Início » Telecomunicações » É óbvio que o 5G americano não é 5G de verdade

É óbvio que o 5G americano não é 5G de verdade

Gente, vamos tomar vergonha na cara

Paulo Higa Por

Em uma das minhas idas aos Estados Unidos, quando o 4G ainda engatinhava no Brasil, eu me surpreendi negativamente com a lentidão das redes móveis de lá. Isso porque 4G não é exatamente 4G nas operadoras americanas: por uma jogada de marketing, elas acharam que seria uma boa ideia chamar o HSPA+ (conhecido no Brasil como 3G+) de 4G. Enquanto isso, o 4G americano de verdade foi batizado comercialmente de LTE.

Agora, a AT&T decidiu fazer a mesma besteira, que provavelmente será seguida por outras operadoras americanas, assim como fizeram na época do 4G. Em smartphones Android já existentes, além de modelos novos que serão lançados em 2019, os usuários passarão a ver um ícone “5G E” ao lado da barrinha de sinal. Só que eles não estarão em uma rede 5G, e sim em uma 4G.

AT&T 5G

O tal do 5G E da AT&T (com um “E” bem pequeno, porque vai que as pessoas percebem) nada mais é do que um 4G LTE com tecnologias como MIMO 4x4, que melhora a transmissão de dados por meio do uso de múltiplas antenas simultâneas, e o 256QAM, um esquema de modulação difícil de explicar tecnicamente em poucas palavras, mas que basicamente melhora a eficiência do espectro e transmite mais bits a cada tempo.

Segundo a operadora, "as tecnologias 5G Evolution permitem um pico de velocidade de 400 Mb/s para dispositivos compatíveis, ou uma média de cerca de 40 Mb/s com base em experiências reais". A rede já está disponível em 385 mercados, com previsão de atingir 400 cidades "nos próximos dias", diz a AT&T.

Como você (e as próprias operadoras americanas) sabem, isso não é 5G. Muito menos um “5G Evolution”, como a AT&T tentará vender. Trata-se, no máximo, do LTE Advanced Pro, uma revisão do 4G que permite velocidades mais altas e maior eficiência de rede.

AT&T 5G E

O 5G de mentirinha dos Estados Unidos já existe no Brasil (só não é chamado assim)

No Brasil, até novembro de 2018, o 5G E, digo, LTE Advanced Pro, tinha cobertura em 940 municípios pela Vivo e 871 pela Claro. Ambas as operadoras nomeiam suas redes mais avançadas como 4.5G, o que ainda é mais honesto que a ideia dos americanos. A TIM opera com LTE Advanced (com agregação de frequências, mas sem tecnologias como MIMO 4x4 e 256QAM), enquanto a Oi prossegue com LTE.

Mas se as operadoras americanas estão fazendo propaganda enganosa com o 5G, como saber se você realmente está em uma rede 5G nos Estados Unidos? Você precisará procurar outro nome: assim como o 4G de verdade é o LTE, o 5G de verdade será indicado como 5G+ pela AT&T, enquanto a Verizon chamará sua nova rede de 5G UWB (Ultra Wideband).

A T-Mobile, terceira grande operadora americana (atrás da Verizon e da AT&T), se pronunciou contra as nomenclaturas mirabolantes do 5G. A verdade é que ela foi farinha do mesmo saco na geração passada. Quando a briga era para ver se o WiMax ou o LTE se tornariam o próximo padrão de celular, a Sprint adotou o nome “4G” para sua rede WiMax, e as concorrentes (das quais a T-Mobile foi a primeira) não quiseram ficar para trás, chamando suas redes de 4G antes mesmo da implantação do LTE.

Aliás, em meados de 2010, quem chiou contra a utilização do nome 4G para designar o 3G+ foi a AT&T. Na época, quando a T-Mobile teve essa ideia, um porta-voz da AT&T comentou o seguinte: “Acho que as empresas precisam ter cuidado para não enganar os clientes rotulando o HSPA+ como uma tecnologia 4G”. Parece que o jogo virou, não é mesmo?

E, por fim, vale lembrar que nem mesmo o 5G UWB da Verizon é exatamente um 5G de verdade. Isso porque a operadora correu para lançar sua rede antes das rivais, mas acabou deixando de lado o padrão oficial do 5G, definido pela 3GPP. Com isso, os consumidores terão que substituir seus equipamentos outra vez no futuro, quando a Verizon lançar sua rede padronizada.

