Início » Internet » Facebook deixou crianças gastarem milhares de dólares em jogos free-to-play

Facebook deixou crianças gastarem milhares de dólares em jogos free-to-play

Cobranças em jogos como Angry Birds e Ninja Saga eram feitas sem que pais percebessem; Facebook classificou problema como “fraude amigável”

Emerson Alecrim Por

Na época de auge de jogos como Angry Birds e Ninja Saga no Facebook, a rede social permitiu que crianças e adolescentes gastassem grandes somas de dinheiro nesses games, sem os pais perceberem. Podia ser uma falha, mas um processo judicial revelado na semana passada indica que, na verdade, o problema era conhecido internamente e incentivado. Havia até um nome para a prática: “fraude amigável”.

Mark Zuckerberg

Os jogos em questão são do tipo free-to-play. Não é preciso pagar para jogá-los, mas o usuário é estimulado a comprar recursos para avançar de fase ou incrementar a experiência do jogo. Esse é um modelo de negócio que funciona até hoje e é bem aceito no mercado.

Porém, uma investigação publicada recentemente pelo Reveal mostra que o Facebook abusou do modelo free-to-play: a rede social teve pais que cadastraram cartões de crédito para comprar um ou outro item em jogos a pedido dos filhos; o problema é que a cobrança continuava depois disso, numerosas vezes.

Em alguns casos, os valores acumulados atingiram milhares de dólares. A reação natural dos pais foi a de contatar o Facebook e pedir reembolso. Só que, frequentemente, o Facebook negava. É por isso que o assunto acabou parando nos tribunais.

O processo foi conduzido de modo confidencial, mas o Reveal teve acesso ao documento por alegar interesse público. Nem todos os detalhes foram revelados, mas as 135 páginas disponibilizadas evidenciaram táticas desleais por parte do Facebook para a obtenção de receita com jogos.

Facebook - jogos

O macete principal era a falta de clareza. As crianças entravam nos jogos e obtinham itens ou vantagens para avançar. O mesmo valia para adolescentes, que já tinham noção sobre como o cartão de crédito funcionava. Mas eles, assim como os pais, não percebiam que o cartão usado em outra ocasião continuava vinculado à conta.

Itens adquiridos pareciam ser descontados de moedas virtuais ou pontos acumulados nos jogos. Em muitos casos, o jogador encontrava recursos especiais que não tinham indicativo de pagamento. Mas todos resultavam em cobranças reais, muitas das quais só eram descobertas quando a fatura chegava — somente 50% dos usuários recebiam comprovantes das transações.

Fraude amigável e baleia

Os pedidos de reembolso eram numerosos. Um levantamento interno constatou que houve pedidos do tipo em 9% das compras em jogos — 1% já seria considerado alto.

Alguns funcionários tentaram resolver o problema propondo, por exemplo, que a plataforma exigisse a digitação de alguns detalhes do cartão de crédito sempre que houvesse aquisição de recursos. Era uma forma de confirmar a intenção de compra.

As soluções propostas foram ignoradas. O Facebook conhecia tão bem o esquema, por assim dizer, que usou o termo “fraude amigável” em um documento enviado a desenvolvedores. A orientação era a de deixar que menores de idade gastassem dinheiro nos jogos, mesmo sem a permissão dos pais.

Facebook

Era mandatório que não houvesse reembolso. A recomendação era a de tratar as reclamações com a distribuição de itens gratuitos nos games, mas não com a devolução de valores.

Nem gastos claramente onerosos eram reembolsados. O Reveal destacou a conversa que dois funcionários tiveram sobre a reclamação de uma cobrança no valor de US$ 6.545. Decidiram não reembolsar. Nessa conversa, a criança envolvida nos gastos foi chamada de “baleia” (whale), termo usado em cassinos que faz referência a jogadores que gastam muito.

