A LG anunciou uma nova geração dos computadores portáteis Gram, que são focados em alto desempenho e portabilidade. São dois modelos, com 14 e 17 polegadas, mas o que mais chama atenção é o maior de todos, que é o mais leve do mundo com todo este tamanho de display.

Os computadores da linha Gram estão com o suprassumo da LG para este mercado, quando a portabilidade é tão importante quanto o desempenho. Os novos LG Gram trazem um processador Intel Core de oitava geração, 8 GB ou 16 GB de RAM, junto de opções para 256 GB ou 512 GB de SSD. Mesmo com tela de 17 polegadas, o que é bastante para um notebook, este modelo pesa 1.340 kg – quase 200 gramas além dos 1.145 gramas do modelo de 14 polegadas.

A tela trabalha com proporção de 16:10 no modelo de 17 polegadas, com resolução de 2560 x 1600 pixels, enquanto que a versão de 14 polegadas tem proporção de 16:9 e resolução Full HD (1920 x 1080 pixels). Outra diferença entre as duas versões fica na capacidade do modelo de 14 polegadas virar um tablet, já que a tela pode ser rotacionada e chegar até a traseira do computador.

Em conexões, a variante de tela maior vem com três USB 3.1 em formato padrão e uma USB-C, entrada para fone de ouvido, leitor de cartões microSD, porta HDMI, Wi-Fi 802.11ac e Bluetooth 5.0. A variante menor tem tudo isso, tirando uma das três portas USB-A.

Por fim, há uma caneta para telas de toque na versão de 14 polegadas e que é feita pela Wacom, enquanto que a bateria dos dois Gram é a mesma, com 72Wh, só que a tela maior consome mais e a autonomia prometida pela LG é de pouco mais de 19 horas para a versão de 17 polegadas e 21 horas para a versão menor.

Quando e quanto?

A LG ainda não oficializou a data de lançamento dos dois computadores, muito menos o preço que será cobrado. Porém, em um vazamento que aconteceu na loja americana Best Buy, a o modelo de 17 polegadas do LG Gram custará US$ 1,7 mil – aproximadamente R$ 6,6 mil.

Não há previsão de lançamento para o Brasil, mas nós já tivemos duas gerações do Gram, o que dá quase que certeza do lançamento dos computadores por aqui.

Com informações: LG.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Cristina Nascimento

Pior q sinto dores na base de trás do pescoço e nas costas. Mas trabalho em um escritório contábil, logo, digito mto números. Eu costumava levar trabalho pra casa, já tinha um pc, e sempre quis um note, mas o q me preocupava é q eu tinha a errônea ideia d q todos não possuíam teclado numérico. Foi qndo pesquisei pra comprar meu primeiro notebook, q a principio notei q quase todos q possuem 15" em diante tem teclado numérico. Comprei um tipo top de linha, pra não precisar trocar de aparelho, já q upgrade no note parece limitado. Hoje tou feliz com meu Toshiba Satellite de 15'6". Mas é como vc disse, não dá pra ficar com a cabeça reta com ele, mas eu digito números a beça então foi um mal necessário.

Trovalds

Leia o meu relato pra Cristina Nascimento, vai entender porque eu dispenso.

Rmavalli

Foi uma brincadeira com o ponto "." ao invés da vírgula ",". Se tratando de um texto em português, o correto seria usar a vírgula para separar o número inteiro das casas decimais.

Trovalds

Vamos explicar: a ergonomia do notebook com teclado numérico fica prejudicada. Você tem que ficar em uma posição em que sua visão pro notebook fica lateral ao monitor, o que é ergonomicamente prejudicial. A não ser que você use o teclado numérico na maioria esmagadora do tempo, claro.

Meu caso: aos 20 e poucos anos comecei a sentir dores nos braços e articulações. Ida ao médico, diagnóstico: tendinite e bursite (ainda em estágio bem inicial, tratável e ainda prevenível). Solução: teclado ergonômico, cadeira de altura ideal e monitor posicionado em alinhamento perfeito pra cabeça ficar reta. Como uso desktop, com isso eu posiciono os meus periféricos da forma que fiquem ergonomicamente perfeitos. Daí entra o notebook. Você não tem como posicionar ele de uma forma que fique ergonomicamente confortável. Se o monitor ficar na sua linha de visão de cabeça reta, o teclado vai estar erguido prejudicando o s seus braços. Daí ainda temos a questão do teclado "normal" (não ergonômico). E com o teclado numérico você ainda fica em uma posição em que tem que ficar com a cabeça ligeiramente virada em relação ao monitor. Coloque nessa equação horas e horas de trabalho. O corpo vai reclamar. Pescoço, ombro, braços, mãos... até a coluna vai acabar no prejuízo em alguns casos. Aqui pelo menos braços e ombros estão a salvo mas no limiar. Se deixo de usar teclado ergonômico (às vezes trabalhando em algum cliente fora), já sinto incômodo. E mais de 20 anos depois foi o que me salvou de lesões sérias e permanentes. Inclusive tenho amigos que sofrem com lesões desse tipo. O único tratamento possível é controlar a dor pra que seja menos incômoda.

Agora se o notebook é indispensável e você usa ele com bastante frequência digitando, opte pelo menos por um teclado à parte. Você posiciona melhor ambos e salva sua saúde no processo.

Guilherme Batista

Eu tenho um Samsung Odissey, acho que ele sozinho pesa 2.5kgs.
Não é tão pesado assim

Alan Tiago Felipe

Eu me canso quando vejo configurações sem uma placa de vídeo dedicada por preços astronômicos....

Henrique Ferreira Lima

Creio eu que 1.340 kg é um pouco pesado para ficar nas pernas de um usuário

Gustavo Calanzani

Pra mim é justamente o contrário...

Cristina Nascimento

Já vi q vc não trabalha com números e contas, né?

Seraph

Eu disse bom e barato, não Topo de linha barato (Até pq seria inviável);

Guilherme Batista

Olha, esse modelo de 14 é bem mais interessante que o de 17, pelo excesso de featuers.
E resolução FHD não é tão ruim numa tela de 14"

Hemerson Silva

Pocophone não é topo de linha de verdade, melhor não ter notebooks assim.

Trovalds

Teclado numérico, passo.

Seraph

Queria notebooks estilo Pocophone: Bom e barato.