Início » Internet » YouTube desmonetiza todos os vídeos relacionados ao “desafio Momo”

YouTube desmonetiza todos os vídeos relacionados ao “desafio Momo”

As regras do YouTube proíbem a exibição de propaganda em vídeos que não são amigáveis a anunciantes

Por
34 semanas atrás

Depois de proibir alguns vídeos perigosos relacionados ao desafio de Bird Box, o YouTube precisou agir novamente. Desta vez, a rede social deixou de exibir anúncios em qualquer vídeo relacionado ao “desafio Momo”, que por algum motivo ainda está sendo realizado.

Com a decisão, até mesmo grandes veículos como CBS, ABC e CNN estão sendo afetados. Isso porque as diretrizes do YouTube preveem a desmonetização de qualquer vídeo que não apresente conteúdo amigável a anunciantes, ainda que tenham teor jornalístico.

YouTube desmonetiza todos os vídeos relacionados ao "desafio Momo"

Em alguns casos, além de retirar a propaganda, a plataforma exibe avisos antes do vídeo começar. Eles indicam que o conteúdo foi apontado por outros usuários como “inapropriado ou ofensivo para alguns públicos”.

Momo é como ficou conhecida uma escultura criada pela japonesa Keisuke Aisawa. De acordo com quem acredita no boato, a obra seria capaz de levar pessoas a se ferirem.

O desafio se baseia no envio de mensagens pelo WhatsApp e na realização de missões que causem danos físicos aos participantes. Ele ficou famoso em 2018, quando uma garota de 12 anos cometeu suicídio após seguir uma dessas instruções.

Ao TechCrunch, o YouTube afirmou que a plataforma não está adotando uma política nova e, sim, algo previsto em suas regras. A empresa lembrou, ainda, que a ação foi adotada em casos semelhantes, como o desafio do Tide Pod, que previa a ingestão de sabão líquido.

“Ao contrário dos relatos da imprensa, não recebemos nenhuma evidência recente de vídeos mostrando ou promovendo o desafio Momo no YouTube. Conteúdo desse tipo violaria nossas políticas e seria removido imediatamente”, disse, em nota, o serviço.

Na quinta-feira (28), o YouTube teve de lidar com outro problema: os casos de pedofilia na seção de comentários de vídeos com crianças. Para evitar situações mais graves, a plataforma decidiu retirar a área de discussão em qualquer vídeo com menores de idade.

O serviço identificou automaticamente dezenas de milhões de vídeos e removeu seus comentários. Em alguns casos a área ainda estará disponível, mas as mensagens deverão passar por uma moderação manual.

Com informações: The Verge.

Mais sobre: