Início » Negócios » Celulares no Brasil passarão marca de R$ 10 mil em 2019, prevê IDC

Celulares no Brasil passarão marca de R$ 10 mil em 2019, prevê IDC

A consultoria também estima que a venda de celulares, tablets e PCs terá alta de 4%

Por
23 semanas atrás

À medida em que se tornam mais avançados, os smartphones passam a ser vendidos por preços cada vez maiores. E, em 2019, os aparelhos poderão ultrapassar a marca de R$ 10 mil. Esta é a expectativa da IDC, que revelou projeções para os segmentos de tecnologia e telecomunicações.

O primeiro deles, de acordo com a consultoria, crescerá 10,5% este ano. Boa parte do crescimento (4%) deverá vir da venda de smartphones, tablets e PCs. A projeção é de que a venda desses aparelhos movimente US$ 25,5 bilhões.

Preço de celulares no Brasil passará a marca de US$ 10 mil, prevê IDC

Os celulares, que deverão apresentar um aumento nos preços, terão grande contribuição neste valor, aponta a consultoria. “Vamos ver aparelhos atingindo o patamar de R$ 10 mil”, afirmou o analista da IDC, Reinaldo Sakis.

O preço médio dos smartphones no Brasil é de R$ 1,3 mil e, em dois anos, poderá chegar a R$ 1,6 mil. Mesmo com a alta nos preços, os brasileiros deverão manter a frequência com que compram novos aparelhos. A expectativa é de que o número de celulares vendidos no país em 2019 cresça 0,1%.

Apesar do pequeno crescimento em unidades vendidas, a receita com celulares deverá avançar 18%. A aposta é de que o valor venha principalmente de modelos mais caros, como smartphones para gamers, smartphones dobráveis e outros aparelhos com especificações mais avançadas.

No segmento de telecomunicações, as operadoras deverão ter queda de 0,3% na receita de serviços como voz. Segundo o analista da IDC, André Loureiro, as operadoras regionais terão crescimento expressivo em 2019.

A alta deverá ser registrada após investimentos em fibra óptica e em serviços que não costumam ser oferecidos pelas maiores operadoras. A projeção é de que, em 2019, as empresas regionais respondam por cerca de 25% das conexões de banda larga fixa no país – atualmente, o índice é de 20%.

Somados, os setores de tecnologia e telecomunicações deverão avançar 4,9%. A expectativa de 2019 é bem maior do que a do ano anterior, quando a projeção era de 2%. “O mercado não volta ao ritmo de 2014, na média, mas em diversos segmentos o avanço será bastante acelerado”, afirmou Pietro Delai, gerente de pesquisa da IDC.

A consultoria afirma, ainda, que o mercado global de tecnologia terá crescimento médio anual de 4% até 2022, chegando a US$ 4,6 trilhões. A alta deverá ser conduzida especialmente pela área de serviços profissionais, como computação em nuvem, que deverá ter crescer, em média, 7% por ano.

Com informações: Valor, Mobile Time.

Você pode se interessar também

Mais sobre: ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.