ 1.500. O Galaxy A8 nos desagradou quando foi lançado por R$ 2.399, mas pode ser encontrado no limite dos R$ 1,5 mil nesta Black Friday. A tela é uma das melhores que você vai encontrar na categoria, a câmera frontal dupla traz bons resultados em selfies e a memória é generosa, com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento. Se encontrar uma oferta relâmpago de Galaxy A8+, também dá para ir nele: você ganha tela e bateria maiores.
  • Até R$ 2.000. Aqui, a sugestão é esquecer os lançamentos de 2018 e partir para os celulares premium do ano passado. O Galaxy S8 tem uma câmera que deixa muito smartphone novo comendo poeira, uma tela com qualidade impressionante e um desempenho que não deixa a desejar — só a bateria não é das melhores.
  • Dinheiro infinito. Acima dos R$ 2.000, você deve encontrar bons descontos no LG G7 ThinQ, que despencou de preço desde o lançamento; e no Galaxy S9, que foi lançado há seis meses, mas ainda é o melhor smartphone da Samsung ao lado do Galaxy Note 9 que, por ter chegado ao mercado recentemente, não deve receber bons descontos na Black Friday.

2. Qual o celular com melhor câmera?

Uma das referências no assunto é o DxOMark, que lista o Huawei P20 Pro como o smartphone com melhor câmera. Só que o modelo chinês não é vendido oficialmente no Brasil. Considerando só os celulares encontrados no varejo brasileiro, temos, na ordem do melhor para o menos melhor: iPhone XS Max, Galaxy Note 9, Galaxy S9+, iPhone X, iPhone 8 Plus, Galaxy Note 8, iPhone 8 e Zenfone 5.

É bom ressaltar que qualquer um dos smartphones mencionados no item 1, mesmo os de até R$ 1.000, vão tirar fotografias de boa qualidade quando a iluminação estiver favorável. Os modelos mais caros levam vantagem em ambientes noturnos e, claro, trazem mais definição, menos ruído e melhor alcance dinâmico — mas cobram por isso.

3. Qual o celular com melhor bateria?

O mercado brasileiro é recheado de aparelhos com ótima duração de bateria nos segmentos mais básicos, mas não há nada fora de série em modelos premium. O Galaxy A9, de 2016, impressionava com seu bom desempenho, ótima tela e bateria de 5.000 mAh, mas saiu de linha.

Então, se bateria for mais importante que tudo, a Motorola e a Asus vendem modelos especificamente focados em autonomia. O Moto E5 Plus é uma opção mais básica, com desempenho satisfatório, câmera decente e leitor biométrico, podendo ser encontrado por menos de R$ 800 em promoções.

Para quem pode gastar até R$ 1.500, uma sugestão é o Asus Zenfone Max Pro (M1), equipado com bateria de 5.000 mAh, processador Snapdragon 636 que dá conta do recado e opções com até 4 GB de RAM e 64 GB de espaço. Dentro da linha da Asus, um dos diferenciais é que ele não traz a interface personalizada ZenUI — o Android é o 8.1 Oreo sem modificações visuais.

4. Qual a melhor marca de celular?

Cada marca atende a um público específico e todas têm produtos bons e ruins. Mas essa pergunta esconde outra questão: qual marca de celular dá menos problema, e quais me atenderão melhor em caso de defeito.

Com base no ReclameAqui, montamos o seguinte ranking com as melhores notas dos consumidores (0 a 10) e a quantidade de reclamações nos últimos 12 meses entre as empresas que vendem smartphones:

  1. Multilaser: 8,46, com 4.811 reclamações
  2. Positivo: 8,19, com 2.366 reclamações
  3. Quantum: 7,99, com 2.520 reclamações
  4. Motorola: 6,5, com 50.398 reclamações
  5. LG: 6,22, com 11.479 reclamações
  6. Asus: 5,0, com 16.770 reclamações
  7. Sony Mobile: 4,65, com 1.716 reclamações
  8. Samsung: 1,84, com 30.994 reclamações
  9. Apple: 1,7, com 6.176 reclamações

O ranking não é perfeito porque tanto a Samsung quanto a Apple não respondem às reclamações pela plataforma, atendendo somente por meio de canais próprios — logo, as notas dos consumidores no ReclameAqui serão naturalmente mais baixas. Além disso, empresas como Positivo, LG e Samsung não vendem só celulares, portanto as notas também são influenciadas por reclamações de eletrodomésticos, notebooks e outros produtos.

5. O celular X tem biometria ou leitor de digital? Qual a memória ou quantas polegadas tem o celular X?

Galaxy S9

Felizmente, a primeira pergunta ficou mais fácil de responder em 2018: a maioria dos smartphones, mesmo os modelos mais básicos, está vindo com leitor de impressões digitais. Isso inclui todos os Moto G5, G5S e G6, os Galaxy J6 e J8, e os LG K11, que custam entre R$ 650 e 1.400. Fique de olho: nos mais simples, as marcas costumam disfarçar a ausência do componente anunciando um recurso de reconhecimento facial — normalmente bem menos seguro e preciso que o leitor de digitais.

Para consultar o tamanho de tela, bem como a RAM e o armazenamento, a melhor opção é ir direto ao site da fabricante — ou, melhor ainda, prestar atenção no anúncio da loja online para ver se você não está comprando gato por lebre. Sites estrangeiros que reúnem especificações técnicas de aparelhos são menos confiáveis porque os modelos brasileiros podem ter mudanças na bateria, na RAM e no armazenamento em relação às versões vendidas em outros países.

Vale lembrar que especificações técnicas por si só não dizem se o celular vai ser rápido ou não. A melhor forma de testar o desempenho de um smartphone é usando-o no dia a dia — e você sempre pode ler nossos reviews para saber se o aparelho é bom mesmo.

***

Lembrando que você pode (e deve!) usar também o Assistente de Compras do Tecnoblog, uma extensão super simples no Chrome que dedura se o preço caiu ou subiu e protege você de comprar “pela metade do dobro”. Compre sempre quando a barrinha estiver verde. É sinal de que o produto está no seu melhor preço histórico.

E você, aproveitou para trocar de smartphone na Black Friday? O que comprou?

Mais sobre: , , , ,