Início » Antivírus e Segurança » Facebook cedeu dados privados para Spotify, Netflix, Amazon e Microsoft

Facebook cedeu dados privados para Spotify, Netflix, Amazon e Microsoft

Facebook tem mais um escândalo de privacidade: rede social cedeu conversas do Messenger e listas de amigos para empresas de tecnologia

Felipe Ventura Por

Sim, o Facebook está envolvido em mais um escândalo de privacidade. Uma investigação do New York Times descobriu que a rede social cedeu dados privados para centenas de empresas, incluindo Spotify, Netflix, Amazon, Microsoft e Apple — e isso nunca ficou claro para os usuários. Essas companhias tinham acesso a conversas do Messenger, listas de amigos e endereços de e-mail.

Foto por Pasi Mäenpää/Pixabay

Netflix e Spotify tinham a capacidade de ler e apagar mensagens privadas do Messenger, além de ver todos os participantes de uma conversa. Isso foi revelado em 270 páginas de documentos internos do Facebook obtidos pelo NYT.

Os dois serviços de streaming alegam que nem sabiam ter poderes tão amplos. Em comunicado ao Tecnoblog, a Netflix diz que "em nenhum momento acessamos as mensagens particulares das pessoas no Facebook ou pedimos para conseguir fazê-lo". Em 2014, a empresa lançou um recurso para recomendar programas de TV e filmes para amigos via Messenger, e decidiu removê-lo no ano seguinte devido ao baixo uso.

O Facebook permitiu, até meados de 2018, que a Amazon coletasse os nomes e informações de contato dos amigos de cada usuário. Sony, Microsoft e outras empresas também conseguem obter endereços de e-mail dos amigos de cada usuário. É um recurso que, para a maioria dos desenvolvedores, foi encerrado em 2014.

O Gizmodo suspeita que isso esteja relacionado a um caso antigo: uma mulher chamada Imy Santiago foi proibida de deixar resenhas para um livro na Amazon porque "a atividade de conta indica que você conhece a autora pessoalmente". Isso não era verdade, e havia apenas uma conexão entre elas: Santiago seguia a autora no Facebook.

A Microsoft, por sua vez, conseguia ver o nome de praticamente todos os amigos dos usuários do Facebook sem consentimento. Os dados eram usados pela equipe do Bing para criar perfis de cada pessoa. A empresa diz que as informações foram apagadas; elas serviam para o "desenvolvimento de recursos", não para propagandas.

A Apple tinha o poder de esconder todos os indicadores de que seus dispositivos estavam pedindo dados ao Facebook. Além disso, iPhones e iPads conseguiam acessar os telefones de contato e eventos de calendário de quem havia desativado todo o compartilhamento. A empresa disse que não sabia desse acesso especial, e que os dados compartilhados permaneceram nos dispositivos.

engineering-bootcamp-facebook

Facebook tinha acordos com mais de 150 empresas

O Facebook fechou acordos que beneficiaram mais de 150 empresas, a maioria delas no ramo de tecnologia, incluindo varejistas online e sites de entretenimento. Seus aplicativos tinham acesso aos dados de centenas de milhões de pessoas por mês. Todos estavam ativos em 2017.

Esses acordos eram mutuamente benéficos. Os parceiros que integravam o Facebook aos seus produtos conseguiam tornar seus produtos mais atraentes. Eles também alimentavam o crescimento da rede social, estimulando usuários a passar mais tempo e aumentando a receita de anúncios. Além disso, o Facebook obteve dados críticos de seus parceiros, incluindo listas de contatos da Amazon, Yahoo e Huawei para oferecer sugestões de amizade.

Facebook diz que não violou acordo com FTC

Um porta-voz do Facebook diz ao NYT não "encontrou evidências de abuso de seus parceiros", mas reconhece que administrou mal algumas de suas parcerias, permitindo que o acesso de certas empresas continuasse por mais tempo que o necessário.

Vale lembrar que, em 2011, o Facebook fechou um acordo com a FTC (Comissão Federal de Comércio dos EUA) exigindo o consentimento dos usuários para compartilhar seus dados. A rede social alega que não violou esses termos.

O Facebook considera seus parceiros como uma extensão de si própria, então não teria que pedir permissão para enviar informações à Amazon, Microsoft e outras. É o que diz Steve Satterfield, diretor de privacidade e políticas públicas. Mas David Vladeck, ex-funcionário da FTC, acredita que "isso é apenas dar permissão a terceiros para coletar dados sem que você seja informado ou dê consentimento".

