Início » Negócios » Apple permite usar apps pirateados para iOS em programa Enterprise

Apple permite usar apps pirateados para iOS em programa Enterprise

Spotify sem propagandas, Minecraft pirateado e outros aplicativos eram distribuídos por meio de programa para desenvolvedores

Paulo Higa Por

A polêmica no Apple Developer Enterprise Program não acabou: além de distribuir aplicativos com conteúdo adulto e jogos de azar, foi descoberto que o programa também servia para instalar softwares pirateados em dispositivos com iOS. A agência de notícias Reuters denunciou nesta quinta-feira (14) que certificados empresariais liberavam versões modificadas do Spotify, Pokémon Go, Minecraft e outros aplicativos.

iPhone 8 Plus e iPhone XS

Desenvolvedores com nomes como TutuApp, Panda Helper, AppValley e TweakBox utilizavam os certificados para distribuir, por exemplo, um aplicativo do Spotify que não reproduzia propagandas entre as músicas, mesmo sem uma conta paga — uma prática que o serviço de streaming tenta combater. Havia ainda um Angry Birds sem anúncios e um Minecraft de graça, sendo que o jogo é vendido por R$ 24,90 na App Store.

Os softwares falsos não passam pela aprovação rígida da App Store. Em vez disso, os supostos desenvolvedores precisam apenas pagar uma taxa de US$ 299 e preencher um formulário para participar do Apple Developer Enterprise Program, informando que estão desenvolvendo um aplicativo para uso interno. Então, dentro de algumas semanas, a Apple confirma os dados fornecidos e libera o certificado para o programa.

De posse de um certificado empresarial, é possível instalar qualquer aplicativo “interno” nos iPhones e iPads, o que abre espaço para abusos. O Facebook, por exemplo, pagou valores mensais a adolescentes e adultos para ter acesso a dados de seus smartphones por meio de um aplicativo — que viola as regras da Apple. A rede social chegou a ter o certificado revogado por algumas horas.

A Apple diz que já baniu os aplicativos denunciados pela Reuters e que cancelou os certificados dos desenvolvedores por mau uso. Mas a empresa parece ter perdido o controle do programa: o veículo relatou que vários desses softwares voltaram com outros certificados já na semana seguinte.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leandro Nascimento

textão, hein

Alberto Prado

O problema foi explicado no segundo paragrafo. Pirataria.

Ecliptor

Não estou entendendo porque tanto alvoroço nessa questão. É muito simples manter a segurança do diapositivo: baixe apenas aplicativos da App Store, que são aprovados pela Apple e fim de papo. É obvio que deve existir a possibilidade de instalação de aplicativos sem passar pela Apple Store, afinal os desenvolvedores precisam fazer testes e detectar bugs antes de disponibilizar na App Store. O certificado é uma autorização pra isso. Me parece óbvio, não? Se tem desenvolvedor se valendo disso pra não passar pela validação da App Store, e gente disposta a instalar arcando com os riscos, não há o que fazer. O usuário deve estar ciente dos riscos que corre ao fazer isso, nas duas plataformas (iOS e Android). As lojas são uma camada extra de segurança, ou deveriam ser... A validação de aplicativos para entrar na Play Store e na App Store claramente passam por processos diferentes. A Apple é extremamente questionadora, ao contrário do Google com a Play Store, onde todo mundo “mete a mão e entra”. Só esse fato já explica por que sempre vemos com frequência notícias do tipo “Google remove mais de X aplicativos maliciosos da Play Store”. Quem está acostumado a desenvolver para as duas plataformas sabe quem se preocupa mais com a segurança do usuário. Concluindo: não existe ecossistema 100% seguro, mas o iOS segue sendo a opção com uma probabilidade menor de dar merda. Segue o barco...

Eduardo Braga

Tiraram a semana pra descobrir podres da Apple essa semana hein pqp

Bil

Fui tentar baixar o GBA4iOS e já não consegui. Revogaram de todos?