Início » Legislação » Anatel apreende 126 mil produtos não homologados

Anatel apreende 126 mil produtos não homologados

Foram encontrados R$ 1,2 milhão em equipamentos de telecomunicação irregulares, entre cabos óticos e câmeras sem fio

Por
41 semanas atrás

A Anatel anunciou que realizou na quarta-feira (5) uma operação de fiscalização para apreender produtos de telecomunicação considerados irregulares. Segundo a agência, foram encontrados 126.737 equipamentos não homologados, com valor estimado em R$ 1,2 milhão, entre cabos óticos e câmeras sem fio.

As apreensões foram feitas nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com a participação de 20 fiscais da Anatel. O foco estava em grupos que distribuíam equipamentos de telecomunicação sem a certificação da agência.

Fiscal da Anatel apreende produtos piratas (Foto: Divulgação/Anatel)

A operação encontrou 60 km de cabos óticos, 580 caixas de terminação ótica, 741 rolos de cabos de circuito fechado de TV, 78 bobinas de cabos de rede, 73 câmeras Wi-Fi, 6 caixas de cabos de rede e 9 EPON ONU, equipamento utilizado para fornecer conexão por fibra ótica (FTTH).

A agência diz que até 70% dos equipamentos de rede em uso nas empresas, especialmente em pequenos provedores, não são homologados, e que vem intensificando o combate à pirataria, com base em “denúncias encaminhadas por entidades representativas do setor produtivo e o trabalho de inteligência desenvolvido pela própria agência”.

Esta é a operação de maior volume contra produtos irregulares executada pela Anatel em 2018. Em maio, a agência lacrou 25 mil equipamentos não homologados, avaliados em R$ 18 milhões, nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Minas Gerais e Bahia. Outros 28 mil produtos sem certificação, com valor estimado em R$ 700 mil, foram apreendidos em agosto, em Mauá (SP).

Além das ações contra os distribuidores, a Anatel vem fechando o cerco para consumidores que compram celulares, drones e outros eletrônicos em lojas online do exterior. A agência diz que esses produtos ficam apreendidos até que você pague uma taxa de R$ 200, e afirma que pessoas físicas são proibidas de importar smartphones pelos Correios.

Mais sobre: