Início » Celular » Huawei planeja lançar celulares high-end no Brasil em maio

Huawei planeja lançar celulares high-end no Brasil em maio

Huawei quer liderar venda de smartphones no Brasil; ela deve lançar celular dobrável Mate X no país ainda este ano

Felipe Ventura Por

A Huawei está determinada a conquistar espaço no mercado brasileiro de smartphones: ela prometeu lançar celulares top de linha no país, incluindo o dobrável Mate X, ainda este ano. Agora, a empresa explica que trará seus aparelhos a partir de maio: eles serão importados, mas o plano é fabricá-los por aqui no futuro.

Foto por Kārlis Dambrāns/Flickr

Ketrina Dunagan, vice-presidente sênior de marketing da Huawei nas Américas, diz ao Estadão que seus celulares premium poderão ser encontrados nas lojas brasileiras a partir de maio. Eles serão importados, mas até o fim do ano, a empresa pretende montar seus smartphones no país.

A executiva não revela quais celulares serão lançados aqui. O Tecnoblog apurou que a Huawei deve realizar um evento no Brasil para apresentar o smartphone P30 no final de abril, enquanto as vendas podem começar em 17 de maio.

O Huawei P30 será apresentado em um evento no final de março em Paris. Evan Blass, conhecido como @evleaks, diz que o aparelho terá câmera tripla com sensores de até 40 megapixels e zoom óptico 5x. Enquanto isso, o P30 Pro deve vir com três câmeras e um sensor de profundidade na traseira, além de suporte a zoom óptico 10x.

Huawei P30 (via 91mobiles)

Huawei ainda é desconhecida pelos brasileiros

A Huawei tem alguns desafios a enfrentar no Brasil. Menos de 1% dos consumidores no país conhece a marca, segundo a consultoria IDC. Além disso, Samsung e Motorola já dominam boa parte do mercado, respondendo por 78% das vendas de smartphones no Brasil em 2018.

No entanto, a Huawei pode se aproveitar de sua longa parceria com as operadoras brasileiras, por oferecer equipamentos de infraestrutura. Além disso, ela tem chance de se firmar inicialmente como uma opção high-end.

“Vamos trazer um portfólio abrangente, mas queremos ser uma marca premium, com boas câmeras e boa performance”, diz Dunagan ao Estadão. “Traremos a tecnologia mais inovadora que temos – e não sacrificaremos qualidade em prol de quantidade.”

A Huawei está fazendo acordos com varejistas para expor seus produtos em lojas físicas, e está montando equipes locais de logística, vendas e marketing. Além disso, ela já avalia parceiros para fabricação local de seus smartphones — algo essencial para oferecer preços mais competitivos. E, no futuro, ela deve lançar celulares mais acessíveis.

O objetivo da Huawei é conquistar a liderança global na venda de smartphones, ultrapassando Samsung e Apple — ela já está em terceiro lugar. A chinesa também planeja chegar ao primeiro lugar no mercado brasileiro. Será que ela consegue?

Com informações: Estadão.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Humberto Machado

“Traremos a tecnologia mais inovadora que temos – e não sacrificaremos qualidade em prol de quantidade.”
Resumo: Vão vir caros pra porra

Celso

O design é justamente onde Samsung e Motorola estão levando vantagem (não por terem os melhores, mas por terem os mais "familiares").
Mas espero que a Huawei, até mesmo por experiências anteriores no nosso mercado, esteja consciente que ela não pode estar só em um segmento de mercado, se quiser resultados ambiciosos.
E espero que ela não menospreze o varejo físico. Por mais que a sua relevância não seja a mesma, ter aparelhos dela nas vitrines e prateleiras das grandes redes (e ao lado dos aparelhos da Samsung e Motorola) pode ser decisivo entre o sucesso e o fracasso da sua nova temporada por aqui.

Celso

Essa estratégia é a que Asus, Sony e LG vem adotando, sem sucesso.
Só o exemplo dessas três já mostra que só preço não é o suficiente.
É preciso popularidade (não ser comentada apenas por leitores de fóruns e sites de tecnologia) e credibilidade (não precisa ser perfeita, mas uma boa reputação junto ao público sempre é bom).

Vegeta humilde

yu

Vegeta humilde

Eu boto um 50/50 no quesito safadeza/imposto
Se for a apple é 80/20

Vegeta humilde

Temos tbm q enxergar q a huaewei não é nenhuma marca de baixo custo como xioami. Isso, mais o fato do aparelho ser importado acho q vai acabar inviablizando a marca no país

Vegeta humilde

O pior é q esse raciocínio faz mto sentido, não tinha pensado dessa forma

Carlos Js

Exatamente.Precisa criar o desejo e percepção de que a marca é boa, antes de vir com celulares de entrada e intermediários que é a faixa de maior concorrência. A Xiaomi se deu mal justamente por isso,querer entrar com intermediários e de entrada, aliado a estratégia de vender exclusivamente na loja online dela. Lógico que ia naufragar.

Carlos Js

Estratégia de marketing voltada para estilo do consumidor brasileiro. Ela não precisa vender horrores só precisa estar em evidência. Um youtuber famosinho qualquer vai ganhar um modelo e fazer um review. Ela vai enviar o modelo de graça para algumas celebridades. As pessoas vão procurar, ´pesquisar sobre a marca e verão o preço na faixa das Iphone e Galaxy de ultima geração, e vão associar...se tem o mesmo preço então a marca é boa também , mesmo que não posso comprar . Então cria-se o desejo e a percepção. Aí sim, você vem com os intermediários ...pois não será visto como "xing ling". Nota-se você e seu circulo de amigos conhecer a Xiaomi e Huawey não que dizer a maioria do mercado conhece. Pois a grande maioria é extremamente leiga nesse assunto.

Keaton

Eu gostaria de intermediarios e aqueles bem de entrada a preço decente. Não os J4 da vida que são bem entrada e tem um preço ridiculo pelo que oferecem.

Ney Vigas

Acho que mais uma vez: vai chegar, quebrar a cara e sair! Eu hoje tenho condições de me apertar e conseguir comprar um celular de R$ 2500~3000, mas acho uma tremenda estupidez, mais que isso então, nem cogito. A empresa que vem pra cá achando que terá mercado vendendo a 3x o valor do salário minimo, não passará dois anos por aqui. A ganância da empresa, vai levá la a sair do país previamente. Quantas pessoas hj conhecemos que tem um S8 ou 9 que pretende trocar para adquirir o 10, ou que esteja com o 8 e queira migrar pro 9 pagando a diferença? Eu não conheço nenhuma! Segundo, o povo é pobre, precisa trazer intermediários com bons recursos e bom acabamento, isso a faria popularizar e em outro momento equipamentos mais high end. As pessoas continuarão comprando a linha J ou quando mais premium, a linha A. Os leigos se encantam primeiro pela beleza e depois preço baixo...em ultimo caso, pensa nos recursos ou no hardware presente. Reflitam comigo: Quem quer ter um iphone de 4 contos para andar de buzão???

uB.

Como se pronuncia Ryu do Street Fighter, já q eles n tem o erre?

ωαท∂єrℓєy ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

Aí entra o vendedor... "senhor, esse aparelho tira fotos melhores que os Galaxys".

Pronto... na cabeça do leigo, se tira foto melhor que o iphone e melhor que o Galaxy é porque o aparelho deve ser o "melhor aparelho do mundo" mesmo.

Ou melhor: "senhor essa terceira câmera ali tem 48 megapixel e a do Galaxy só 16"... o cliente: "UAU o Galaxy NEM PRESTA, SOU MAIS A HUAWEI QUE TEM UMA CÂMERA DE 48 MEGAPIXEL".

pronto, venda concluída com sucesso.

johndoe1981

Não precisa ser aparelho barato ruim, podia trazer intermediários a bons preços. Se o povo leigo já desconfia dos aparelhos baratos das chinesas, nunca que iriam deixar de comprar um Galaxy pra levar um Huawei premium custando pouco menos.

Franco Luiz

Rapaz eu acreditava nisso mas depois de ve o zenfone5z chegando por um preço decente , eu começo a acreditar que é safadeza das empresas mesmo

Exibir mais comentários