Só terminou em 2016

O processo judicial girou sobretudo em torno de um caso ocorrido em 2012, mas o assunto só foi encerrado em 2016, quando o Facebook concordou em fazer os reembolsos e se comprometeu a mudar seu sistema para evitar compras por engano. O serviço também disponibilizou uma página para contestação de compras.

Em nota, a companhia informou que trabalha com pais e especialistas para oferecer ferramentas para famílias que navegam no Facebook e na web, e que esse trabalho resultou nas mudanças realizadas em 2016.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcos

Tá foda, tu compra um jogo versão "standard" e a história não tem final, tem que comprar uma DLC, aí sai outra DLC, tu percebe que o preço de duas DLC é melhor comprar o season pass (libera todas as DLC), aí compra o season pass, aí compra um "starter kit", quando vê já deu 300 reais ou mais. Daí no próximo jogo tu tá puto e compra logo a "ultimate pica das galáxias" edition, abre o jogo e aparecem CENTENAS de itens pra serem comprados com "Club Units", que o jogo te dá algumas poucas e tu tem que comprar em dinheiro de verdade... TÔ FALANDO DE TI MESMA, UBISOFT!

Isso que são jogos pagos, tu não está jogando de graça e comprando itens, tu já pagou pelo jogo!!!

Quem jogou Far Cry 5 sabe que o final não é o final, mesmo com todas as DLC, agora vão lançar um novo jogo (Far Cry New Dawn) que é o final do jogo anterior!!! Dois jogos que deveriam ser um só!!! E não tô nem falando de jogo barato, tô falando de um jogo que, comprando a Gold/Ultimate pra ter todo o conteúdo, tu paga uns R$ 200 a R$ 300!!!

Breno Ribeiro

"Esse é um modelo de negócio que funciona até hoje e é bem aceito no mercado."
Bem aceito na pauta que pariu né. Os jogadores não gostam de jogos freemium. Eles jogam jogos freemium porque é a única opção que tem.
As publishers estão arrumando mil e um motivos para conseguir extorquir mais e mais dinheiro de um público cego pela vontade de jogar. DLC's, adicionais, roupas, expansões e até o tal do Season Pass, que eu nunca entendi direito o que é.
Jogo deixou de ser uma diversão há tempos.

raphael_silva

Você e seus amigos ainda continuam sendo uma minoria, os acessos ao Facebook continuam crescendo.

https://uploads.disquscdn.c...

Obviamente está mais lento que quando era novidade, mas ainda está crescendo

https://pbs.twimg.com/media...

X-Tudãoᴳᴼᵀ

Facebook virou Orkut, só tem tia dos Gif de bom dia e tiozão das piadas de duplo sentido sem graça compartilhando fake news e textão de política.

johndoe1981

Facebook e jogos free-to-pay-play, dois cânceres juntos, alguém esperava algo de bom dessa associação?

Marcos Guilherme

Tenho um jogo a mais de ano com o login do Facebook e logo pelo Instagram com a senha do Facebook, senão já era tb.

Sid

Facebook com táticas desleais? Não creio...kkkk
Essa rede social no Brasil virou a casa dos esquerdopatas e direitopatas. Não dá mais para acompanhar nada lá e está fadado à morte.
Eu só entro 1 vez por semana para ver se alguém me mandou alguma mensagem por lá, pois acreditem, ainda tem gente que usa Facebook.

Franco Luiz

Nao so deixa como isentiva

João

Se for assim alguém tem que processar a Epic Games também então. E todos os apps de games free to play pra Android.

Drax

Pode errar a vontade, ngm sai da rede. Eu mesmo continuo lá pq uso grupos.

Gaius Baltar

O Facebook, na pessoa de Zuckerberg, é a epítome daqueles “jovens empreendedores” que aparecem nos documentários da Netflix, como Fyre Festival ou Sour Grapes: Picaretas travestidos de gente “cool” que só querem separar rapidamente as pessoas do dinheiro delas.

Júlio César

Facebook não perde a chance de errar, incrível