Início » Negócios » Uber terá de pagar salário mínimo para motoristas em Nova York

Uber terá de pagar salário mínimo para motoristas em Nova York

A regra imposta por Nova York vale não só para o Uber, mas também para serviços como Lyft, Via e Juno

Victor Hugo Silva Por

Os motoristas que atuam em serviços como Uber e Lyft em Nova York ganharam o direito de receber um salário mínimo. A decisão foi tomada pela Comissão de Táxis e Limusines (TLC, na sigla em inglês) da cidade, que se tornou a primeira a ter uma regra desse tipo.

Com a mudança, Uber, Lyft e outras plataformas deverão fazer pagamentos líquidos de US$ 17,22 por hora (ou US$ 26,51, sem descontos). O valor funcionará como um equivalente ao mínimo de US$ 15 por hora pago aos demais trabalhadores da cidade.

Aplicativo Uber

O pagamento será baseado em uma fórmula que considera a distância percorrida, o tempo de trabalho e a taxa de utilização, isto é, a porcentagem média de tempo que os motoristas da empresa realmente têm passageiros.

Por exemplo, uma corrida de 12 quilômetros realizada em 30 minutos por uma empresa com taxa de utilização de 58% faria o motorista receber um pagamento bruto de US$ 23. A fórmula também prevê um aumento quando os motoristas saírem de Nova York para compensar o retorno à cidade.

A medida deverá fazer o salário dos motoristas aumentar consideravelmente. Um estudo da TLC aponta que atualmente eles recebem cerca de US$ 11,90 por hora. De acordo com o fundador da Associação dos Motoristas Independentes, Jim Conigliaro, Jr., a regra beneficiará 80 mil famílias.

Esse é o número de motoristas que trabalham com Uber, Lyft, Via ou Juno. Para se ter uma ideia, Nova York tem pouco mais de 13,5 motoristas de táxis. Segundo a Reuters, analistas estimam que o Uber em si seria o maior empregador da cidade caso seus parceiros fossem trabalhadores formais.

"Todos os trabalhadores merecem a proteção de um salário justo com o qual se pode viver, e estamors orgulhosos de estabelecer a nova barreira para os direitos dos trabalhadores contratados nos Estados Unidos", disse.

O presidente da TLC, Meera Joshi, afirmou em comunicado que a regra fará os rendimentos médios de motoristas de Uber, Lyft, Via e Juno aumentaram para US$ 10 mil por ano. Ele também exigiu que as empresas sejam mais transparentes sobre suas despesas.

Para o Uber, o estabelecimento de um salário mínimo causará aumento desnecessário no preço das corridas. "As regras da TLC não levam em conta os incentivos e bônus ao forçar as companhias a elevar as taxas ainda mais", disse a empresa.

A Lyft, por sua vez, acredita que a medida representa um passo para trás. "As regras de pagamento propostas pelo TLC vão minar a concorrência, permitindo que certas empresas paguem salários mais baixos aos motoristas e os desestimulem a fazer corridas fora de Manhattan".

A medida começa a valer a partir de 4 de janeiro de 2019.

Com informações: Washington Post, TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rodrigo Fante

Foi até mais rápido do que eu previa, não tem mágica, canetada não resolve esses problemas, o correto seria estimular outras áreas para as pessoas terem seus empregos em suas áreas e não precisarem virar uber.

Lord Cheetos
Lord Cheetos

5 meses depois dessa lei a Uber limita a quantidade de motorista no app, causando desemprego.

Salário mínimo = desemprego pra quem não produz o mínimo.

https://tecnoblog.net/28796...

Felipe

Mais a Comissão de Táxis e Limusines também pediu salario minimo para os Taxistas? ou só querem encarecer o concorrente via canetada para criar uma reserva de mercado falsa para os taxistas ?

Boleto

Existe salário mínimo nos EUA? Existe Associação de Motoristas?

