Início » Negócios » Spotify tem lucro operacional pela primeira vez e compra empresas de podcasts

Spotify tem lucro operacional pela primeira vez e compra empresas de podcasts

Spotify possui 96 milhões de assinantes Premium, quase o dobro do Apple Music

Por
06/02/2019 às 14h05

O Spotify está finalmente se tornando lucrativo após dez anos de existência. A empresa teve lucro operacional positivo pela primeira vez, isto é, conseguiu ganhar dinheiro com sua atividade principal — streaming de música. São 96 milhões de assinantes Premium, quase o dobro do Apple Music. Ela também aproveitou para anunciar a aquisição da Gimlet Media e Anchor, que trabalham com podcasts.

Novo Spotify Premium

No quarto trimestre, o Spotify teve lucro operacional de US$ 107 milhões. Esse é o valor das assinaturas Premium e dos anúncios no serviço Free, menos os custos de manter tudo funcionando — salários, marketing, pesquisa e desenvolvimento etc. (Isso não leva em conta itens financeiros como benefícios fiscais, por exemplo.)

O Spotify fechou o ano passado com 207 milhões de usuários. A empresa nota que seu crescimento na América Latina está “especialmente forte”; ela também passou a atuar em mais 13 países no Oriente Médio e África. Foram ouvidas mais de 15 bilhões de horas de conteúdo.

O número de assinantes Premium chegou a 96 milhões, contra 50 milhões do Apple Music. O Spotify fez uma promoção de férias para converter usuários gratuitos em pagos; quase 7 milhões de assinantes foram adicionados ao longo de seis semanas através dessa campanha. Além disso, por um período limitado, clientes do plano familiar nos EUA podiam receber gratuitamente um alto-falante inteligente Google Home.

Vale lembrar que o Spotify depende dos assinantes para continuar existindo. Sim, os usuários gratuitos trazem receita através de anúncios, mas é bem pouco: eles representam apenas 12% do faturamento total, contra 88% dos clientes Premium.

E, ainda assim, o Spotify avisa que o gasto médio por assinante está caindo — são cerca de R$ 20,60 mensais ao redor do mundo. Isso acontece porque cada vez mais pessoas preferem o plano Familiar ou para Universitários, que custam menos; e o serviço vem crescendo em países onde não dá para cobrar muito.

Spotify quer gastar até US$ 500 milhões em podcasts

O Spotify anunciou a aquisição da Gimlet Media, que distribui 25 podcasts como StartUp, Reply All e Crimetown. A empresa não revela o valor oficialmente, mas segundo o Recode, foram US$ 260 milhões. Além disso, ela comprou a Anchor, plataforma para hospedar e distribuir podcasts.

Já existem mais de 185 mil podcasts disponíveis no Spotify, incluindo alguns títulos exclusivos. Esta é a segunda maior plataforma de podcasts no mundo, de acordo com o CEO Daniel Ek; ela fica atrás somente do Apple Podcasts. A empresa planeja gastar entre US$ 400 milhões e US$ 500 milhões em várias aquisições ao longo de 2019 para se expandir nesse mercado.

“Ao longo do tempo, mais de 20% do conteúdo ouvido no Spotify será de conteúdo não-musical”, prevê Ek. “Isso representa um potencial de crescer muito mais rápido com mais programação original — e de diferenciar o Spotify ao focar no que nos torna únicos — tudo com o objetivo de virar a plataforma de áudio número 1 do mundo.”

Nota: o Spotify teve lucro líquido (não operacional) pela primeira vez no terceiro trimestre de 2018. No entanto, isso ocorreu apenas devido a um benefício fiscal não-recorrente que a empresa recebeu. Considerando apenas o streaming de música, ela teve prejuízo operacional nesse período. No quarto trimestre, ela teve lucro operacional e lucro líquido.