Início » Brasil » Rio de Janeiro bate recorde de roubo de celulares em 2018

Rio de Janeiro bate recorde de roubo de celulares em 2018

Com 26.546 ocorrências entre janeiro e dezembro, os roubos de celulares cresceram 8,9% no estado

Victor Hugo Silva Por
43 semanas atrás

A quantidade de roubos de celulares em 2018 chegou a níveis nunca antes vistos no Rio de Janeiro. De janeiro a dezembro, o estado registrou 26.546 ocorrências e viu o crime crescer 8,9% em relação ao registrado em 2017.

Este é o maior patamar para roubos de celulares no Rio desde 2003, quando o Instituto de Segurança Pública começou a reunir os dados em uma série histórica. Desde 2012, quando o estado registrou 4.362 ocorrências, o número de roubos de celulares cresce ano a ano.

Rio de Janeiro bate recorde de roubo de celulares em 2018 (Foto por Bryan Santos/Pixabay)

Com a nova alta, a situação ficou ainda mais alarmante. Em média, o estado apresenta mais de 72 roubos de celulares por dia. A cada hora, 3 aparelhos são roubados. Com 14.631 casos, a região metropolitana da capital fluminense concentra mais da metade dos roubos.

O mês de outubro foi o pior de 2018, com 2.482 roubos de celulares. O período já é o terceiro com mais ocorrências desde o início da série histórica, ficando atrás apenas de abril e maio de 2017, com 2.520 e 2.548 ocorrências, respectivamente.

O Mobile Time lembra que a comparação entre os dois últimos anos seria diferente não fosse a greve da Polícia Civil feita no início de 2017. Os números do período da paralisação caíram consideravelmente e podem ser explicados por uma subnotificação de crimes.

Furto de celulares segue estável

Enquanto os roubos aumentaram, a quantidade de furtos de celulares ficou no mesmo nível de 2017. Ao contrário do roubo, o furto ocorre quando o criminoso não estabelece contato com o dono do bem. Em 2018, o Rio teve 15.717 ocorrências do crime, 0,6% a mais do que o registrado um ano antes.

O estado registrou a maior quantidade de furtos de celulares do ano no mês de fevereiro. Foram 1.578 ocorrências. O número ainda é alto, mas está bem abaixo do recorde de 2.215 furtos de março de 2011.

Os índices do Rio de Janeiro indicam que o bloqueio do IMEI, um meio importante para desencorajar roubos e furtos de celulares ainda não é conhecido por todos. A solução, que tem sido levada para mais estados nos últimos anos, tem convivido, na verdade, com um aumento dos crimes.

Você pode se interessar também