Em comunicado, o Facebook diz que "nenhuma dessas parcerias ou recursos deu às empresas acesso a informações sem a permissão das pessoas, nem violou nosso acordo com a FTC". A rede social diz que encerrou quase todas as parcerias, com as seguintes exceções:

  • Amazon e Apple, que "as pessoas continuam a achar úteis";
  • Tobii, permitindo que pessoas com ELA (esclerose lateral amiotrófica) acessem o Facebook;
  • Alibaba, Mozilla Firefox e Opera, para notificações no navegador.

Com informações: New York Times. Atualizado às 17h59.

Mais sobre:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

disqus_h3pNA35jM8
yago_oliveira no but
moviekiller
yago_oliveira yes
biscoitao
Pra apagar uma única mensagem não lida de alguma conversa que consegue alterar toda a interpretação
Leonardo Feelckins
ah, facebook...
Yago Oliveira
Explique mais sobre isso. Ja existe algum prptotipr ou algo do tipo? Como o blockchain poderia ajudar na questão de privacidade nesse caso?
Thiago Mocci
Eu acho que ele usa geral. Hahahaha. Mas entendi a frase como "só uso pra logins em sites e tal".
Trovalds
"Ah, vou parar de usar o Facebook e ficar só no Instagram e no Whatsapp..."E vai continuar dando dinheiro pro Zuck igual. E daqui uns dias quem garante que não vai pipocar algo parecido com essas outras redes? Acredito que estejam focando no facebook pra tirar foco dos outros.Enfim, pelo menos do whatsapp me livrei. Eu e os 7 usuários de telegram não estamos mais na batuta do tio Zuck.
Ronaldo Gogoni
Sim sim, só reforçando. ;)
Uberdam Andrade
Claro. Foi o que eu disse rs
Ronaldo Gogoni
Se você não paga para usar um produto, você é o produto. Simples assim. Funciona pro Google, Facebook, Twitter, todo mundo.
Crock, o Dillo
Explica melhor como alguém conseguiu acessar meu Spotify de um iphone desconhecido nos ultimos 14 dias....
Daniel Alves Dias
Se com o Facebook, principal produto da empresa, foi feito dessa forma, imagina o Instagram e o Whatsapp, que é onde se mais discute compras, desejos e intenções... O mais louco disso é que sites como o tecnoblog deixa links direcionais do facebook nas suas matérias, ironia!
Dayman Novaes
É o que falei na outra notícia, quando as redes sociais baseadas em blockchain começarem a surgir e se popularizar, redes centralizadas como YouTube e Facebook vão começar a perder força.
Paçaro
Porque diabos o Netflix tem/tinha acesso até pra apagar mensagens privadas?
Miguel
Cada vez pior kkkk. Mas nada de surpreendente.
Uberdam Andrade
Nas redes sociais, o produto é VOCÊ!
Jonas S. Marques
Onde será que foi parar a galera que diz que Apple é preocupada com a privacidade do usuário?
Douglas Souza Luz
Nos próximos dois anos vão aparecer coisas ainda maiores, com certeza. Enquanto eles tentam remendar uns buracos no casco, outros maiores vão aparecendo e o navio do Facebook só afunda cada vez mais.
Seraph
isso é o de menos..
Fabiano Forte
Mais uma da série "Finjamos Surpresa"!
Paulo Neto
É só zuckada violenta
Bruno
uaehuaheuahe, vai adiantar muito..
Paulo Neto
Vou excluir meu facebook e usar só Instagram agora!
Bruno
claro que usa. essa galera que paga de cult é a que mais usa.
Bruno
sai nada, só arranque.
Jairo ☠️
Facebook......que desapareça
Capitão Caverna
"2 anos sem usar""Só uso pq tem uma ou outra coisa ligada"Afinal, vc usa ou não?
Eduardo Martins
não presta pra nada essa [email protected]#$¨%
Seraph
2 anos sem usar. Não me fez falta. Só uso pq tem uma ou outra coisa ligada
Seraph
Ta na hora de outras redes surgirem, aproveitando esse declínio ridículo do facebook.
Seraph
Não existe mesmo almoço grátis.
Eduardo Martins
agora eu saio dessa [email protected]#$&#
Bruno
rede social gratuita, eles disseram..