Início » Legislação » Google mostra como ficaria se União Europeia aprovar lei de direitos autorais

Google mostra como ficaria se União Europeia aprovar lei de direitos autorais

A empresa usou capturas de tela para mostrar que os resultados de busca seriam bem diferentes

Victor Hugo Silva Por

A lei de direitos autorais que está em dicussão na União Europeia possui dois artigos que causam muita polêmica. Eles visam proteger os veículos de imprensa, mas podem obrigar sites como Google, Bing e Facebook a deixarem de oferecer certos conteúdos aos usuários.

O Google, uma das empresas críticas do projeto, recorreu a capturas de tela para indicar como ficariam suas buscas se o texto fosse aprovado sem mudanças. As imagens foram compartilhadas com o Search Engine Land e mostram que as consequências para as pesquisas seriam enormes.

Google mostra como ficaria com lei de direitos autorais da União Europeia

Em uma pesquisa pelas últimas notícias, por exemplo, os resultados mostrariam apenas o nome da página e a URL. Manchetes, imagens e trechos das matérias estariam cobertos pela lei de copyright e só poderiam aparecer se o Google pagasse por eles.

A exigência é prevista no Artigo 11, que obriga plataformas a pagarem uma taxa para mostrar conteúdos de terceiros. O outro trecho polêmico é o Artigo 13, que faria os serviços de internet criarem filtros de upload para impedir usuários de violarem direitos autorais.

Segundo o Google, as imagens fazem parte de um experimento “para entender qual seria o impacto da Diretiva de Direitos Autorais para nossos usuários e publicações parceiras”.

Google mostra como ficaria com lei de direitos autorais da União Europeia

Se a União Europeia aprovar a lei sem mudanças no Artigo 11, o Google possivelmente buscaria acordos com alguns veículos para manter as pesquisas mais parecidas com o que existe atualmente. Ainda assim, o número de sites em destaque no Google seria bem menor.

A empresa também acabaria beneficiando os veículos mais conhecidos. Para evitar que isso aconteça, as publicações menores defendem mudanças no texto do projeto. Para elas, os veículos deveriam ter mecanismos para abrir mão das licenças que, em tese, deveriam ser pagas pelas plataformas.

Em dezembro, o vice-presidente de notícias do Google, Richard Gingras, afirmou no blog da empresa que o Artigo 11 “terá consequências não intencionais para publicações menores, limitará a inovação no jornalismo e reduzirá a escolha para consumidores europeus”.

“Mecanismos de busca, agregadores de notícias, aplicativos e plataformas teriam que implementar licenças comerciais e tomar decisões sobre qual conteúdo incluir com base nesses acordos de licenciamento e quais deixar de fora”, afirma Gingras. “Efetivamente, empresas como o Google serão colocadas na posição de escolher vencedores e perdedores”.

Uma das pretensões do projeto é garantir que os veículos sejam pagos pelo conteúdo que produzem. No entanto, a realidade poderá ser ruim para publicações, plataformas e leitores. O texto final deverá ser apresentado nos próximos dias para passar por uma votação entre março e abril. Caso a lei seja aprovada, os países membros da União Europeia terão até 2021 para adequar leis internas à nova norma.

Com informações: The Next Web.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luca

1) Eu também sei fazer listas pra parecer mais esperto, vamos lá.

2) Se você comenta numa notícia baseando seus argumentos em conteúdo que não está na notícia, não menciona em hora nenhuma que está se referindo a isso e não à notícia, e espera que as pessoas concordem com você, você precisa rever seus conceitos de debate.

3) Feliz ou infelizmente, não tenho tempo de ler a normativa, minha vida anda bastante ocupada. Minha fonte de informação são as notícias (que por sinal, vi algumas mencionando o mesmo ponto de vista), para o bem ou para o mal, e só posso comentar o que elas informam. Não sou clarividente pra saber que você está se referindo a outra coisa.

4) Você claramente tem um trauma com quem se apropria de material dos outros, né. Parece que toca bem na sua ferida. Também sou totalmente contra isso, mas parece ser um ponto muito delicado pra você, pessoalmente.

5) Não acho que faça sentido apelar pra isso em discussões, mas já que você mandou eu me alfabetizar, here we go. Já que você tem tanto tempo pra ler normativas, favor dedicar um tempinho pra revisar os textos que escreve, porque estão cheios de erros de digitação. Você parece até escrever bem, mas digita com tanta revolta, que o resultado final deixa a desejar.

Pryderi

1) se a lei está errada escolha congressista que preste

2) se a lei da UE está errada, bem, estou pouco me importando, já que não moro lá e a normativa (que vc não leu) só vale pra lá)[

3) Eu posso kibar conteúdo do tecnoblog? SIM OU NÃO?

Pryderi

Seu problema são poucos

1) Ignorância: não sabe o que diz a normativa pois sequer leu

2) Burrice: se recusa a ler a normativa

3) Idiotice: Cai na conversa mole do google, mquando a normativa em nenhum momento diz que ele não pode linkar informações e eu lhe DESAFIO a me mostrar o parágrafo que diz isso

4) Estupidez: se informa por youtubeiro, que, ou não leu a normativa (incorrendo em 1, 2, e 3) ou leu e é um safado pois se apropria de mateiral dos outros.

Vai lá no canal do Maurício Ricardo e pergunta pra ele o que ele acha do artigo 11 e 12. Depois, se alfabetize e vá ler a normativa, que está disponível em português

Pryderi

Diz o millenial que não produz nada

Pryderi

Mas a legislação da UE não fala que não pode colocar links e resumos. Diz que as empresas tem que criar filtros que impeçam justamente a cópia do conteúdo

Parem de se informar por youtubeiro e leia a normativa

Pryderi

Que cagada? Não, sério. QUE cagada?

1) Em NENHUM lugar da normativa é dito que google não pode indexar informações

2) A legislação vale pra união europeia.

Sério, quando o problema de vocês além de ignorância (não saber do que a normativa trata e muito menos o conteudo) e burrice (se recusa ra ler a porra da normativa)?

S Y N T H W A V E + L O V E R

Não existe isso de privacidade. Entrou na net, você já abriu todas as portas, todos os seus comportamentos já são conhecidos de grandes empresas e do Estado.

Anderson

Google imagens se tornará Google sem iamgens

Mike Cross

Você meio que ignorou o fato dessa lei afeta não uma empresa, mas sim toda a forma que a Internet funciona. Não é uma lei específica pro Google, já que todo mundo teria que fazer o mesmo.

Bruno Sousa
Vitor Hugo

não é possível que você era o espermatozóide mais esperto, na moral mesmo. você vive em um mundo paralelo ou realmente não sabe que isso já é proibido?

Gaius Baltar

É um caso em muitos. Em geral as diretivas europeias são benéficas para o cidadão,

Gaius Baltar

A Grécia gastou mais do que podia. Não é parâmetro.

Daniel

Eu não sou o Mobilon, mas tomo a liberdade de pensar que se quiser colocar um banner com o título de cada matéria e um resumo no seu site, linkando o tecnoblog e a referida matéria, ele estaria mais próximo de te agradecer doque te processar por isso. Mas explicando para alguém que caiu de paraquedas na conversa, pois acho que está só de fuleragem mesmo, já li outros comments seus, é implicante mas não anormal a esse ponto.

Daniel

Vamo combinar, em termos de leis vira e volta eles soltam essas pérolas. Não é um caso isolado.

Exibir mais comentários