Início » Antivírus e Segurança » EUA acusam hackers chineses de invadir NASA, HP, IBM e outras organizações

EUA acusam hackers chineses de invadir NASA, HP, IBM e outras organizações

Dois chineses foram acusados pelos EUA de integrar o APT10, grupo hacker que teria conduzido ações de ciberespionagem em prol do governo chinês

Emerson Alecrim Por

O clima de tensão entre Estados Unidos e China perdura neste fim de ano: recentemente, dois chineses foram acusados pelo Departamento de Justiça norte-americano (DOJ, na sigla em inglês) de integrar um grupo hacker que roubou dados de pelo menos 45 empresas e organizações governamentais, entre elas, NASA, HP e IBM.

Para ser mais preciso, Zhu Hua e Zhang Shilong, os dois chineses acusados, foram associados ao Advanced Persistent Threat 10 (APT10), grupo de ciberespionagem que, no entendimento das autoridades norte-americanas, trabalha em prol dos interesses do governo chinês, tendo como alvo principalmente companhias e órgãos do governo de países como Estados Unidos e Japão, além de potências europeias.

Bandeira - Estados Unidos

Zhu Hua e Zhang Shilong receberam três acusações: invasão de computadores, conspiração para fraude eletrônica e roubo de identidade. As investigações apontam que essas ações levaram à captura de centenas de gigabytes de dados sensíveis de organizações norte-americanas ligadas a diversas áreas: petróleo e gás, TI e comunicações, aviação, tecnologia espacial, entre outras.

No documento de acusação, apenas NASA e o Centro de Voos Espaciais Goddard foram citados como alvos do APT10, mas a Reuters aponta que HP e IBM estão entre as 45 organizações atacadas pelo grupo, bem como clientes dessas companhias.

Os ataques foram conduzidos durante vários anos — calcula-se que desde 2006, quando o APT10 foi criado, com intensificação das atividades a partir de 2014 — e usaram inclusive táticas de spear phishing: em vez de direcionar um ataque de phishing a alvos aleatórios, esse tipo de ação tem como foco indivíduos ou grupos muito específicos.

Só para dar uma ideia da sofisticação das invasões, estima-se que dados pessoais de mais de 100 mil funcionários da Marinha dos Estados Unidos tenham sido capturados. Entre esses dados estão informações de salários e seguro social.

Todas essas ações teriam como finalidade o roubo de segredos industriais, comerciais ou de segurança. Para Christopher Wray, diretor do FBI, a China quer “simplesmente substituir os Estados Unidos como superpotência líder, e eles estão usando métodos ilegais para chegar lá”.

Xi Jinping

Xi Jinping (Foto: Wikipedia)

Zhu Hua e Zhang Shilong provavelmente estão na China, portanto, é pouco provável que sejam detidos. De todo modo, o governo de Donald Trump usou como base a acusação contra eles para romper de vez um acordo firmado em 2015 entre Barack Obama e o presidente chinês Xi Jinping com o qual os dois países se comprometeram a não conduzir, um contra o outro, ataques cibernéticos e ações de ciberespionagem.

A China se defende

Por meio do seu Ministério de Relações Exteriores, o governo chinês nega os ataques e pede para os Estados Unidos retirarem as acusações sob risco de haver grande abalo nas relações entre os dois países.

O governo chinês declarou ainda que os Estados Unidos atribuem à China ações condenáveis que eles mesmo praticam.

Quer apostar quanto que 2019 vai ser um ano ainda mais tenso entre China e Estados Unidos?

Com informações: The Verge, TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

ruioxgaming

digomeister why

Hector Bonilla

kkk o Povinho adora tirar sarro e massacrar os EUA, mas garanto que ninguém aqui escolheria a China para morar. Hipocrisia barata.

João

Diminuir a dependência (repetir 200x e se vc responder leia isso de novo).

tuneman

Pimenta no rabo dos outros é refresco

Hemerson Silva

lembrando que keynesianismo não existe só na China hehe

João

E esse é o problema. Dependência chinesa q eu falei desde o primeiro comentário.

João

Como vc diria, "serto". China como potência não existia nos anos 80 e pode acabar da mesma forma: subitamente.

João

Sim, a china pararia de importar dos outros e passariam fome... /s China deixará de ser o maior mercado em no máximo 20 anos, anote aí.

João

Ninguém falou em parar, oras. Diminuir. É um processo a longo prazo. Nenhum país pode depender somente da China. É como se o mundo parasse sem a china e isso não pode acontecer. E a diminuição da dependência chinesa irá acontecer, com ou sem consequências, é necessária.

João

Sim, é. O primeiro link pesquisando "china steals patents' já responde suas perguntas. Irrelevante ficar explicando aqui. Só em 2009 os eua perderam 48 bilhões USD com roubo de patentes, imagine os dados hoje.

João

Nice argument. Me sinto no Orkut. Bons tempos de adolescente.

João

Se vc diz, hahahaha. O povo daqui tira os dados do fiofó e se passam por especialistas. Já disse, pesquise.

João

E o que tem a ver exportar, filho? O negócio é diminuir importações vindas da China e não depender deles.

João

Me prove o contrário, oras. Uma pesquisa de 1 minuto mostra o tanto que roubam, virou até meme. Esse q mostrei acima foi apenas o mais recente e expressivo, mas o negócio é diário.

João

Sim, certo. O mercado de roubo de patentes é mto lucrativo. O mais recente foi a patente da Samsung de telas dobráveis. Imagine a Samsung gastando bilhões para produzir isso (com pesquisa e desenvolvimento/R&D) e alguém rouba e vende pra China e produzem sem ter pesquisado e gastado nada e depois são endeusados por bobos como vocês que acham os produtos deles maravilhosos, mas são meras cópias roubadas.

https://edition.cnn.com/201...

Exibir mais comentários