Cassio Neves

Espero que não esteja falando do sr PRESIDENTE Jair Bolsonaro.
pois se tiver, é uma bela de uma asneira. Esse papo clichê de exterminar pobre nao cola mais, vira o disco amigo.

Marcus Pessoa

Pessoas reclamando de existir um SALÁRIO MÍNIMO.

Isso é incrível.

Ou melhor, não espanta que essas mesmas pessoas apoiem um bronco fascista que quer exterminar os pobres.

Cassio Neves

O problema é que se não tem regulação, tem exploração. O valor pago pelo uber aos motoristas, segundo muitos dos próprios, principalmente fora dos gigantes centros, não compensa o esforço.
Trabalha-se feito louco pra tirar as vezes nem 2.000 no mês. Pode parecer bom, mas se considerar o valor necessário para manter o carro numa condição que propicie a atividade, a depreciação do mesmo, gastos com alimentaçao e combustivel (já que ambos não tem incentivos por parte da plataforma uber) dentre outros gastos, a longo prazo, torna-se inviável.
E mais. Quando seu carro se depreciar, e precisar de outro, como vai comprar, se seu ganho é ''a conta'' ?
Infelizmente é isso ai. Se o estado não se intromete, o empresário faz o que quer, paga o que quer, e foda-se pra você, trabalhador. Se não quiser tem outros.
E se ele entra de mais, o empregador para de empregar, e você também se ferra no fim.

O legal é o equilibrio entre os dois. Sem anarquia, sem estado gigante.

Rodrigo Fante

Isso eu concordo plenamente, inclusive apoiaria ativamente.

Rodrigo Fante

Agora chegou onde eu queria, o papel do governo é estimular a indústria, abrir a concorrência, deve sim regular abusos, mas precisa fazer isso de forma moderna e não usar regras de 100 anos atrás com modelos novos.

Se o mercado estiver aquecido e todos puderem trabalhar na sua profissão, vai faltar Uber, essa é a forma de melhorar a vida do povo, ajudando empresas e população a se desenvolverem, não acabando com seu meio de renda, mesmo que baixa.

E é óbvio que concordo que não é um valor adequado o que Uber recebe, tanto que sempre que uso, acrescento pelo menos 30% a mais no final da corrida, pelo menos, já peguei motorista bom que dobrei a tarifa dele pois merecia. Mas é uma opção quando faltam outras e o governo nada faz por essas pessoas.

ribeiro

Entendo bem o seu ponto de vista, porém temos que ser realistas.
Infelizmente muitos ainda tem que se submeter as condições da Uber, alguns ainda consiga algum retorno para pelo menos pagar suas contas, mas é lamentável.
Espero que o Brasil venha melhorar com o próximo governo.
Mas falar com propriedade que vale apena viver disso, claro que não, INFELIZMENTE com a situação atual ainda é compreensível alguns depender 100% disto, espero que está situação brasileira venha melhorar para todos.

Rodrigo Fante

A opção é melhor? Ficar sem renda?

ribeiro

Valendo apena? kkkkk
Jamais, muitos falam que vale apena mais não sabe nem a matemática básica.
Só louco entra nisso para depender 100% da Uber.
Ainda é recomendável para complementar a renda e olhe lá.

Rodrigo Fante

Não, trabalho escravo é um trabalho onde você não pode sair dele, a pessoa que trabalha 12 horas por dia pode e provavelmente vai sair assim que tiver uma oportunidade melhor, deve estar desempregada na busca por outra opção, enquanto isso a única opção que ele tem é ficar sem renda, então o Uber acaba valendo a pena pois ele começa e para quando quiser e com muito esforço ele consegue se manter até poder voltar para sua profissão.

ribeiro

Cara, se for para fazer bico no Uber complementar a renda tudo bem, agora depender exclusivamente da Uber, você precisa nada mais que trabalhar mais de 12 horas por dia, e olhe que mesmo assim não é algo compensador.
Isso sim é trabalho escravo.

Exibir mais comentários