Gente, vamos tomar vergonha na cara.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Reginaldo Farias

Vá se fud3r.

minecrafteros1234

itsmevalentina more

rachelgertler

tcelestino what

Eduardo Amaro

Sim e essa é a forma correta (e legal) de tratar as pessoas com câncer. Minha cunhada dá aulas na Unifesp sobre ética médica, para que o profissional saiba como auxiliar no tratamento dessa enfermidade. Há um bom material disponível agora. E também existem leis que priorizam os tratamentos para quem tem câncer e Aids, leis que funcionam. Obviamente que há problemas, a rede pública é gigante, e devido ao compartilhamento das responsabilidades, há lugares mais eficientes que outros, isso não quer dizer que seja ruim generalizadamente, são somente variações regionais e problemas inerentes à grandiosidade de um sistema público como esse. Temos, no nosso país, hospitais que são referências internacionais, por exemplo, e temos os que precisam melhorar. Relatos como o seu são importantes para mostrar que o trabalho sério, aliado a uma boa administração pública (municipal, estadual e federal) geram resultados positivos.

Eduardo Amaro

Tu já começas errado, quando vens em uma matéria sobre 5G falar mal da saúde pública. Aí nós já percebemos a intenção do seu discurso. Depois, em casos pontuais, tu queres dar a impressão de que há uma generalização a respeito desse assunto, inclusive em estados fora do Rio de Janeiro. Isso chega a ser desonestidade intelectual. Os casos particulares existem em todos os lugares, problemas são comuns, assim como são na Educação, pois a Saúde é uma responsabilidade compartilhada entre os poderes Federais, Estaduais e Municipais. Agora, é de notório saber que o Rio de Janeiro é podre sim, Estado falido, mal administrado, que nem consegue pagar o funcionalismo público. Ele não serve de parâmetro. Trabalhe para melhorar ao invés de criticar, nós aqui estamos trabalhando, tá "serto"? E mais: saiba o básico: comente isso em uma matéria que seja sobre isso.

brunocabral

Em São Paulo um monte de gente morre por falta de atendimento, mas errado é o Rio de Janeiro que votou no Bolsonaro tá "s"erto!

https://www.youtube.com/wat...

brunocabral

Esse é o atendimento na sua São Paulo (tão "superior" ao Rio de Janeiro): https://www.youtube.com/wat...

brunocabral

Mais outro caso que NÃO É no Rio de Janeiro: https://www.youtube.com/wat...

brunocabral

Mas um caso de descaso que NÃO É no Rio (é em PORTO ALEGRE - R. Grande do Sul): https://www.youtube.com/wat...

brunocabral

Esse não é no Rio, e agora, qual a desculpa?

https://www.youtube.com/wat...

brunocabral

Vc chama o Rio de curral eleitoral, mesmo sabendo que o PT destruiu o país e mantem cativo o eleitor do nordeste. Tá de sacanagem né?

brunocabral

O Rio de Janeiro é só o cachorro morto que a imprensa bate, é assim no país inteiro. O SUS da forma que é, não funciona.

Eduardo Amaro

Essa realidade é do Rio de Janeiro, aqui no interior de São Paulo, é diferente. E é SUS. O Rio de Janeiro, inclusive, curral eleitoral do nosso futuro presidente, está em um situação calamitosa e não é somente na saúde. Sabe o que eu acho disso? Espero que ninguém aqui necessite assistência pública, mesmo tendo plano de saúde (que se nega a fazer vários procedimentos relacionados a essa doença, que afeta não somente o enfermo, como toda a família). Porque a vida nos ensina (não somente a academia). Ah, e como ensina.

Eduardo Amaro

Não, esse raciocínio não pode ser aplicado dessa forma, pois o exemplo do pai está inscrito em uma situação em que todos receberam tratamento adequado. Os Hospitais Regionais (todos eles) de São Paulo atenderam e prestaram serviços bons. Ademais, existem vários médicos em minha família, e eu conheço a realidade do SUS em referência ao câncer. O tratamento é bom. Falacioso é o discurso de lobo em pele de cordeiro, que todos nós sabemos a quem se presta, cuja fala mansa esconde uma crueldade perversa: quem agride o SUS, via de regra, é quem não o utiliza. Ademais, usar dados gerais, que não se reportam ao contexto específico do tratamento de câncer, oferecido pelo SUS, e comparar um sistema, que atende uma população gigante como a brasileira, de 200 milhões, com El Salvador, em termos simplórios de hanking, beira a vilania intelectual. Eu chego a me sentir mal a ter contato com esse tipo de coisa. Paz.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

tá todo mundo fugindo do tópico cara, entre na moda já que não tem moderador.

Exibir mais comentários